Caso Sefaz: presidente do TJ repudia críticas de promotor a Froz Sobrinho

De O Estado

Após críticas decidir pelo desbloqueio de bens da ex-governadora Roseana Sarney (PMDB), o desembargador Froz Sobrinho foi criticado pelo membro do Ministério Público Estadual, Paulo Roberto Barbosa Ramos, titular da 2ª Promotoria de Justiça de Defesa da Ordem Tributária e Econômica de São Luís. O ato do membro do MP foi repudiado em sessão no Tribunal de Justiça (TJ) do Maranhão.
Na abertura da sessão plenária administrativa do tribunal, nesta quarta-feira (19), o presidente da Corte, desembargador Cleones Cunha, explicou o posicionamento do tribunal e também de Froz Sobrinho em não emitir notas pelo posicionamento adotado pelo promotor.

Na época, o desembargador decidiu não se manifestar. “Não tenho interesse em fazer nenhuma divulgação, porque o foro de discussão de qualquer decisão judicial ou matéria jurídica é na Justiça e nos autos”, afirmou o desembargador Fróz Sobrinho.

Diante do não posicionamento público do TJ, segundo o presidente, críticas passaram a ser feitas ao Poder Judiciário por não ter se posicionado em relação às declarações do membro do MP.

“Todos nós, integrantes desta Corte, estamos de acordo com o desembargador Fróz Sobrinho em seu posicionamento, oferecendo-lhe total apoio, e nenhum de nós duvida ou discute a lisura da decisão proferida por ele”, afirmou Cleones Cunha.

“O Tribunal não pode entender que um membro do Ministério Público se posicione daquela forma, colocando a honra e a integridade moral na imprensa, sem apresentar provas. E quando houver qualquer suspeita, a denúncia deve ser feita formalmente e não irresponsavelmente, como foi realizada”, finalizou o presidente do TJ


2 ideias sobre “Caso Sefaz: presidente do TJ repudia críticas de promotor a Froz Sobrinho

  1. E toda a sociedade está a favor do nobre membro do Ministério Público, Presidente do TJ. Aliás, críticas e sentimento de lamentações devem ser direcionadas ao TJ/MA, que a cada dia que passa se apequena mais, pelos seus mandos e desmandos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *