Base comunista veta pedido de informações sobre centros de hemodiálise

A base aliada ao governador Flávio Dino (PCdoB) na Assembleia Legislativa não deixou passar, hoje (20), um requerimento de informações da deputada Nina Melo (MDB) sobre o andamento das obras de construção de centros de hemodiálise no Maranhão.

A emedebista queria que o titular da Secretaria de Estado da Saúde (SES), Carlos Lula, apenas informasse a previsão de conclusão das obras – que parecem intermináveis.

O pedido de Nina já havia sido rejeitado pela Mesa Diretora, mas ela recorreu ao plenário, onde a base governista fez valer sua força e impediu a aprovação do requerimento.

Mortes

A crise da hemodiálise do Maranhão arrasta-se desde o início do governo. Em maio, por exemplo, três pacientes de Arari morreram numa acidente na BR-135, quando se dirigiam a São Luís para tratamento, porque não há um centro mais próximo da sua cidade (reveja).

Enquanto isso, desde 2015 clínicas de hemodiálise em sete cidades do Maranhão seguem sem inauguração. Segundo denúncia de janeiro deste ano, publicada no G1 Maranhão (relembre), o Governo do Maranhão reservou quase R$ 7 milhões para as obras e os contratos foram assinados em 2014, mas nenhuma clínica foi entregue até hoje.

Em Pinheiro e São José de Ribamar as obras estão lentas. Já em Chapadinha as obras ainda nem começaram. A obra deveria ter sido iniciada em 2014. O valor total da obra na cidade é de R$ 2,41 milhões e o prazo de entrega era de 180 dias.

__________________Leia mais
Governo Flávio Dino gastará R$ 820 mil com WhatsApp
Jornal Nacional mostra obras de centros de hemodiálise paralisadas
Andrea diz que Flávio Dino paralisou obras de centros de hemodiálise
Pacientes de hemodiálise enfrentam via-crúcis no Maranhão

No ano passado, o Governo do Maranhão divulgou nota prometendo iniciar a construção das clínicas de Chapadinha, Coroatá, Santa Inês e Imperatriz no mesmo ano. A Secretaria de Saúde também prometeu inaugurar pelo menos três novos centros de hemodiálise.

Na época, Jane Araújo, chefe da Assessoria Jurídica da Secretaria de Saúde do Maranhão alegou que as obras paralisaram por causa de adequações nos projetos.

“Os projetos tiveram que ser revistos. A obra paralisou para adequar as normas do Ministério da Saúde, adequar as normas da Vigilância Sanitária… e nós estamos inaugurando três dessas clínicas na grande São Luís. Até o final do ano vamos ofertar 111 novas vagas”, afirmou Jane em Junho de 2017.As obras seguem paradas e há paciente que morreu durante o período.


Uma ideia sobre “Base comunista veta pedido de informações sobre centros de hemodiálise

  1. Pingback: Justiça sequestra R$ 1 milhão do Governo do MA para conclusão de centro de hemodiálise - Gilberto Léda

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *