“Maranhão dá um passo atrás sem a Expoema”, afirmam criadores

Área dos estábulos do Parque Independência; foto: Biaman Prado, de O Estado

Área dos estábulos do Parque Independência; foto: Biaman Prado, de O Estado

O Estado – O cancelamento da Exposição Agropecuária do Maranhão (Expoema) está repercutindo bastante no meio agropecuário local, com fortes críticas ao Governo do Estado. “O Maranhão está dando um passo atrás no momento em que o governo inviabiliza a realização da Expoema”, desabafou do criador de gado nelore Roberval Cordeiro, retratando a insatisfação de todos os produtores rurais e empresários do agronegócio com a decisão do governo de retomar o Parque Independência, o que levou a Associação dos Criadores do Maranhão (Ascem) a cancelar o evento, que este ano comemoraria a 60ª edição.

Roberval Cordeiro lamentou a atitude tomada pelo Governo do Estado, num momento em que é o agronegócio o sustentáculo da economia brasileira na atual conjuntura de crise, além do fato de que o Maranhão possui o segundo maio rebanho do Nordeste. “Esse é mais um passo atrás dado pelo governador Flávio Dino”, criticou.

Criador no município de Zé Doca, na Fazenda Morada Nova, Roberval Cordeiro, disse que o prejuízo da não realização da Expoema não se aplica somente aos pecuaristas, que perderão a oportunidade de negócios e de intercâmbio de melhoramento genético dos animais, mas também aos prestadores de serviços, ao público que ali buscava diversão e entretenimento e ao próprio Estado, que deixará de arrecadar. “Lamentamos essa atitude do governador de retirar a administração do parque num momento em que se organizava a exposição”.

Com esse desincentivo por parte do Governo do Estado, o criador informou que buscará alternativas, na sua própria região para expor seu animais. E esse deve ser o caminho a ser tomado por outros pecuaristas.

Há 30 anos participante da Expoema, o criador pernambucano Zilmar Valença, que se estabeleceu definitivamente no Maranhão, em Vargem Grande, devido à grandiosidade da exposição, classificou a decisão do governo Flávio Dino de retomar o Parque Independência da forma com está sendo feita como “a pior vergonha para o Maranhão”.

Vitrine – Segundo ele, se a pecuária de bovinos, caprinos e ovinos no Maranhão é destaque hoje em todo o Brasil, isso se deve à Expoema, que é uma grande vitrine. “No momento em que a Expoema não é realizada e se deixa de receber criadores de outros estados, o Maranhão perde em termos de genética e em negócios”, observou, ao criticar “a omissão de deputados/criadores na Assembleia Legislativa, que não saem em defesa da Expoema”.

Para o zootecnista e professora da Universidade Estadual do Maranhão (Uema), Afrânio Gazolla, que por 35 anos participou da organização da Expoema, toda uma cadeia é prejudicada como cancelamento da exposição, desde o criador às empresas que comercializam produtos e insumos agrícolas e ainda máquinas e implementos, os restaurantes, hotéis e até mesmo o estudantes que apreendiam novos conhecimentos, sem falar dos empregos que deixarão de ser gerados.

O ex-presidente da Associação dos Criadores do Maranhão, Nelson Frota, que por muitos anos lutou para o engrandecimento da Expoema, disse não entender tal atitude tomada pelo governo Flávio Dino de inviabilizar um evento que já faz parte do calendário agropecuário do estado.

O presidente do Núcleo de Equino, Talib Neto, também lamentou a não realização da Expoema, espaço onde organizava todos os anos o leilão São Luís Horse Show, o que acaba por desmotivar os criadores. Ano passado, o evento de comercialização de equinos movimentou cerca de R$ 1,7 milhão. “Já desmontamos o Núcleo no Parque Independência e estamos à procura de outro local”, informou.

Outro lado

O Governo justifica a retomada informando que pretende utilizar a área para implementar um Programa Habitacional do Servidor Público (PHSP), que será inicialmente voltado para policiais e funcionários da Universidade Estadual do Maranhão (Uema). A Ascem entrou com uma ação na Justiça requerendo que o contrato firmado com o Governo do Estado seja mantido.

6 ideias sobre ““Maranhão dá um passo atrás sem a Expoema”, afirmam criadores

  1. Eu já sabia dessa atitude do Gov. Flávio Dino. Ocorre, que essa medida é um retrocesso gigantesco para o nosso Estado, que é um dos maiores criadores de gado e produtor agrícola do país.´Pelo que sei, a atitude é espécie de punição contra a classe dos pecuaristas que em sua maioria votaram contra ele.

  2. Ex-aliado de Amarildo Pinheiro pega carro emprestado e some, dívida seria motivo do ato
    Por: Jailson Mendes | 19 de junho de 2016 às 7:09 pm

    Juca e Amarildo

    O ex-aliado e ex-secretário adjunto de Obras e Infraestrutura da Prefeitura Municipal de São João Batista, conhecido apenas como Juca da Serraria, está sendo acusado pelo prefeito Amarildo Pinheiro de pegar seu carro e sumir com o veículo. O caso veio a tona hoje, 19 de junho, após publicações em redes sociais. De acordo com o prefeito, Juca chegou ontem em sua casa, em São Luis, pedindo comida e local para dormi. Minutos depois pediu o carro que estava em poder do prefeito para dá uma volta e não voltou desde ontem. Amarildo disse que ele deu conscientemente e que não esperava que o ex-secretário nunca faria isso.

