Sedel tira TV Mirante da cabine central do Castelão; TV Guará ocupará vaga

miranteO secretário de Estado de Esporte e Lazer, Márcio Jardim (PT), anunciou ontem (30), por meio de suas contas nas redes sociais, que a TV Mirante não ocupará mais a cabine central de TV no estádio Castelão nos jogos do Campeonato Maranhense de Futebol.

Segundo ele, a Mirante ocupava o posto “desde sempre”, e agora cederá lugar à TV Guará.

Ainda de acordo com o secretário petista, a Sedel atendeu a um pedido formal da Federação Maranhense de Futebol (FMF), sob a alegação de que a Guará transmitirá os jogos do Maranhense ao vivo.

TRE cancela recontagem dos votos de Deoclides Macedo; Alberto Filho assumirá mandato

dep  alberto filhoA juiza eleitoral Alice de Sousa Rocha, do Tribunal Regional Eleitoral (TRE) do Maranhão, anulou hoje (30) a totalização dos votos do suplente de deputado Deoclides Macedo (PDT) e garantiu a posse de Alberto Filho (PMDB) como deputado federal no próximo domingo (1º).

A decisão é liminar.

Macedo teve 56.171 votos computados pelo TRE no dia 12 de janeiro, por força de despacho do presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), ministro Dias Toffoli.

O acréscimo da votação do pedetista havia garantido vaga direta de deputado a Julião Amin (PDT) e a consequente “queda” de Alberto Filho para a primeira suplência.

Com a liminar em mandado de segurança impetrado pelo peemebebista, a Justiça Eleitoral restabelece o resultado das eleições de outubro de 2014 e, assim, Julião Amin e Deoclides Macedo seguem como suplentes de deputados.

Flávio Dino tenta enrolar jornalista e toma “puxão de orelha”

dinoEssa foi hilária.

O governador Flávio Dino (PCdoB) tentou levar na conversa o jornalista Jorge Moreno, de O Globo, e tomou um tremendo “puxão de orelha” para todo o Brasil ver.

O jornalista iniciou uma conversa com o comunista por meio do Twitter, e pediu explicações sobre a revelação de que há parentes de assessores governamentais nomeados aos montes nas secretarias estaduais.

“Flávio Dino, botei confiança no seu governo. Não me deixe perdê-la pela denúncia de nomeações de parentes de assessores”, escreveu Moreno.

unnamedFlávio Dino tentou desconversar: “A denúncia é absurda. Basta ler a Sumula 13 do Supremo. Os servidores são efetivos. Não há nenhum parente meu, em lugar algum”.

O articulista de O Globo, então, não perdoou. E lembrou ao governador do Maranhão qual era o tema da denúncia.

“É sobre isso que este repórter, humildemente, lhe pergunta, governador Flávio Dino: o sr. nomeou parentes de seus secretários? A matéria, caro governador, não fala que há parentes seus nomeados. Pelo contrário, destaca isso, mas de secretários e assessores seus”, voltou a questionar.

Constrangido publicamente, Flávio Dino calou-se.

São Luís tem “novo vice-prefeito”

rochaO presidente da Câmara Municipal de São Luís, vereador Astro de Ogum (PMN), foi alçado hoje (30) ao posto de “vice-prefeito de fato” da capital.

Explica-se: como elegeu-se em 2014 senador da República pelo Maranhão, Roberto Rocha (PSB) renunciou hoje ao cargo de vice-prefeito, para o qual havia sido eleito em 2012.

Essa é uma exigência legal para que ele assuma o mandato no Senado.

A carta de renúncia foi entregue hoje cedo, ao prefeito Edivaldo Holanda Júnior (PTC).

Sendo assim, em caso de impedimento ou vacância do prefeito de São Luís, Ogum é o próximo na linha sucessória, o que o torna uma espécie de vice-prefeito.

Neto Evangelista é exonerado da Sedes

netoO deputado estadual Neto Evangelista (PSDB) foi exonerado esta semana da Secretaria de Estado de Desenvolvimento Social e Agricultura Familiar (Sedes).

Aos mais apressados, explica-se que o ato, no entanto, é mera formalidade.

Eleito para o segundo mandato parlamentar, o tucano precisava deixar o cargo no Executivo para tomar posse na Assembleia, no próximo domingo (1º).

A exoneração é datada do dia 28 de janeiro.

Após a posse e eleição da nova Mesa Diretora da Casa, Evangelista licencia-se do mandato no Legislativo, e volta à Sedes.

Dutra revela “incômodo” por nomeação de parentes de aliados no governo Dino

dutraO deputado federal Domingos Dutra (SDD), futuro secretário de Estado da Representação Institucional em Brasília, admitiu, em entrevista à Folha, que se não vê problemas jurídicos na nomeação de parentes de aliados para o governo Flávio Dino (PCdoB) – no que o impresso paulista chamou de “Grande Família” (leia aqui) – sente “incômodo” com a prática atualmente adotada pelo comunistas.

Dutra lembrou que o expediente ora utilizado era o mesmo justamente combatido por eles, quando na oposição ao grupo Sarney.

“Do ponto de vista jurídico, é evidente que não caracteriza nepotismo. Sob o ponto de vista político, não deixa de ser um certo incômodo, porque afinal de contas a gente vinha se debatendo com o grupo Sarney”, afirma o futuro secretário de Representação Institucional no DF, Domingos Dutra.

Como já revelado aqui, já foram nomeadas no governos as esposas do diretor do Detran e do futuro secretário de Minas e Energia, o filho de um dos maiores financiadores da campanha de Flávio Dino e até uma indiciada pela morte de estudantes.

__________________Leia mais

Indiciada por morte de estudantes ganha cargo no governo Flávio Dino

Dino diz que não sabia de indiciamento de adjunta, e garante apuração

Esposa de Zé Reinaldo é nomeada para a Corregedoria-Geral do Estado

Dedé Macedo emplaca o genro em alto cargo na Sinfra

Sinfra: nomeação de genro de Dedé Macedo ocorreu após análise de currículo

Sousa Neto aciona direção nacional por saída do PTN de bloco de apoio a Coutinho

De O Estado

sousaO deputado estadual eleito Sousa Neto (PTN) informou ontem, em entrevista a O Estado, que deu uma espécie de ultimato à direção nacional do partido: ou o comando determina a saída da legenda de um bloco formado com PSDC, PSC, PV e DEM – em apoio à candidatura de Humberto Coutinho (PDT) à presidência da Assembleia Legislativa – ou ele pedirá desfiliação.

“Espero até sábado para receber uma decisão final da Diretório Nacional sobre isso”, anunciou.

Neto reclama que não foi consultado sobre a formação do bloco e acusa o deputado reeleito Alexandre Almeida de haver confirmado a presença do PTN sem a sua anuência.

“Criaram um bloco, e eu digo criaram porque eu não fui consultado, apesar de ser do PTN, com PSDC, PSC, PV, PTN e DEM. Nesse quesito de composição de bloco eu não fui consultado em nada. Só fui comunicado, depois de confirmada a composição”, garantiu.

A O Estado, o deputado Alexandre Almeida disse, por telefone, estar em uma reunião quando acionado. Até o fechamento desta edição ele não havia retornado a ligação.

Sousa Neto acrescenta que ele e Almeida foram eleitos na base da ex-governadora Roseana Sarney (PMDB) – que apoiou o senador Edison Lobão Filho (PMDB) na campanha para o Governo do Estado – e que, portanto, o PTN deve fazer parte da oposição.

“O posicionamento do PTN hoje, em relação ao governo é de oposição. Não podemos, então, chancelar a candidatura a presidente do indicado pelo governador Flávio Dino”, completou.

Ele afirmou que formalizou uma manifestação de protesto à direção nacional da sigla.

“Comuniquei a direção nacional do PTN do meu protesto sobre essa atitude que o deputado tomou, sem me consultar, de colocar o partido num bloco de governo, se chamando de bloco independente, e me colocando numa situação desagradável porque eu sou oposição e não compactuo com isso”, finalizou.

Deoclides Macedo é diplomado suplente de deputado federal

diplomaO presidente do Tribunal Regional Eleitoral do Maranhão, desembargador Froz Sobrinho, diplomou nesta quinta-feira, 29 de janeiro, Deoclides Macedo como suplente de deputado federal eleito pela coligação “Todos pelo Maranhão 2” nas eleições 2014.

A diplomação certifica que o candidato cumpriu as formalidades previstas na legislação eleitoral e está apto a exercer o mandato. A prestação de contas dele foi aprovada com ressalvas na sessão jurisdicional do dia 27.

Em 12 de janeiro, o TRE-MA realizou o reprocessamento do resultado do 1º turno das eleições 2014 em cumprimento à decisão monocrática do ministro Dias Toffoli (presidente do Tribunal Superior Eleitoral) proferida na Ação Cautelar 1935-81.2014.6.00.0000.

O reprocessamento se deu para contabilizar os 56.171 votos recebidos por Deoclides Macedo, que concorreu sub judice ao cargo.

(Do TRE)