Documentos sugerem que conteúdo de delação vazou a Flávio Dino

Dois documentos utilizados pelo governador Flávio Dino (PCdoB) e por seus aliados para contestar a delação de um ex-executivo da Odebrecht – que acusa o comunista de ter recebido R$ 200 mil em propina para apoiar projeto de interesse da empresa (reveja) – sugerem que o conteúdo da delação, tornado público apenas ontem (11), vazou ao comunista, ou a pessoas próximas dele, com quase um mês de antecedência.

Os documentos são uma certidão da Secretaria-Executiva da Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) da Câmara dos Deputados e uma consulta realizada na internet.

No primeiro caso, a secretária-executiva da CCJ, Alexandra Zaban Bittencourt, atesta que “o governador e ex-deputado Flávio Dino não apresentou Parecer ou qualquer outra manifestação escrita ao Projeto de Lei 2.279/2007  no âmbito da Comissão de Constituição, Justiça e Cidadania”.

No segundo, alguém pesquisou na internet quem eram os autores do tal projeto, como forma de mostrar que Dino – embora designado seu relator – não participara do nascimento da proposta.

A consulta na rede mundial de computadores foi feita no dia 16 de março. A certidão da CCJ é do 17 de março.

A delação que implica Flávio Dino teve o sigilo quebrado no dia 4 de abril – mas só foi conhecida do público em geral no dia 11 de abril.

Por que alguém pediria quase um mês antes uma certidão desse tipo? E por que pesquisar sobre um projeto citado em delação que estava sob sigilo e que só se tornaria público quase um mês depois?

_________________Leia mais
José Reinaldo aparece em nova lista de investigados na Lava Jato
Zé Reinaldo delatado por chefe do “departamento de propinas”
Lava Jato: executivo da Odebrecht citou R$ 5,5 milhões a Lobão
Flávio Dino recebeu R$ 400 mil para apoiar interesse da Odebrecht, diz delator
Documentos sugerem que conteúdo de delação vazou a Flávio Dino

14 ideias sobre “Documentos sugerem que conteúdo de delação vazou a Flávio Dino

  1. Talvez por isso que os seus esbirros diziam pelos quatro cantos da cidade, em tom de intimidação e blefe, que Flávio Dino era muito forte nas Cortes de Brasília?kkkkkkkkkkkkkkkkkkk Aqui em São Luís membros do Judiciário maranhense e do MPMA também diziam o mesmo! kkkkkkkkk Puro blefe dos comunistas, tolos! Ele poderá, sim, é ser condenados pelos tribunais de Brasília. kkkkkkkkkkkkk

    Forte de quê!? kkkkkkkkkkkkkkk. Com um funcionário ralé do STF que lhe avisou a tempo, antes da lista de Fachin ser divulgada, constando que ele estaria implicadíssimo nas investigações da Operação Lava Jato por ter pedido R$ 400.000,00 de propina para apoiar o Projeto de Lei nº 2279 / 2007 de interesse da empreiteira Odebrecht? kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

    Vê-se que a máscara de Flávio Dino e seus comunistas caiu de vez, adeus reeleição em 2018. kkkkkkkkkkkk

  2. O nome dele pode não constar mas, coincidentemente, Vanessa Grazziotin, Daniel Almeida, Perpétua Almeida e Alice Portugal são do PCdoB, partido do excelentíssimo governador.

  3. Governador […]! Remédio pra […] é cadeia. Pedrinhas mesmo ou Papuda em Brasília! É um roubo de dinheiro público, igual a um roubo de qualquer um meliante de São Luís. Não tem diferença.

  4. O importante é o silêncio sobre a citação do nosso ex-presidente Sarney.
    E vem aí uma delação de Duda Mendonça.
    Tem gente no Maranhão preocupada.

  5. Do Zé Reinaldo já era sabido sua índole, sem comentários.

    Do Engraçadinho do Flávio Dino querendo PROVAR sua inocência com documentos que atestam que não atuou no projeto de lei, acha ele que o povão é burro!
    No mínimo, recebeu a grana e não entregou o produto. Mas que recebeu, recebeu! E não foi pouca grana não malandro, foram 400 mil reais em 2010, hoje corrigido da 1 milhão de reais!

  6. Flávio Dino, tal como Lula, dever se considerar o ser mais “honesto” do mundo e como tal está acima da lei. Pimenta nos olhos dos olhos é refresco, mas no nosso… arde um pouquinho!

  7. Com certeza aí tem dedo do irmão Nicolau Dino. Mas o povo sabe que as grandes licitações feitas nesse governo são todas direcionadas, e ainda tem a negociação do sistema de televisão da Difusora comprada por cem milhões por Weverton Rocha e Flavio Dino. Que a receita federal procure investigar.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *