Estudante do Ceuma reafirma denúncia contra Duarte Júnior

O estudante de Direito João Batista dos Santos Filho, que é citado numa notícia de fato protocolada na semana passada pelo advogado de Thiago Brhanner contra o professor Duarte Júnior (PCdoB), do UniCeuma – por abuso de poder político e promoção pessoal (saiba mais) – reagiu ontem (15) a uma nota de desagravo emitida por um outro grupo de alunos da faculdade (veja aqui).

Ao Blog do Gilberto Léda, também por meio de comunicado escrito, ele reafirmou a denúncia feita antes e refutou o “lamento” dos colegas de turma.

João Batista fez ainda uma revelação: em nome de Duarte Júnior, uma líder da turma pediu que os colegas se mobilizassem tentando desmentir a notícia a respeito representação protocolada contra o professor.

O caso

Duas semanas antes de deixar o cargo que ocupava no governo de Flávio Dino (PCdoB), diz a denúncia de Thiago Brhanner, o ex-presidente do Procon-MA montou equipes com alunos de sua disciplina, cujo objetivo era recrutar pessoas em periferias de São Luís para que fossem retirar CPG, RG e título de eleitor em um shopping da cidade. Depois disso, as pessoas levadas para tirar documentos teriam direito a assistir a um filme no cinema.

Na denúncia também constam conversas de grupo de Whatsapp, nas quais os alunos reclamam da ação e afirmam que somente participaram porque valia ponto na disciplina.

Também conta na representação feita a PRE, que foram disponibilizados ônibus para levar os moradores das comunidades, que após retirar somente título de eleito – já que o sistema para retirar demais documentos estavam fora do ar – Duarte Júnior foi pessoalmente a ação do projeto jovem Cidadão feita pelos universitários.

Brhanner pede que a procuradoria eleitoral investigue a denúncia e aplique as sanções ao ex-diretor do Procon.

Abaixo, a íntegra da nota de João Batista dos Santos Filho.

_________________

Venho a público, REFUTAR a nota de “LAMENTO” que os alunos da minha turma de Direito da Universidade Ceuma, publicaram, em “solidariedade” ao ex dirigente do Procon e do Viva, a pedido dele próprio – Duarte Jr.

MOTIVO DA RETRATAÇÃO DOS ALUNOS.

No dia 12/04/2018, pela manhã, Duarte Jr, ao tomar conhecimento da matéria do jornal o Estado do Maranhão (na qual fui citado), envolvendo seu nome na denúncia que pede investigação sobre possível “uso da máquina pública pra fins de promoção pessoal”, entrou em contato com a Líder da turma, a aluna SARAH MEL, pedindo a esta que convencesse os demais alunos a fazerem uma retratação pública, por meio de “post’s”, dizendo que a referida matéria havia sido feita de forma mentirosa.

Abaixo, a TRANSCRIÇÃO, da fala da líder SARAH MEL, extraída do áudio, em que esta se reportou à turma por meio do Whatsapp dos alunos pedindo a estes conforme as orientações do ex professor Duarte. – a Fala da líder:

DUARTE FALOU COMIGO, BEM TRISTE, E PEDIU PRA QUE OS ALUNOS FIZESSEM POST’S DIZENDO QUE O QUE FOI RELATADO NO JORNAL FOI DE FORMA MENTIROSA, PORQUE DISSE QUE ISSO TÁ AFETANDO MUITO A IMAGEM DELE E ELE QUERIA QUE A GENTE FIZESSE ISSO AÍ… EU ACHO QUE SERIA BOM, PORQUE, ‘PUTA QUE PARIU’, TA, ESSE, ESSE, ESSE ADVOGADO PERSEGUE MESMO ELE, SE VOCÊS PRESTAREM ATENÇÃO. EU SEI AS COISA QUE ACONTECERAM NA SALA E TUDO… MAS, GENTE, ISSO FOI DEMAIS PÔ, ISSO SAIU DO CONTROLE”.

É de clareza solar que os fatos perpetrados pelo ex dirigente do Viva e Procon, no âmbito acadêmico são verdadeiros e que a nota dos alunos que, assim como eu, lutaram para o Duarte sair da turma, tal como ocorreu, foi apenas um gesto de indulgência, dó e piedade em face do apelo do mesmo. Os fatos existem, não havendo, portanto, nenhum tipo de “perseguição política”.

DOS FATOS

Sustento que as declarações que prestei para o jornal o Estado, no dia 11/04 do mês em curso, e publicado no dia seguinte (12), o fiz em MEU PRÓPRIO NOME, na qualidade de ALUNO ora prejudicado pela falta de coerência e compromisso do aludido professor. Ele chegava atrasado pra suas aulas em mais de 1 (uma) hora, por causa do PROGRAMA que apresenta ou apresentava, no horário da aula, numa emissora de rádio de São Luís. A aula era pra ter início às 08:30, mas só começava a partir das 09:30 da manhã. Ademais, não bastasse esse prejuízo relativo à CARGA HORÁRIA, pelo excessivo atraso do professor, o mesmo passava a maior parte do tempo restante só falando das “políticas públicas” do governo do Estado e da atuação dele próprio à frente do Viva e do Procon. Ele cometeu tanto desiderato que perdeu a noção do ridículo: LEVOU OS ALUNOS SEM CUMPRIR O PROTOCOLO DA UNIVERSIDADE, pois deveria ter comunicado a Instituição para que os DISCENTES viessem estar ACOBERTADOS PELO SEGURO, em face da realização de atividade EXTERNA, cuja NOTA atribuída por ele era de 2 (dois) pontos para o aluno que participasse.

Por todo o exposto, a líder alhures citada, em nome da maioria dos alunos foi à coordenação e solicitou à substituição de professor Duarte Jr, já que NÃO cumpria a Ementa do Curso, tampouco o horário das aulas. De modo que ele foi RETIRADO, inclusive de outras turmas do período NOTURNO.

Conforme declarei ao o Estado, NÃO participei da “atividade” EXTERNA, pois já sabia que esta não guardava pertinência com a Ementa do curso, cuja “meta” seria para cada equipe REUNIR de 30 a 50 pessoas nas comunidades carentes pra tirar RG, CPF e TÍTULO DE ELEITOR, destes, somente o TÍTULO foi expedido. Em seguida as pessoas, bastante insatisfeitas, e se sentindo usadas, conforme as conversas dos próprios alunos no grupo, foram levadas ao CINEMA.

CONSEQUÊNCIAS DOS FATOS

No dia 21 de março de 2018 (quarta-feira), o Coordenador do curso de direito, foi à nossa turma para solucionar o problema instaurado pelo então professor Duarte Jr, junto a seus alunos. Oportunidade em que, com a anuência dos demais discentes, me reportei ao nosso Coordenador e declinei os problemas existentes, bem como o objetivo principal de todos que era a substituição do professor em apreço. Ato contínuo, Duarte adentrou na turma enquanto o Coordenador falava conosco. Na ocasião, o Coordenador pediu para o ex professor e sair da sala por 5 minutos pra que não ouvir a conversa e assim evitar constrangimento; o que, foi atendido prontamente, mas num gesto de deslealdade com todos e do modo sorrateiro, Duarte Jr deixou o celular GRAVANDO a conversa. Isso não é ético e nem moral, mas IMORAL.

Por fim, RATIFICO tudo que afirmei e declarei, e acrescento que estou a inteira disposição do Ministério Público e das autoridades em geral, para prestar todo e qualquer esclarecimento afim de homenagear a justiça.

ALUNO: João Batista dos Santos Filho.


14 ideias sobre “Estudante do Ceuma reafirma denúncia contra Duarte Júnior

  1. Quer ser deputado a qualquer custo, mas esse serviço no Procon não lhe garantirá votos, caso não tenha bases no interior, a ajuda de alguns prefeitos e recurso para a campanha sua vontade será dificilmente alcançada.

    • Está enganado que esse candidato não tem voto no interior, o camarada é esperto e usa a máquina do governo direitinho, inaugurou mais de quinze postos do Procon no interior, e todos são comandados por seus indicados e consequentemente cabos eleitorais, e assim como usa o órgão usa a Universidade onde é professor como também promove todos os meses no Pátio Norte umas ações “onde ministra palestras” para jovens recrutados principalmente em escolas públicas e na periferia para enaltecer seus feitos como presidente do órgão e ao término oferece uma sessão de cinemas com pipocas aos mesmos, enfim usa e abusa do cargo que tem sem que ninguém e principalmente os atuais deputados que não enxergam o mesmo como um concorrente astuto.

      • Exatamente, nesse projeto Jovem Cidadão Duarte Jr faz todos esses adolescentes/estudantes de escolas públicas tirarem título de eleitor, mas ele só informa que o projeto é para tirarem CPF e RG, quando na verdade é para fazer campanha política desde o início desse projeto no ano passado com adolescentes que são facilmente manipulados e ludibriados e em troca os estudantes assistem um filme de graça no cinema do Pátio Norte. Um canditado que tem acesso fácil a confecção de título de eleitor é no mínimo estranho, sem contar que para aumentar o eleitorado ele ainda utiliza dos contatos que fez com os diretores de escolas públicas para ter acesso a esses estudantes imaturos e manipuláveis.

  2. O sujeito não tem limite. Usou organização pública para se auto promover, e não satisfeito, manipulou alunos universitários para angariar votos. Se eleito deputado, fará coisas piores, com certeza.

  3. Gilberto, sou leitor assíduo do seu blog e venho acompanhando essa novela desde seu primeiro post, daí me pergunto: qualé a desse cidadão, o aluno João Batista, se ele sequer participou da atividade? Onde ele quer chegar? Será q o cunho político, não é ele mesmo q está a praticar juntamente com esse advogado casqueiro? Seria o Sr João Batista partidário e a serviço de alguém? Ou seria ele somente um famoso “impata foda” ???

    • Alguém está sentindo na pele o que fez durante este tempo à frente de um órgão público.. .pensou q seu poder era absoluto e que a sua manipulação não seria contestada. Que bom q tem alunos de Direito q ainda sabem o curso q estao fazendo e não se deixam manipular por alguns pontinhos ou por estágios ou cargos a patentes no viva…

    • Grande equívoco da sua parte, você deve ser desses que olha Duarte nas propagandas, como tem muita gente achando que ele é um garoto bonzinho, mas quem está no dia dia com ele sabe muito bem quem ele é, jurava para todos que não sairia candidatos, mas os que estavam todo tempo atentos sabiam que estava faltando com a verdade e foi comprovado com sua saída dos órgãos e não é só ele tem secretários que pegaram secretarias justamente para se promoverem, o rapz está correto em não fazer parte.

  4. Política se faz e se debate no campo das idéias, isso serve tbem pro Sr Duarte Jr, caso ele esteja usando seus alunos como massa de manobra, e aos alunos do curso de direito, q fique o exemplo claro e límpido do q é a política, e do q é ser advogado nesse país.

  5. Perseguição é a palavra que resume toda essa matéria oportunamente criada por um jornalzinho com histórico de perseguição, por isso, tem o meu total descrédito. A família Sarney institucionalizou e aprimorou a mentira no Maranhão, por meio do seu pasquim, colocando cabresto nos seus jornalistas para escreverem o que bem entendem e mintam, conseguindo, não sei como, seguidores fiéis para concordar com essas notícias.

    • Essa lengalenga de “familia sarney” não cola mais. Na verdade quem comanda toda a mentira no Maranhão são os membros do governo “fake news” da BESTA FERA DINOssauro.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *