Veja quem são os PMs acusados de matar cabo e soldado em Buruticupu

Da esquerda para a direita: Sd. Gladstone, Ten. Josuel e Sd. Viana

A Polícia Civil já prendeu dois dos acusados de matar os policiais militares Carlos Alberto Constantino Sousa e Júlio César da Luz Pereira.

Eles desapareceram no dia 17 de novembro do ano passado  2016, em Buriticupu.

Os presos também são militares: o tenente Josuel de Aguiar – que foi preso dentro do Comando Geral da PMMA, na noite de ontem (30) – e o soldado Tiago Viana.

Há um terceiro envolvido, Gladstone Sousa, que tem cinco dias para se apresentar antes de ser considerado foragido pela polícia.


9 ideias sobre “Veja quem são os PMs acusados de matar cabo e soldado em Buruticupu

  1. É cada vez mais difícil acreditarmos numa Polícia que tem como principais funções, prevenir e coibir a ocorrência de crimes, garantindo a incolumidade das pessoas, em razão do elevado número de assassinos que corroem a Instituição Policial, seja ela Militar ou Civil.

  2. A polícia deu um show neste caso. Coisa de cinema. Parabéns. Justiça seja feita. Só precisa melhorar agora as ações preventivas. São Luís está violentíssima. É bom saber que as forças de segurança são eficientes em elucidar crimes violentos. Mas é preciso ampliar e melhorar ainda mais a sua capacidade de proteger a sociedade preventivamente desses crimes. Precisamos de mais policiamento ostensivo e de ações preventivas de segurança. Mas, sem dúvida alguma, neste caso a polícia está de parabéns. Show de bola.

  3. isso e engraçado agora so dois sumidos são tratados como vitimas mais na verdade eles era traficantes desfaçados de policia quantas vitimas esse dois fizeram ate mulher gravida foi vitima dos dois nuca teve investigação agora são tratado como bonzinho bando de bandido mais hoje a população de Buriticupu sente paz sem os dois na cidade sem fala nas denuncias na corregedoria contra os mesmo outro fato importante pratrimonio incompatível com salários dos mesmo. resumido todos sabe que era eles.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *