COLUNA DO SARNEY: Olhem o Senado

Nas eleições atuais, com a reforma eleitoral que foi feita – aliás, péssima -, há um esquecido, a que todo mundo aspira, mas ninguém se aprofunda no seu significado e na sua importância. Ele é a cúpula do regime democrático e representa a união dos estados, aquilo que chamamos Federação. Tão importante que na Constituição a primeira disposição intocável é a Federação. E o que representa e expressa a Federação é o Senado. Lá todas as unidades são iguais, têm todas direito a três senadores; lá São Paulo, com todo seu poderio econômico, é igual ao Acre, Roraima igual a Paraná, Rio de Janeiro, Rio Grande do Sul.

O Senado evita que os estados menores sejam massacrados pela junção dos maiores, daí porque cada lei que ali é votada representa os interesses de todos.

O Senado não é lugar para aventureiros, demagogos ou principiantes. A sua história de 192 anos assegura que ele tenha sido o responsável pela unidade nacional, pois ali foi que o país se fez na estrutura geográfica que hoje tem. Ali foi feita a organização política do país. O Brasil, ao contrário da América espanhola, não teve a sua independência, nem a grandeza do seu território de quinto país do mundo, conquistado em batalhas, como a de Carabobo, a de Boyacá, a de Ayacucho, como aconteceu com a Grã-Colômbia, nas mãos de Bolívar, o Napoleão das Américas, mas pelo patriotismo e o espírito civilista de políticos como José Bonifácio, Diogo Antônio Feijó, Bernardo Pereira de Vasconcelos, sem esquecer-nos de que estes de nada valeriam se não fosse essa figura excêntrica e indevassável de dom Pedro I, que foi, ao mesmo tempo, responsável pela separação com Portugal, pela unidade nacional e, além-mar, saindo do Porto, tuberculoso e herói, por expulsar do trono o reacionário Dom Miguel, seu irmão, tendo nele colocado sua filha, Maria da Glória, isto é, dois monarcas, uma, rainha de Portugal, o outro, imperador do Brasil, Dom Pedro II. É de Capistrano de Abreu a constatação de que, ao Senado e ao poder moderador, devemos a construção do Brasil.

O Maranhão sempre teve grandes nomes naquela Casa. Eu mesmo incorporo o título de ser o senador que mais tempo esteve no Senado republicano. Por ali passaram Gomes de Castro, de quem Rui Barbosa dizia ser um dos maiores oradores do país; Cândido Mendes de Almeida; Urbano Santos da Costa Araújo, duas vezes vice-presidente da República. No Senado nasceram todas as grandes obras que o estado do Maranhão obteve desde o Império até à República.

O Senado é formado, em grande parte, por ex-governadores e ex-ministros: ali é necessário se ter capacidade, experiência e prestígio.

Não vamos, portanto, esquecê-lo na hora de escolher e votar.

José Sarney


11 ideias sobre “COLUNA DO SARNEY: Olhem o Senado

  1. aqui em coroata 16-09-2018 as 10.50.horas manha os policiais de flavio dino estao parando motos e aprendendo enfrente ao comiter de andreia murad e um governo que passa por cima das leis fora dino fora dino fora dino chega de tanto abuso

  2. Kkkkkkkkkkkkkkkkk
    Coloca meu filhinho lá pelo amor de Deus kkkkkkkkkkkkkkkkk Santa paciência .
    Se dependesse só de mim não iria nem o Lobão nem o filho .
    Renovação já!!

  3. Esse velho Sarney não tem vergonha. Ele fala diretamente que quer para votar no velho Lobão e no Sarney Filho!
    Cara, como pode ser tão cínico desse jeito?!
    Ainda bem que Eliziane e Weverton vão ganhar junto com Flávio Dino.
    Sarney que se cuide em fazer consultas no sírio libanês.

  4. Tanta experiência que o Maranhão possui os piores indicadores econômicos do país.
    Se os maranhenses dependerem dos ex-ministros que tem como suplente um filho que acorda às 09:00hs para trabalhar e outro que a vida inteira a vitória nas urnas foi para deputado federal nas coxas do pai, aí meu amigo Sarney os maranhenses estão mesmo é ferrado com este governo do seu grupo político. Mas Deus é maior e creio que nesta eleição haverá uma basta a experiência que o povo não merece viver.

  5. “O Maranhão sempre teve grandes nomes naquela Casa. Eu mesmo incorporo o título de ser o senador que mais tempo esteve no Senado republicano.”
    Ao ler essa frase dita pelo “Excelentíssimo” senhor ex-presidente(título este obtido infelizmente devido ao falecimento de Tancredo Neves) e ex-Senador(na maioria das vezes pelo Amapá, porque se fosse no MA não sei não) chega a ser cômica e intrigante.
    Esteve no Senado Federal por não sei quantos anos(creio que uns 30 anos ou mais) e o que foi que esse cara fez de bom para o Maranhão? A única coisa que fez foi deixar o estado, juntamente com os seus aliados na mais total pobreza, miséria, falta de saúde, educação, segurança e por ai vai.
    Se Deus quiser nem Lobão(investigado na Lava Jato) e Sarney Filho serão eleitos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *