Barra do Corda recebe Daniella Tema de braços abertos

“Estamos recebendo nossa futura deputada  de  braços abertos. O povo de Barrado Corda está com Daniella Tema. É uma mulher vibrante, com muito conhecimento e que vai ajudar nossa região na Assembleia Legislativa, assim como o esposo dela, o prefeito Cleomar Tema vem ajudando Tuntum ao longo de cinco mandatos”.

Essa foi a afirmação da dona de casa Mariana Ferreira, durante a caminhada que fez ao lado da candidata a deputada estadual Daniella Tema, no centro comercial de Barra do Corda, nesta sexta-feira (21), quando a postulante a uma cadeira no  Parlamento Estadual foi recebida efusivamente pela população cordina.

Acompanhada pelo esposo, o prefeito de Tuntum e presidente da Famem, Cleomar Tema, além de várias lideranças de Barrado Corda, Daniella fez uma rápida caminhada pela sede do município e visitou o centro comercial do município.

Esteve também na feira da cidade. Por onde passou, foi aplaudida pelo povo e pelos comerciantes. Abordado pela equipe de comunicação da campanha, o autônomo José Farias de Azevedo afirmou  não ter a menor dúvida quanto à vitória de Daniella Tema.

“Ela tem carisma, fala muito bem e nós, aqui da Barra, sempre lembramos do período em que ela dirigiu o Hospital Regional de Presidente Dutra. É uma mulher competente e que com certeza irá nos representar na Assembleia Legislativa”, disse José Farias.

Emocionada, a candidata disse que sempre foi tratada com carinho pela população de Barra do Corda. “É como se eu estivesse em minha própria casa. O povo desta cidade tem um carinho muito especial por mim e isso é um sentimento recíproco”, afirmou Daniela Tema.

Além de sua equipe, ela esteve acompanhada em Barra do Corda pelo vereador Aurean Barbalho, os ex-vereadores Dora Nogueira e Chico do Rosário, pelo superintendente regional do governo no município, Leocádio Cunha e pelo líder Mário Carvalho. Em sua despedida, Daniella Tema disse que jamais esquecerá  a atenção que sempre recebeu da população de Barra do Corda.


5 ideias sobre “Barra do Corda recebe Daniella Tema de braços abertos

  1. MATÉRIA DA REVISTA FORUM: 21/09/18.
    As políticas de José Sarney inspiraram um clássico da literatura brasileira sobre questão agrária: “Grilagem – corrupção e violência em terras do Carajás“, de Victor Asselin. No fim dos anos 60, aquele jovem político disparou a distribuir terras públicas, onde viviam camponeses. Entre os beneficiários, grileiros de todo o Brasil, numa escola que vinha do Paraná e passava por Goiás. Iniciava-se um domínio político no Estado que só foi interrompido – salvo uma gestão relâmpago de Jackson Lago – pelo atual governo de Flávio Dino (PCdoB), candidato à reeleição.

    Cinquenta anos depois, a família do ex-presidente vê na ex-governadora Roseana Sarney (MDB) a chance de retomada do feudo. Em 1966, o cineasta Glauber Rocha gravou um documentário sobre a posse de José Sarney, a pedido do amigo governador. As promessas de combate à miséria foram sendo substituídas por um domínio coronelista no estado, onde ficam hoje 70 dos 100 municípios mais pobres do Brasil.

    A palavra “comunista” na sigla PCdoB não significa que a gestão Dino esteja descolada dos interesses ruralistas. Alguns membros da Frente Parlamentar da Agropecuária (FPA), como os deputados federais André Fufuca (PP) e Cleber Verde (PRB), têm influência direta no governo estadual, inclusive no Instituto de Terras do Maranhão (Iterma) – um velho conhecido da família Sarney.

    Lei Sarney de terras gerou êxodo rural.

    No dia 15 de junho de 1969, saiu do forno o que viria ser conhecida como Lei Sarney de Terras. “Com a nova lei, facultava-se a venda das terras devolutas, sem licitação, a grupos organizados em sociedade anônimas, sem número limitado de sócios, podendo requerer cada um até três mil hectares”, conta Victor Asselin em seu livro. Estava em curso uma das maiores grilagens de terras da história do Brasil, numa área de 1,5 milhão de hectares conhecida como Fazenda Pindaré.

    Esses territórios eram ocupados por posseiros. No ano passado, no XXIX Simpósio de História Nacional, o historiador Roberval Amaral Neto, do Instituto Federal do Maranhão, observou que a lei significou a “institucionalização da grilagem nas terras maranhenses”. Entre elas, 9 milhões de hectares de terras devolutas na Amazônia Legal. Esse território, explica o pesquisador, era visto pela elite do estado “como a solução para modernizar o setor agrário maranhense”.

  2. Tem muito é …….. força e paciência, esse Tema não tem mais assuntos em palanque não, só fala agua em um microfone, ele agora é queimando os candidatos a Deputados, isso é feio e pega mal pra um político, fala mal dos outros pra pegar nome de bom, SEMPRE fez política assim falando mal dos outros, quando um Governador ganha ele pula pro lado de quem ganha, isso é feio, abraço Gilberto Leda seu blog ta de parabéns.

  3. Tema é mala ele apoia um Dep. Federal do lado da Roseana e um Senador do lado do Roberto Rocha, ele pensa assim quem ganhar eu passo pro lado do candidato que ganhar, ele só pensa em se dar bem na política quer passar por cima de todos, não tem consideração com nenhum político, o povo era pra fazer o mesmo com ele também não ter consideração com Ele, esse modelo de política que ele faz todos já sabem dessa fama dele, isso é feio no meio que ele vive, agora mesmo vai passar uma vergonha grande por que não vai eleger a esposa pra Deputada e vai ficar feio demais, na cidade dele a Dra. Cleide tomou 5 vereadores do lado dele, tem o Fernando Pessoa que vai liderar nos votos em Tuntum, na cidade dele vai passar vergonha nos votos .

  4. Barra do Corda vão a Tuntum saber quem é a 1° dama. Primeiro: não gosta de pobre. Não dar a mínima para os eleitores de Tuntum. Chama os eleitores de Tuntum até de urubus. Vcs não conhecem. Mas vcs tb não são flor que se cheire pq aí tem tantos candidatos q ajudam vc.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *