Decisão sobre pagamento dos servidores foi de Roseana, diz Ricardo Murad

O deputado estadual Ricardo Murad (PMDB) revelou que foi da governadora Roseana Sarney (PMDB) a decisão de rever o calendário de pagamento do servidor.

Pelo sistema proposto pelo secretário Fabio Gondim (Planejamento), os salários seriam pagos no segundo dia útil do mês subseqüente ao trabalhado.

Em sua página no Facebook, Murad explica que a governadora determinou “novo estudo” para que os funcionários “sejam pagos dentro do mês, como de costume”.

“Governadora Roseana determina novo estudo para que funcionários do Estado sejam pagos dentro do mês, como de costume. Secretário de Planejamento já anuncia pagamento de janeiro para o dia 28”, afirma Murad na rede social.

Gondim já havia concedido entrevista ao programa Ponto Final, do jornalista Roberto Fernandes, admitindo que a tabela de pagamento pode ser revista. Ele também confirmou que, já em janeiro, o salário deve ser pago de acordo com o calendário antigo.

Só não disse que ordem havia partido de cima.


3 pensou em “Decisão sobre pagamento dos servidores foi de Roseana, diz Ricardo Murad

  1. Parabens ao Secretario Gondim pela lucida percepção de que a medida era politicamente antipática e que podia proporcionar um desgaste desnecessário ao governo. O pagamento antecipado é uma praxe que se vem adotando ha mais de 20 anos. Essa prática não pode estar subordinada a rigidez do cronograma de desembolso do tesouro, mas sim, a uma politica de valorização do servidor público. Desse modo, não cabe a regra de que o pagamento pode ser efetuado até cinco dias uteis do mes subsequente. Isso vale para empresas. Por outro lado tem que haver uma data fixa pra o pagamento, o servidor já está acostumado a programar seus pagamentos em função do dia do pagamento do Estado. Um abç do Milton Calado

    • Milton,

      parabéns também aos jonalistas/blogueiros (em especial ao Marco D’Eça, que iniciou a grita geral) e ao deputado Ricardo Murad, que percebeu a insensatez da medida e também a combateu publicamente.
      Não fosse isso, duvido que o Gondim voltasse atrás por conta própria.

      Grato pela participação.

Os comentários estão fechados.