Presidente do Sindspem-MA apoia CPI de Pedrinhas

bombeiroO presidente do Sindicato dos Servidores do Sistema Penitenciário do Estado do Maranhão (Sindspem-MA), Cezar Bombeiro, declarou nesta semana ser a favor da abertura de uma Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) para apurar denúncias de que o Estado tem acordo com facções em Pedrinhas (saiba mais).

A proposta foi levantada há uma semana pelo deputado estadual Adriano Sarney (relembre).

Ao comentar postagem do Blog do Gilberto Léda, Bombeiro disse:

“Sndspem e Cezar Bombeiro apóia (sic) a CPI do Sistema Penitenciário do Maranhão dos anos 2013, 2014, 2015”.

E ainda provocou os parlamentares maranhenses. “Quem será o primeiro deputado a pedir a instalação da CPI… (sic)”, questionou.

3 ideias sobre “Presidente do Sindspem-MA apoia CPI de Pedrinhas

  1. Que pedido ridículo a CPI se achar necessário pode até estender os anos para investigar, sinceramente isso parece coisa de menino so faço e vc fizer. Isso é governo não é brincadeira.

  2. Sou literalmente de acordo que também seja instaurada tal CPI, quem sabe a partir dela esse cidadao Cesar Castro Lopes, alcunhado por “Cesar Bombeiro” que ja foi condenado civilmente por danos morais, sentenciado criminalmente por denunciacao caluniosa, sofreu penalidades administrativas no serviço público (pena que nao fora demitido em razao de ser um grande mal faz ao serviço público maranhense) e teve um caso estranhamente arquivado, asssim como atualmente responde a inquerito policial onde requerir abertura uma vez tomar conhecimento que o tal supostamente havia prometido ao ex-diretor da ccpj de Pedrinhas que, caso desse uma declaracao formal que estava eu por trás do video que foi estranhamente gravado na Época das eleicoes apontando o entao candidato Flavio Dino como integrante de uma quadrilha de assaltante de banco, amplamente divulgado durante o pleito e desmascarado pela célere investigacao policial realizada inicialmente pela SEIC e depois concluida pela Policia Federal, e que se assim o fizesse, ele, o supracitado Presidente do SINDSPEM, livraria o referido ex-diretor do presidio de uma demissao em face de está respondendo Processo Discolinar na Corregedoria do Sistema Penitenciario pelo fato acima citado, possa, esse ainda servidor público ser demitido e quiçá preso para responder por tudo de mal que tem feito ao serviço público maranhense, ao Maranhao e ao próprio Brasil, pois sua impunidade tem lhe gerado um status pseudamente de herói ante as ofensas praticadas e em nada se-lo atingido pelas garras da lei.
    Penso que as investigacoes da CPI deveriam iniciar a partir da data em que o Sistema Penitenciario foi entregue a gestao aos agentes penitenciarios, ainda na entao SEJUC, depois entregaram a Superintendencia e Secretaria Adjunta, cumindando com graves denuncias de corrupcao, espancamentos, torturas etc, tendo inclusive o assasinato de um preso chamado por “Matozao” que gerou até a saida da um agente penitenciario do cargo de Secretario Adjunto de Administracao Penitenciária uma vez haver sido acusado como sendo mandante do crime, embora as investigacoes não chegaram a essa conclusao, mas a partir dai, iniciaram-se as eclosoes de fugas, mortes, rebeliões, a chacina do Presídio Sao Luís I com 19 mortos e dezenas de feridos e “batismo” do nascimento de faccoes criminosas, mais epitetadas por “PCM” e Bonde do 50, com sucessivos desdobramentos nefastos de extremo dominio público.
    Assim, estou a inteira disposicao de qualquer orgao publico para colaborar e ter um dia a consciência livre, tranquila e serena, que os outros atores dos nefastos momentos que vivenciei combatendo todas as mazelas herdadas de gestoes passadas a frente da SEJAP, nao ficarao impunes.

    Sebastiao Uchoa – Delegado de Polícia Civil, Ex-Secretario da Sejap, adjunto do 6DP/COHAB

  3. Sou literalmente de acordo que também seja instaurada tal CPI, quem sabe a partir dela esse cidadão Cesar Castro Lopes, alcunhado por “Cesar Bombeiro” que ja foi condenado civilmente por danos morais, sentenciado criminalmente por denunciacao caluniosa, sofreu penalidades administrativas no serviço público (pena que nao fora demitido em razao de ser um grande mal ao serviço público maranhense) e teve um caso estranhamente arquivado, asssim como atualmente responde a inquérito policial onde requerir abertura uma vez tomar conhecimento que o tal supostamente havia prometido ao ex-diretor da ccpj de Pedrinhas que, caso desse uma declaracao formal que estava eu por trás do video que foi estranhamente gravado na época das eleicoes apontando o entao candidato Flavio Dino como integrante de uma quadrilha de assaltante de banco, amplamente divulgado durante o pleito e desmascarado pela célere investigacao policial realizada inicialmente pela SEIC e depois concluida pela Policia Federal, e que se assim o fizesse, ele, o supracitado Presidente do SINDSPEM, livraria o referido ex-diretor do presidio de uma demissao em face de está respondendo Processo Disciplinar na Corregedoria do Sistema Penitenciario pelo fato acima citado -possa, esse ainda servidor público ser demitido e quiçá preso para responder por tudo de mal que tem feito ao serviço público maranhense, ao Maranhao e ao próprio Brasil, pois sua impunidade tem lhe gerado um status pseudamente de herói ante as ofensas praticadas e em nada sê-lo atingido pelas garras da lei.
    Penso que as investigacoes da CPI deveriam iniciar a partir da data em que o Sistema Penitenciario foi entregue a gestao aos agentes penitenciarios, ainda na entao SEJUC, depois entregaram a Superintendência e Secretaria Adjunta, culminando com graves denuncias de corrupcao, espancamentos, torturas etc, tendo inclusive o assasinato de um preso chamado por “Matozao” que gerou até a saida da um agente penitenciario do cargo de Secretario Adjunto de Administracao Penitenciária uma vez haver sido acusado como sendo mandante do crime, embora as investigacoes não chegaram a essa conclusao, mas a partir dai, iniciaram-se as eclosoes de fugas, mortes, rebeliões, a chacina do Presídio Sao Luís I com 19 mortos e dezenas de feridos e “batismo” do nascimento de faccoes criminosas, mais epitetadas por “PCM” e Bonde do 50, com sucessivos desdobramentos nefastos de extremo dominio público.
    Assim, estou a inteira disposicao de qualquer órgão público para colaborar e ter um dia a consciência livre, tranquila e serena, que os outros atores dos nefastos momentos que vivenciei combatendo todas as mazelas herdadas de gestoes passadas a frente da SEJAP, não ficaram impunes.

    Sebastiao Uchoa – Delegado de Polícia Civil, Ex-Secretario da Sejap, adjunto do 6DP/COHAB

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *