Lava Jato: subprocurador livrou Flávio Dino; Janot queria investigação

Não foi o procurador-geral da República, Rodrigo Janot, quem livrou o governador do Maranhão, Flávio Dino (PCdoB), de um pedido de investigação no âmbito da Lava Jato.

O comunista foi acusado de ter recebido R$ 200 mil “por fora” na campanha de 2010, em troca de sua atuação na Câmara dos Deputados, a favor de projeto de interesse da Odebrecht.

Nesta quarta-feira (30), a coluna Painel, da Folha de S. Paulo, informou que o pedido da PGR encaminhado ao Superior Tribunal de Justiça (STJ), no caso do governador maranhense, foi pelo arquivamento das investigações – o STJ ainda precisa decidir, mas é improvável que, nesse tipo de caso, algum ministro desconsidere o parecer ministerial.

A manifestação da PGR pelo arquivamento é de autoria do subprocurador-geral José Bonifácio de Andrada, atualmente no cargo de vice-procurador-geral da República.

Foi ele o responsável por instruir o processo antes do envio ao STJ (reveja).

Janot pediu investigação

Ao contrário de Bonifácio, o procurador-geral, Rodrigo Janot, havia pedido que se investigassem os termos das delações dos ex-executivos da Odebrecht.

Em março, quando encaminhou ao STF as petições referentes aos termos de declarações de membros e ex-membros da empreiteira, Janot fez três pedidos ao ministro Edson Fachin, relator da Lava Jato no STF.

O procurador-geral queria que o Supremo reconhecesse sua incompetência para julgar o caso, que o sigilo das delações fosse levantado e que todo o material colhido nos depoimentos fosse “utilizado perante o foro competente, o Superior Tribunal de Justiça”.

Não instruiu

Em contato com o Blog do Gilberto Léda no final do mês de junho, a assessoria de imprensa da PGR explicou por que o caso do governador do Maranhão foi despachado a outro procurador.

Segundo a assessoria, ao pedir a remessa ao STJ dos caos de delatados que não têm foro no STF, Janot não instruiu logo os inquéritos – o que coube a Bonifácio em relação a Flávio Dino.

“Quando o Janot fez a análise das delações da Odebrecht, aqueles fatos que efetivamente eram tema do Supremo ele já instruiu o pedido de abertura de inquérito. Nas outras petições, ele só narra o fato e pede pra ser analisado pelo STJ, ele não instruiu o inquérito”, destacou a assessoria.


7 ideias sobre “Lava Jato: subprocurador livrou Flávio Dino; Janot queria investigação

  1. Nada impede que o STJ entenda que as investigações devem retornar a PGR para prosseguir, já no comando da nova procurador-geral da República, Raquel Dodge, que deverá enviar os autos a PF para indiciar o Cuba.

  2. KKKKKKKKKKKKKK “Janot queria a continuidade, mas um outro Procurador pediu arquivamento”. Se isso fosse verdade, grande coisa! Que diferença faz? Bloguerinho Tú és um comédia mesmo né?. Tentando criar novo factóide dentro de uma matéria que esgotou, não tem mais jeito. Perdeu de novo Playboy. Parte para outra, Inventa outra. Não ganha uma. KKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKK

Comentários encerrados.