    No grupo mais ‘badalado’da cidade, o ‘SJB em Debate’, o prefeito colocou uma nota de esclarecimento logo após a divulgação das fotos do veículo, que ele informou ao blog que não é dele, conforme documentos. No grupo, quem fez a divulgação foi o barachel em direito Prentes Figueiredo. No grupo, Prentes disse que Juca teria feito isso porque o prefeito está devendo mais de 100 mil reais de uma mobília de sua casa e que só entregará o veículo após o prefeito sanar sua dívida. “O empresário Juca da Serraria foi obrigado a pedir o carro do prefeito emprestado na tentativa desesperada se reaver uma dívida que o gestor Amarildo Pinheiro tem com o mesmo desde 2013, ano em que assumiu a prefeitura de São João Batista. O empresário tomou rumo ignorado e pediu que fosse publicada essa notícia, afirmando que só devolverá o referido veículo, depois que receber o seu dinheiro. Conforme relatou chega a cifra de + ou – 100 mil reais”, disse.

    Na nota de esclarecimento, Amarildo disse que Juca já perdeu a causa na justiça. “Todos sabem ou sabiam, a relação de amizade e carinho nutrida entre eu e este cidadão, que em definitivo, afasto de dentro de minha casa desta vez. Os procedimentos dele comercial em São João, não deixa dúvidas do modus operandis de suas armadilhas, isto é fato. Tínhamos relações próximas de amizades e chegou até ser secretario adjunto do nosso governo por um bom período. E todos sabem que assuntos pertinentes a serviços doméstico de reparo de casa, ele era o primeiro que eu chamava , e desta forma assim sempre foi e jamais será daqui por diante. Ele entrou já justiça buscando extorqui a minha pessoa, perdeu e eu o perdoei de novo”.

    O prefeito continuou dizendo que ‘pois bem, a mando de quem ou orientado por quem, chegou ontem cedo e minha casa, pedindo comida, dormida e por ultimo meu carro pra dar uma volta. Todos ao redor de mim desconfiou, somente eu e minha esposa não, embora avisados. Mas Leo, meu filho, quando o viu dentro de nossa casa, voltou da porta e educado como o é, ficou na dele. Resumindo, isso foi um crime premeditado e graças a Deus não atentou contra minha vida dentro do meu lar, até porque tinha muitas pessoas ao meu redor, por certo não levaria êxito. Levou patrimônio que não é meu, se evadiu mundo a fora de forma organizada e está com patrimônio roubado pelo visto, embora eu o tenha dado a chave livremente”.

    Carro envolvido no caso

    Finalizando, Amarildo disse que o caso já está sendo investigado pela polícia. “Qualquer outra pessoa poderia se dar credibilidade ao que ele relata, menos esse cidadão que está vivendo uma crise existencial. A polícia já está atrás de sua captura na região toda. E por tal irá responder criminalmente. E quanto a mim, feliz por não ter sido atentado volto afirmar, pus este rapaz dentro do meu quarto e estou vivo aqui para contar esta história. Eis a verdade dos fatos”, contou.

    O blog Folha de SJB tentou conversar com a família de Juca da Serraria, já que o telefone dele não funcionou. Um dos seus filhos disse que para falar sobre o assunto somente ele e que amanhã ele estará em São João Batista e deverá falar sobre o assunto. Porém, todos sabem que o empresário uma vez entrou na justiça contra o prefeito porque gostaria de receber uma suposta dívida do prefeito sobre a mobília de uma cozinha localizada no povoado Guaribal, São João Batista.

    Folha de SJB

  3. Gilberto o Governo recebeu o Parque agora e está um LIXO, ou seja, a Associação dos Criadores só faz uma MAQUIAGEM no parque às vésperas da Expoema.

  4. Bobagem:Tranformada em feira de vaidades,passarela para endinheirados e snobs;Exibiam o fruto de desvios de dinheiro público.Anibal Pinheiro,Nelson Frota,os Filhos de Clodomir Paz,Turma do Marafolia etc.Os leilões eram verdadeiros absurdos de políticos cheios de whisk baleado,torrando o $$$$ do contribuinte.Prefeitinhos arrematavam tudo por qualquer preço.Feira mesmo temos em Imperatiz,essa expoema já vai tarde!

  5. Quem se aproveita de festa realizada com dinheiro e espaço público sempre vai reclamar. A Expoema é uma vitrine de negócios para os empresários, por que motivo não é realizada com os lucros que eles próprios têm dos negócios realizados nessas feiras e durante o ano todo com seus rebanhos? Melhor ainda, por que não apresentaram proposta para alugar o espaço do estado ao governador, já que a feira é importante? É uma mania agora contar com o patrimônio público só por que virou “tradição”? Toda feira é iniciada com seus interessados, mas a Expoema parece que só se inicia com os interesseiros.

Comentários encerrados.