Balaios da Comunicação da AL querem comandar também o Comitê de Imprensa

Já não bastasse a manipulação das informações no site da Assembléia Legislativa – como muito bem expôs o blog do Jorge Aragão –, os balaios do setor de Comunicação da Casa querem, também, ter controle sobre o Comitê de Imprensa.

Desde o ano passado, é consenso que a nova direção da entidade – responsável pelas questões administrativas relacionadas ao trabalho da imprensa no Legislativo – deveria estar sob o comando de profissionais sem vínculo empregatício com a AL.

A intenção era justamente dar mais autonomia e liberdade ao Comitê, para que pudesse bater de frente com a direção da Casa na busca pela melhoria e valorização dos profissionais que cobrem as atividades parlamentares.

Se um funcionário da Assessoria de Comunicação da Assembléia assumir o posto, ele terá coragem o suficiente para peitar o presidente numa disputa pela classe – principalmente levando-se em conta que todos são servidores comissionados?

Foi essa a lógica que embasou o entendimento.

Mas os balaios não querem largar o osso.

Uma chapa única foi lançada semana passada. Trabalhou-se o consenso. Não deu certo. Os balaios querem ter controle total e já lançaram o colega Cunha Santos – outro balaio de marca maior – candidato a presidente.

Nada contra Cunha, um dos mais renomados jornalistas do estado.

Mas ele é funcionário da Casa, escreve para o site da Assembléia. Foge, portanto, do perfil admitido como o ideal desde que as discussões sobre o assunto se iniciaram, ano passado.

Mas, como eu disse, os balaios não querem largar o osso.

E, como são maioria, devem levar mais essa. A soldo de quê, saberemos apenas daqui a alguns meses.

A menos que Dulce Brito aja como deveria, e proíba servidores de se envolver na disputa – como foi acertado. Mas ela parece já estar sem controle algum sobre seus “comandados”.


0 pensou em “Balaios da Comunicação da AL querem comandar também o Comitê de Imprensa

  1. Acho que não preciso iniciar fazendo nenhum elogio ao seu trabalho, você sabe que eu reconheço a sua capacidade no presente e o bom caminho no futuro.
    Somente para entender, você vai entrar nesta de balaios e Sarneyzistas? Acho que não, você tem o seu estilo próprio.
    Fico pensando???? Será jornalistas que tem emprego nos órgãos do governo da Roseana pode participar deste comitê?
    A discussão é por liberdade de imprensa ou pelo enquadramento do presidente?
    Com admiração.

  2. Acho que não preciso iniciar fazendo nenhum elogio ao seu trabalho, você sabe que eu reconheço a sua capacidade no presente e o bom caminho no futuro.
    Somente para entender, você vai entrar nesta de balaios e Sarneyzistas? Acho que não, você tem o seu estilo próprio.
    Fico pensando???? Os jornalistas que tem emprego nos órgãos do governo da Roseana podem participar deste comitê?
    A discussão é por liberdade de imprensa ou pelo enquadramento do presidente?
    Com admiração.

    • Felipe,

      para que fique bem claro: o acordo era para que nenhum jornalista do quadro da Casa – eu disse nenhum, balaio ou sarneyzista – participasse do comitê. Justamente para garantir a liberdade do órgão nos embates com a presidência por melhorias das condições de trabalho.
      Não cumpriram o acordo.
      Quanto à questão balaios x sarneyzistas, negar que há essa dicotomia é fechar os olhos para a verdade.
      Lá na AL, todos nos respeitamos, mas com a plena consciência de que há militância política envolvida no processo.
      Abs.

  3. Meu caro, Gilberto, o problema dos balaios – encarnados agora também por Felipe Klant – é que a crítica à dicotomia só ocorre quando são eles que estão na berlinda. Quando a pressão é sobre os miranteanos, barricas, sarneyzistas ou seja lá como chamam, ninguém diz nada e até aplaude. Mas o fato é que, há pelo menos oito anos – de 2003 a 2011 – os jornalistas balaios tentam, de uma forma ou de outra – alijar os profissionais do Sistema Mirante (e simpatizantes) do processo de construção jornalística do estado. E só não conseguiram, ainda, pela força profissional, intlectual e midiática destes profissionais (entre os quais me incluo com absoluto orgulho).

    • É como eu disse: negar essa dicotomia é fechar os olhos para a realidade. Jornalista tomar partido ocorre em todo lugar do mundo. Aqui é exacerbado por conta da polarização Sarney X Oposição, e só. O resto é chover no molhado.
      Abs.

  4. O problema de vocês é a hipocrisia. O outro candidato, Alvaro Luiz, é também funcionário da Casa, é balaio e mesmo assim tem o apoio do quarteto endiabrático (Gilberto, Aragão, Matias e Deça). E aí? Acho que vocês estão é perdidos e por isso inventando chifre em cabeça de cavalo.

  5. Vejo que a disputa entre os jornalistas Sarneyzistas e Balaios vai longe, a minha dúvida está se somente no poder legislativo o critério de participação tem que ser a desvinculação empregatícia?
    Podem ter empregos garantidos nos outros poderes e ser o comitê da ALMA???
    Lembrem que estou somente ampliando a discussão. Vamos com calma.

    • Estou calmo, Felipe.
      A questão da “desvinculação empregatícia” no Comitê da AL diz respeito ao fato de que pensamos – todos, sarneyzistas e balaios -, para a próxima gestão, numa administração verdadeiramente independente, sem amarras com a presidência que inibissem a atuação em defesa de melhorias das condições de trabalho. Só isso. Quanto a ter empregos garantidos em outros poderes isso não vem ao caso. O Comitê é da AL. Se fosse um Comitê de Imprensa do Executivo, ou do Judiciário, a lógica seria a mesma.
      Apareça no Comitê para discutirmos melhor a questão.
      Abs.

  6. Vejo esta categoria, pelo menos no Maranhão, como uns pobre coitados, mendigando migalhas, a espera de um aceno qualquer de alguém e cair nos braços de quem os paga um pouquinho mais. A maioria são venais e bajuladores, com seus textos rasteiros longe do quociente intelectual, mais parecem uns bandos de colegiais relaxados querendo chamar à atençao da garota mais bonita da escola ou do porteiro.