Procurador é encontrado morto na Península da Ponta d’Areia

O corpo do procurador do Ministério Público do Trabalho Ítalo Rodrigues Ferreira, de 37 anos, foi encontrado hoje na área de praia da Península da Ponta d’Areia.

A informação é da Polícia Militar.

O corpo foi avistado por pessoas que faziam caminhada pela areia hoje (6) cedo.

O Corpo de Bombeiros e o Instituto Médico Legal (IML) estiveram no local. Ainda não há informações sobre em que circunstâncias o procurador morreu.

 

Nota de pesar

Com profundo pesar, o Ministério Público do Trabalho no Maranhão (MPT-MA) comunica o prematuro falecimento do procurador do Trabalho Ítalo Ígo Ferreira Rodrigues. Toda a equipe do MPT-MA se solidariza com familiares e amigos e compartilha o mesmo sentimento de dor.

A atuação do procurador do Trabalho Ítalo Ígo Ferreira Rodrigues foi marcada por dedicação, comprometimento, profissionalismo e postura incansável na defesa dos direitos fundamentais dos trabalhadores.

Nossa instituição perde um membro apaixonado pelo que fazia, e, sobretudo, um amigo, querido e admirado por todos.

Histórico no MPT-MA

Ítalo Rodrigues entrou no MPT-MA em 2006, como analista processual. Em 2010, foi aprovado no concurso público para procurador do Trabalho. Atuou nas Procuradorias de Bacabal e Imperatriz e, atualmente, estava lotado em São Luís..

Velório

O velório do corpo do procurador do Trabalho Ítalo Ígo Ferreira Rodrigues ocorrerá na tarde desta sexta-feira (6), na Central de Velórios da Pax União, na Rua Grande (Centro). O sepultamento será no Cemitério Memorial Pax União, em Paço do Lumiar.


3 ideias sobre “Procurador é encontrado morto na Península da Ponta d’Areia

  1. Prezado Gilberto Leda, tendo em vista que você como jornalista é um formador de opinião, peço-lhe que tente descobrir as razões que levaram esse jovem (37 anos) Procurador do Trabalho tirar a própria vida, afinal ele era muito jovem, inteligente (passou em um concurso difícil), com um salário superior a R$ 30.000,00 (trinta mil reais); teria sido uma desilusão amorosa? teria sido problemas financeiros? teria sido algum caso homoafetivo mal resolvido? tudo isso o povo quer saber.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *