BNDES confirma que Flávio Dino pediu estudo de privatização da Caema

Um documento emitido no dia 5 de setembro pelo BNDES confirma o que o governador do Maranhão, Flávio Dino (PCdoB), passou tanto tempo tentando negar: partiu dele a solicitação para que a Companhia de Saneamento Ambiental do Maranhão (CAEMA) fosse incluída no Programa de Parcerias para Investimentos (PPI) com o objetivo de privatizá-la.

A informação consta de um aviso do BNDES anunciando a intenção de revogar certame de contratação de empresa para realizar o serviço técnico para consulta e preparação de desestatização do órgão.

O pregão ocorreu em março e teve o resultado confirmado em abril. O vencedor foi o consórcio ACQUA, liderado pela sociedade BF CAPITAL ASSESSORIA EM OPERAÇÕES FINANCEIRAS LTDA, que apresentou proposta de mais de R$ 8,5 milhões.

Ao anunciar a possível revogação da licitação, o BNDES acabou revelando que partiu de Flávio Dino a “solicitação original” pelo início dos estudos de privatização e que também foi dele o pedido para que esta solicitação seja desconsiderada.

“As razões que motivaram tal posicionamento residem no encaminhamento, pelo Governador do Estado do Maranhão, do Ofício nº 137/2017-GG, solicitando que seja desconsiderada a solicitação original de inclusão do projeto de desestatização dos serviços de água e esgotamento sanitário no Estado do Maranhão e da Companhia de Saneamento Ambiental do Maranhão (CAEMA) no Programa de Parcerias para Investimentos (PPI)”, diz o documento (baixe aqui).

Duas palavras

O documento acaba por desmentir o comunista. Em janeiro, quando O Globo mostrou em reportagem que a Caema estava entre as empresas estaduais incluídas no programa de concessões em saneamento do governo federal, Dino apressou-se em desmentir que tenha partido do Palácio dos Leões a ideia.

“O BNDES consultou-nos sobre o seu desejo de fazer estudos técnicos e sugerir eventuais caminhos para aumentar serviços de saneamento. […] Não teria lógica nem ponderação impedir estudos técnicos que serão feitos por instituição importante e séria, no caso o BNDES”, disse.

O BNDES, agora, mostra que, também nesse caso, Flávio Dino tem duas palavras.

Informações

O documento do BNDES foi apresentado nesta semana na Assembleia Legislativa, por membros da base governista na Casa.

Querem com isso evitar que a Caema precise responder a um pedido de informações aprovado em plenário no dia 1º de agosto, por meio do qual se pedem informações sobre o processo de privatização (relembre).


5 ideias sobre “BNDES confirma que Flávio Dino pediu estudo de privatização da Caema

  1. Meu caro blogueiro, o Governador se de fato tenha pedido um estudo de viabilidade para a realidade financeira da CAEMA, o fez nas melhores intenções para a garantia da viabilidade da gestão pública para o Estado, para a sociedade e para a população. É que durante todos os desgovernos passados, exceto o governo do Dr. Jackson, ligados ao esquema da oligarquia Sarney, roubaram e assim a CAEMA.

  2. ????? Pedi estudo demonstra a responsabilidade do gestor com a coisa pública. Eu acho que vc já está ganhando um cascalho por fora , como na prefeitura, para bajular o governador do estado.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *