Greve dos professores: as verdades por trás do movimento

Movimento é dominado pelo PC do B

Não passa de um movimento político-partidário e carregado de reivindicações que visam tão somente à mordomia a greve dos professores do Maranhão, deflagrada com pouquíssimo êxito em todo o estado desde a última terça-feira (1º).

Político-partidário porque representa apenas o desejo do PC do B, partido do ex-deputado federal Flávio Dino, candidato derrotado por Roseana Sarney (PMDB) nas eleições de 2010.

Prova disso são os dois únicos municípios – dos 217 de todo o Maranhão – onde o movimento tem adesão de quase 100% da categoria: Imperatriz e Caxias.

Imperatriz ainda guarda resquícios da rejeição experimentada por Roseana em 2006 e 2010. Caxias é o berço eleitoral de Flávio Dino, pelas mãos de Humberto Coutinho. Uma das cidades maranhenses com os piores índices de educação do país, conforme revelou o Fantástico.

E as mordomias: os professores que comandam a greve – e os que a apóiam de forma mais veemente – não estão preocupados com a qualidade do ensino de fato. O que querem é trabalhar muito menos, ganhar muito mais e controlar o sistema de educação do estado por meio dos sindicatos.

Querem vantagens que nenhuma outra categoria do funcionalismo público, em nenhum lugar deste país, tem. E fazem um estardalhaço danado por isso.

Como se a gritaria e a baderna pudessem esconder os reais interesses por trás da paralisação.

PS.: A foto do post é meramente ilustrativa


81 pensou em “Greve dos professores: as verdades por trás do movimento

  1. Quero acreditar que quem escreveu este post, seja um -marciano-, daqueles de Marte o planeta, que haja influencia politica, ninguém duvida que exista, nestas greves em qualquer categoria em todos os setores da sociedade a politica esta presente, quer queiram ou não, o própio blog do -distinto-, dar uma demonstração que é governista, está claro em outros post, até em casos de defesa individualista de agentes do governo.
    O que vc fala respeito de mordomias, trabalhar, controle por meio do Sindicato, qualidade de ensino, vc está redondamente enganado. Querer dizer ou dar a entender que professor ganha bem no nosso Estado, vc perde a capacidade de entender de números.
    Um governo que não valoriza nada que venha beneficiar o Povo… bem vc já conhece esta ladainha, certamente sua categoria nunca vai precisar fazer greve, vc deve ganhar muito bem!!.

    • Entendo bem de números e o que sei é que tem gente aí querendo trabalhar menos e ganhar mais… esse tipo de matemática arrebenta qualquer estado. Grato pela participação.

      • Agora eu te entendo!, e o dinheirão dos Deputado, que ganham os -rodo-, só pra enxugar gêlo… o quê que vc acha! não vai dizer que não acha nada, que não vale.

      • Você pode ser um excelente pai e um apaixonado pelo que faz… mas meu querido infelimente as suas declarações com relação a greve de professores não correspondem a realidade do movimento grevista e a realidade da educação no nosso Estado. Acredito que o mais próximo que você passou de uma escola pública foi feito através dos vidros e retrovisores do teu carro. Acho que você deveria sair um pouquinho da frente do teu notebook e entrar dentro de uma escola para conhecer a verdadeira realidade de um professor. A questão da greve não se resumi a questão salarial, e sim pela aprovação imediata do estatuto do professor, além de 22 reivindicações, como a nomeação dos excedentes do ultimo concurso, e isonomia salarial entre professores concursados e efetivos. Ou o senhor acha justo um professor contratado trabalhar 40h, o dobro de horas aulas de um professor efetivo e receber apenas a metade do sálario de que trabalha uma jornada de 20h.
        Acho também que é do conhecimento de um jornalista da estirpe do senhor que são vários os descasos e derespeitos com os professores recém nomeados do último concursor que são obrigados a trabahar com disciplinas aos quais não estão habilitados, isto é, trabalhar em uma área que não é da sua formação. Por exemplo, existem professores de Filosofia sendo obrigados a trabalhar com matemática, de biologia dando aula de geografia e etc. O senhor aceitaria ser operado por um defensor publico ou por um enfermeiro, funcionários publicos do Estado na falta de um médico cirurgião no HCM? Claro que não! Então me responda se for capaz. Pq na educação isto é possivel? Pq na educação são cometidos estes absurdo? Me responda por favor. Já sei com certeza você irá dizer qque a culpa é do professor.

      • O mérito da questão não é essa, se sou professor ou não professor. Posso te afirmar é que não sou analfabeto político ou um alienado que nem você. Achei que pudesse esclarecer algumas das perguntas que te fiz e vc me pergunta se sou professor… O que você tem contra professor? Você não gosta de professor? Meu amigo estude um pouco mais sobre a realidade do Maranhão e observe como os teus “patrocinadores” tratam o povo do nosso Estado. Entre dentro de uma escola pública e converse com professores e alunos, você pode até ir naquela escola da propaganda do governo que parece propaganda de margarina.

        • Fiz a pergunta pq seu texto é horrível, cheio de erros, e queria saber a qualidade do professor que vc é (se é que vc é professor). Só isso… Não precisa se exaltar.

  2. Agora tá achando ruim, agora tá mostrando a greve por trás, mas no governo pasado, gostou da greve e mostrva pela frente, kkkkkkk um dia da caça e o outro do caçador.

  3. Parabêns Gilberto!!!! vc merece tudo que pedir depois deste post. Não vai tirar o adesivo de Roseana do carro ainda!!!! deixe mais uns 6 meses.

  4. Bom, na verdade o post revela a percepção do autor sobre a questão política local e seus desdobramentos sindicais, mas pergunto: Isto explica por que o estado ostenta os mais baixo indicadores educacionais do Brasil? Seria a culpa dos professores as pessímas condições de trabalho e os mais baixos salários do Brasil? Seria cupa dos professores o fato do estado ter a mais baixa relação PIB e investimento educacional do Brasil? Seria a explicação o fato do estado do Maranhão não ter aderido a política do piso Nacional do professores? A não aplicação do estatuto do magistério?
    Outras questões devem explicar tais fatores. Se a greve dos professores trás esse debate a tona, já valeu de alguma coisa. Acredito, nesse sentido, que o fato do sindicato, os professores terem militantes de esquerda, comunista, elitores de Dino ou de Roseana não é o centro do debate, o que importa é que esse movimento grevista alerta ao governo que ele deve mudar o tratamento que dá historicamente a educação no estado, esse modelo é falido e só o governo Roseana Sarney não percebe.
    Em nenhum lugar do mundo tivermos educação sem invertimento na educação e valorização do profissionais da educação. O Maranhão precisa de uma revolução na educação, essa é a reflexão que deixo ao autor do post.

    • Muito ponderado o seu posicionamento (esses são os melhores, pq privilegiam o debate, em vez dos insultos). Não acredito que sejam os professores a causa do probelma. O que quero debater é a usurpação do direito de greve dos professores de verdade por “educadores-sindicalistas”, que nunca deram aula pra valer. É essa partidarização do movimento que pretendo discutir.

      • Meu caro
        Você acaba por reduzir a causa do problema educacional a sindicalismo. O problema da educação do Maranhão vem se arrastando a muito tempo, antes inclusive de ter sindicato.
        Sindicalismo, partidos de esquerda, trabalhadores e intelectuais estão entre organização de qualquer segmento de trabalho sempre vai ter, são parte da sociedade.
        A greve em qualquer lugar do mundo ocorre do mesmo jeito, com ou sem partido, mas deve ter um fim político, a reinvidicação dos direitos do trabalhadores, se vc levar em consideração que o PC do B, partido fundado em 1922 e sempre esteve em meio as lutas do trabalhadores e nos sindicadicatos, vai ver qe isso já faz parte do contexto do Brasil e do mundo, a questão da educação do Maranhão é mais profunda e o governo Roseana não quer perceber.
        10% de invermento do PIB do estado em educação e valorização dos profissionais da educação seria um grande passo, pois os professores são os mais despretigiados da carreira de nível superior ou vc acha que ele não merece um bom salário?
        Se você já teve professor, no mínimo entende a importância social desse trabalhador que precisa ser valorizado, e no MA e no Brasil não é.

        • Como vc me explica, então, o MA pagar um dos maiores salários do Brasil para os professores – muito acima do piso nacional – e eles fazerem greve por melhorias salariais?

  5. Nem me dei o trabalho de ler esse texto, pois logo vi que era mais um Roseanista babão, bote mais um adesivo mesmo, para deixar bem claro sua paixão.

  6. Blogueiro, faça a mesma critica aos deputados estaduais que aumentaram seus salários na calada da noite e aproveitando as mordomias que o poder oferece.
    Voçê tem “o rabo preso” com o grupo sarney para não fazer tal critica. Espero que o meu comentário nao seja censurado.
    Obrigado

    • Dê uma olhada no histórico do blog e verá que eu fiz a crítica ao salário dos deputados. UMA VERGONHA!!! Mordomia muito maior que a dos professores. Mas uma mordomia não justifica a outra, certo?

  7. Prezado Gileda….
    Q q é isso cumpanheiro? Sem paixões. Vc acha q tá tudo isto escrito no texto do estatuto?
    Pois bem… então é fácil desmontá-lo na Assembléia. Pq o ESTADO não envia para apreciação dos nobres parlamentares. Não seria ideal q a sociedade entendesse este “corporativismo absurdo” desta classe de trabalhadores “oportunistas”? Não precisa nem ter maioria dos deputados para rejeitar “tamanha aberração”. Até a oposição iria votar contra este tratado de privilégios. Então tá!!!!!!!!!!!!!!!!
    Claro que as coisas não são o que vc acha q parece. O ESTADO mais uma vez aposta q pode levar esta situação do seu jeito. Minha percepção diz que desta vez pode ser diferente, meu caro.

    • Sim, pode ser diferente. Mas o registro foi feito. Eu não ACHO que tem tudo isso. Eu LI os pontos do estatuto. Talvez vc naum ache que seja mordomia (como o Marcio Jerry tb acha que não) mas não pode negar que os pontos estão lá. E não foram tão bem debatidos quanto deveriam.

  8. Segundo a CNTE , Confederação dos Trabalhadores da Educação, órgão sindical muito importante o Estado do Maranhão paga o terceiro melhor salário do Nordeste para um professor de 20 horas: R$ 860,00……e o ensino? o pior do Brasil.

  9. Sugiro que experimentes passar apenas uma semana com 50 adolescentes numa sala quente da escola pública.

    Desejo-te sinceramente, que teus alunos não tenham famílias desestruturadas, problemas com drogas, dificuldade de aprendizagem, fome…e que eles não tragam isso para escola.

    Desejo-te ainda que todos os dias tenhas força, ânimo, entusiasmo e sabedoria, mesmo diante de agressões verbais, de doenças, de violências, de confidências sobre aborto, estupros, conflitos domésticos, morte…

    Depois, dega-me, se sabes o que é trabalho?

    Não sei se pessoas de ideias fracas, aguentam (apenas uma semana!!!). Sei apenas que amo ser professora, mereço condições dignas de trabalho e não perco a minha capacidade de ficar indiganada com a realidade que me cerca.

    Não sei se pessoas que menosprezam o trabalham dos professores, fariam o que precisa ser feito por uma remuneração tão indgna.

    Mas, sei que podes ter essa experiência e assim verás que estardalhaço e gritaria faltam na a vidinha de muita gente cega.

    Oxalá, que tenhamos escola de boa qualidade, pois, as expressões de pensamentos atrasados não combinam com o Maranhão que sonhamos e lutamos nas escolas!

  10. Sugiro que experimentes passar apenas uma semana com 50 adolescentes numa sala quente da escola pública.

    Desejo-te sinceramente, que teus alunos não tenham famílias desestruturadas, problemas com drogas, dificuldade de aprendizagem, fome…e que eles não tragam isso para escola.

    Desejo-te ainda que todos os dias tenhas força, ânimo, entusiasmo e sabedoria, mesmo diante de agressões verbais, de doenças, de violências, de confidências sobre aborto, estupros, conflitos domésticos, morte…

    Depois, diga-me, se sabes o que é trabalho?

    Não sei se pessoas de ideias fracas, aguentam (apenas uma semana!!!). Sei apenas que amo ser professora, mereço condições dignas de trabalho e não perco a minha capacidade de ficar indignada com a realidade que me cerca.

    Não sei se pessoas que menosprezam o trabalho dos professores, fariam o que precisa ser feito por uma remuneração tão indigna.

    Mas, sei que podes ter essa experiência e assim verás que estardalhaço e gritaria faltam na vidinha de muita gente cega.

    Oxalá, que tenhamos escola de boa qualidade, pois, as expressões de pensamentos atrasados não combinam com o Maranhão que sonhamos e lutamos nas escolas!

    • Se vc trabalha mesmo, merece todo o meu respeito. Como já expliquei antes, não sou contra os professores, mas combato os que querem dominar seu sindicato e usá-lo para fazer política partdária. Quando um movimento como esse vinga – que é tudo o que querem os líderes – pipocam candidatos nas eleições seguintes. Grato pela valorosa participação.

  11. Suas declarações representam apenas a opinião deste governo genocida, ou seja, querem que se continuei o status quo, querem que o povo do Maranhão continuei cada dia mais mergulhado nos piores índices, além de educação, saúde inexistente, segurança pública onde a violência cresce de modo desproporcional, e todos estes problemas passam pelo crivo da educação.
    Mas, você não acha que é mordomia pagarem bastante dinheiro por exemplo aos aliados do governo com dinheiro da FAPEMA, né? Tão pouco acha que seja mordomias Roseana nomear milhares de assessores que recebem sempre ‘ninharias’…
    Você não só confessa sua paixão abnegada por este governo podre como também se mostra contra todo e qualquer possível evolução do quadro de miséria que o Maranhão se encontra…
    Se eu fosse você pediria desculpas aos mais de 40 mil professores deste estado que você ofendeu profundamente com essas palavras e uma apaixonado pelo desgoverno que a cada dia destrói mais o Maranhão….

    • Eu abri um debate com dados e números, mas, até agora, todos os argumentos de vcs defensores da greve são apenas palavras de ordem e tentativas de desqualificar a mim. Não estão discutindo o assunto de verdade. Vcs têm que dizer por que apóiam o movimento grevista. Eu já disse pq não apóio.

  12. Recomendo ao equivocado(sendo eufemico!!) Leda, que leia este pequeno texto do doutor Francisco Araújo:
    http://araujofrancisco.blogspot.com/2011/02/professor-personagem-tragica-da-pos.html

    Com muito pesar tenho que admitir que vejo o professor contemporâneo como a personagem trágica da Pós-modernidade. Por quê? Porque é a profissão que mais é afetada pelos impulsos das transformações em curso.

    Tudo que possa existir em termos de deslocamento, fluidez, afrouxamento, descrença pública na ciência, bem como o esvaziamento de sentido, passam pela sala de aula. Não só isso, também o status dessa profissão não encontra mais referência estável, tão pouco positivadas.

    O (a) professor (a) é um tipo de profissional cujas responsabilidades e cobranças são multiplicadas constantemente, mas sem um correlato reconhecimento dos seus serviços, sem que haja uma justa remuneração pelo que lhe é cobrado.

    Para ser professor atualmente o pretentende tem que ter acumulado um número considerável de títulos que, trocando em miúdo, implica anos e anos de cursos de graduação e pós-graduação. Isto é, muito tempo de vida só para se formar. São 10 anos, no mínimo, para obter o doutorado. Outras profissões com menor grau de exigência intelectual recebem muito mais. Será que vale a pena ir ocupar esse lugar de miséria do professor?

    O professor, no exercício de sua docência, tem que, obrigatoriamente, pesquisar, participar de seminários, congressos, simpósios, estudar, fazer extensão, fazer curso de formação continuada, produzir e publicar artigos etc. Além disso, como se fosse pouco, ainda tem que fazer todos os serviços que outrora eram realizados pelos auxiliares da secretaria.

    A informatização ou automação transferiu mais responsabilidades para o professor, que tem o dever de cuidar das cadernetas eletrônicas (sistema pedagógico automatizado): digitar nota, digitar falta, digitar conteúdo, digitar plano de aula, digitar prova, produzir aula em powerpoint, digitar texto para transparência etc. É comum o professor levar equipamento próprio para a sala de aula ou para o trabalho de campo.

    Essa carga de tarefas traz sofrimentos e desgastes sem nenhum retorno como reconhecimento, respeito e ganho financeiro justo. É uma indignidade a remuneração de um professor se comparada a outras categorias profissionais.

    O professor tem sido, no seu ambiente de trabalho, reduzido e destinado a uma posição secundária. Onde as relações sociais, típicas da profissão, estão assumindo formas estranhas e desfiguradas, sem que ele possa incidir sobre o curso das ações como sujeito, como produto e produtor do processo.

    O docente acaba figurando apenas como “produto”. Pois ele é tragicamente arrastado e lançado nas convulsões da incerteza, das perdas de referências, na fluidez dos valores. Diante de qualquer crise educacional o professor é lançado como o culpado e, como tal, tem que ser punido! O grande e único responsável pela tragédia na educação é sempre o professor!

    As mãos do poder político e as mãos do mercado o aprisionam em uma pedra para que seja imolado pelos experimentalismos e pela exigência de produtividade. Os alunos, os pais dos alunos e os pedagogos ajudam acorrentar tragicamente esse ser. Pois, pais e pedagogos querem que ele seja deus e que tudo possa fazer, que tudo possa saber e solucionar.

    O pedagogo acha que sempre tem uma técnica, um recurso a ser aplicado: o que falta é o professor adquirir novas habilidades e competências. Portanto, é só ele ser mais educador e tudo estará resolvido. Os pais querem que o professor, além do seu ofício, assuma as responsabilidades dos pais para seus filhos passem magicamente à condição de pessoas maravilhosas somente com o conteúdo das aulas. Como se as escolas fossem capazes de substituir as famílias.

    Diante dos olhos desses cobradores o professor acaba sendo desumanizado. Como deus ou ser bestial, isto é, acima da condição humana ou bem abaixo dela. Não raro, também é fantasiado enquanto mágico.

    O professor só não é percebido em sua condição humana e de cidadão, que o exercício profissional necessita de garantias mínimas de dignidade: salários, condições de trabalho, recursos etc.

    Ao críticos e agentes estatais perceberem que ensino e aprendizagem implicam em relações sociais e disposições de poder, pois os sujeitos envolvidos (professor, alunos etc.) são portadores de vontades, interesses, limitações, projetos etc. que muitas vezes geram conflitos, dissenções e tensões. Ninguém ensina nada a quem não quer aprender.

    O exercício profissional minimamente digno implica proteger o profissional de humilhações psicológicas, materiais e simbólicas. Essa proteção simplesmente não existe e cada vez mais professores são agredidos e executados por pais de alunos ou por alunos.
    Reconhecer que educação integral não se realiza só com aulas nas escolas é reconhecer que vários são os responsáveis pela educação do ser humano e não só os professores.

    Docência é profissão e deve ser tratada igualmente em deveres e direitos, respeitando as especificidades decorrentes desse exercício profissional. O discurso que diz, repetida vezes, que ser professor é uma devoção, doação… é hipócrita e demagógico. Quem vai sustentar e manter a família do professor? Como o professor vai ser competente sem ter como investir no seu aperfeiçoamento?

    Arrumem outro culpado! Professor não é mágico!

    • Isso é chover no molhado… não discuto a necessidade professores qualificados e valorizados, mas como vc me explica o MA pagar um dos maiores salários do Brasil para os professores – muito acima do piso nacional – e eles fazerem greve por melhorias salariais? Partidarismo da causa, meu nobre.

  13. Ainda ha quem tente discutir com isso aí?? rsrsrs… Lembre-me de listar aqui alguns blogs substanciais… Joga o jornalismo na lama, colocou uma pobre criança no mundo e precisa aprender muito sobre paixão…rs
    Eu hem…

  14. Tenho por você mais do que respeito e admiração pessoal , mas não permita que certas companhias contaminem esse coração magnãnimo que bate em seu peito .
    Você está cometendo alguns equívocos e injustiças .
    O sindicato é presidido por um filiado do PCdoB , mas outras forças também participam da Diretoria , por exemplo Fernando Silva pte municipal do PT é o vice-presidente.
    Esse mesmo grupo que lidera essa greve no Governo Roseana , liderou uma greve no Governo José Reinaldo e outra bem longa no Governo Jackson do qual o PCdoB fazia parte, lembro na época , que o JP e o próprio Jackson acusaram a diretoria de sarneísta , portanto essa acusação de greve ” meramente partidária ” me deixa perplexo.
    Sobre o professor de 20 h , com menos aulas efetivas é para poder corrigir provas , estudar e planejar as aulas e não significa que alunos ficarão sem aula , vc já deu algumas aulas e sabe que quando o aluno não está assistindo aula de História , estará assistindo das outras matérias .
    Não pretendo me habilitar a defender o Humberto Coutinho , mas a verdade é que o Fantástico noticiou foi a história em que as crianças estavam assistindo aula sob uma mangueira. Diga-se de passagem , quando ele assumiu , existiam mais de 150 escolas de taipa em Caxias e naquela oportunidade ele já tinha contruído/reformado 115 escolas em seu lugar , na oportunidade o Fantástico não mostrou quase ao lado da referida mangueira a escola que estava sendo construída. Por essa e outras o povo de Caxias o reelegeu com 66% dos votos contra 30% da sarneísta Márcia Marinho.
    Por fim , lhe pergunto : Precisava atacar o Flávio Dino por discordar de uma greve que ele não tem relação.

  15. Tudo isso que esta escrito no seu blog sao inverdades contra os professores. Tudo falso, assim como a foto que vc postou!

  16. É extremamente necessário analisar o contexto em que vive o dono do post,criticar movimentos é fácil,fazer parte dele é mais dificil e viver uma vida a parte de tudo isto é muito mais cômodo. Não há necessidade de um burguês fazer manifestos em prol da classe trabalhadora,afinal sua faculdade é paga e seu futuro ja esta garantido por parentes e amigos que sao Juízes e Desembargadores. valeu!!!

    • Nunca dependi de “parentes e amigos” para chegar onde cheguei, amigo. Estudei em boas escolas, sim. Graças ao suor dos meus pais tive esse privilégio. Mas sou formado em universidade pública e trabalho desde os 18 anos.

  17. Se fosse uma luta partidaria a greve seria feita em 2010(ano de eleições). Vc falar em “mordomia”, experimente dá aula de uma disciplina em que vc não é formado para mais de 45 alunos, utilizando giz em uma sala com pouca luz e ventilação. Parece que não leu as 22 reenvindicações, entre elas está a convocação dos excedentes e concurso para funcionarios das escolas.

    • Idiota, preconceituoso, arrogante, reacionário, etc. e tal… Quem não tem argumentos parte para a agressão, o insulto, a tentativa de desqualificação. Mas os meus argumentos são tão fortes que tiram gente como vc do eixo. Grato pela participação.

  18. Vc acha mesmo que um piso nacional de 1,186,00 reais para uma jornada de 40 horas semanais é referência para que todos os professores se conformem com seus baixos salários aqui no Maranhão? Com o seu argumento, vc dá a entender que, quanto à reposição salarial ela não deve ocorrer porque nós já ganhamos bem, quiçá, talvez até devolver um pouco para o Estado.
    Meu amigo, o problema salarial dos professores é nacional, todos os estados pagam humilhantes proventos para os seu corpos docentes. Não é porque o Maranhão possui um salário maior que os demais que isso deve ser considerado como façanha pelo nosso governo e pelos adeptos desta idéia. Trabalho há mais de 15 anos em sala e recebo líquido pouco mais de 1600.00. Bom se vc acha isso um grande valor para um trabalhador com o seu grau de responsabilidade, me desculpe, mas isso é debochar de toda uma categoria que trabalha incansavelmente. Quanto a achar que nós professores queremos privilégios, este parte do seu debate serve apenas a um propósito: jogar os professores contra a sociedade. Detesto privilégios, sempre conquistei o que tenho com meu esforço. Aliás,o seu discurso, todos nós sabemos a que se pretende, não subestime a minha inteligência, por favor.
    Criou-se neste país o mito de que o professor e sua função deve ser equiparada a um sacerdócio, o que é uma farsa, pois somos profissionais iguais a qualquer outro que sonha, tem ambições de poder ter uma vida mais digna. Que mal há nisso ? Parece que devemos nos conformar com tudo que esta aí.

    Pense mais um pouco antes de resumir esta greve a simples confronto político entre Roseana x Flávio Dino, oposição x situação, pois não leva a lugar nenhum, sendo um argumento muito imaturo.
    Que bom que vc não sobrevive com este salário.

    • Não disse que acho que professor ganha uma fortuna… O piso nacional tb não é grande coisa, mas o fato é que o MA paga mais que o piso. Se a categoria o acha baixo, tem que lutar para aumentar o piso. O resto é chover no molhado…

  19. Cara é o seguinte,já que vc acha mordemia ser professor,deixe sua profissão e vá ser professor,experimenta que é booooommmmm!

  20. Um marciano dono de escola particular, reacionário e reencarnação de senhor de escravo. Essa é a melhor definição para alguem que tenta desvalorizar um movimento legítimo, com pauta legitima e urgente.

  21. Caro gilbertoleda:

    Fico triste ao percerber que um movimento grevista seja tratado dessa forma….. inclusive por este jornalista………
    O Maranhão paga um dos melhores salários do Brasil? Sim paga……..
    Mas caro jornalista voce sabe o pq? axo que não. Vou dar uma dica: veja a história do Maranhão.
    Não sou sindicalizado e nem vou ser, sou um professor de Física e adoro meus alunos. As escolas do Maranhão estão passando por uma grande defasagem. Os índices nacionais da educação mostram isso. Um dos piores problemas que temos na educação chama-se: Indicação política para cargos da direção escolar.
    Se nossa educação continuar dessa forma nunca vamos melhorar os tais índices de qualidade.
    Quanto ao jornalista querer mostrar causas políticas no movimento sindical….. é como se fosse o sujo falando do mau lavado.

    obrigado pelo espaço.

    • Vc critica a indicação política para as diretorias pq vem do Goerno, quando o q o sindicato quer é ele próprio fz a indicação. Vc criticaria se fosse dessa forma? Pq vem do sindicato não é uma indicação política tb? Complicado, amigo…

      • Assim como uma sociedade escolhe o seu governo….. a comunidade escolar é que tem que seus administradores. Assim como acontece em algumas universidades federais.

  22. Olá Caro!
    Não sou de nenhuma das cidades que vc destacou mais estou em greve também não faço parte de nenhum partido político, mas estou em greve. Alias eu e toda a minha regional Itapecuru Mirim. As acusações que você faz são injustas, pois estamos fazendo política, mas pelas melhorias das nossas condições de trabalho, e louvamos o nosso Estado e principalmente os profissionais da educação estadual pela lutar que valorizou sua condição de trabalho em relação aos demais Estados. Porém ainda não é o suficiente por isso continuamos em greve, e não será essa comparação com outros estados onde os professores ganham um salário mais miserável que vai desanimar os grevistas. Alias aproveito para convidar aqueles que estão em condições piores que a nossa que entre na luta. Ah convido você que visite uma sala de aula, e conheça a rotina da sala de aula, para julgar se a causa é justa ou não. Ah também faça uma pesquisa sobre quanto ganha outros profissionais que têm formação equiparada a nossa e que também contribuem de forma relevante com a sociedade para assim perceber o quão desvalorizados são os professores no Brasil. Também busque conhecer quanto ganha os professores em outros Países para compreender que o que o Maranhão nos oferece é uma migalha. Aguardo Você na minha escola, entre em contato.

  23. Caro amigo toledo, nem sei até aonde o amigo quer chegar com os seus argumentos. Mas, garanto-lhe que não é brincadeira, um aluno passar o ano inteiro letivo sem fazer nada numa sala de aula, mas pelo fato dele ser tão carente de tudo, mas carente de tudo mesmo. Ele é carente de boa alimentação, de boa estrutura familiar, de boa edudação, de boas escolas, onde ele chegue e encontre bons prédios escolares para se sentir bem, mais conforto, para com isto ele ter gosto para estudar e aprender de verdade, porque não é só ir para uma escola e achar com isto que está tudo bem, tem muita coisa em jogo para um bom andamento de uma escola. Pois, não é fácil para um professor que quer ensinar um aluno que não tem nenhum ânimo para nada.
    Contudo, após um ano letivo cansado, já no final do ano, depois de um “lindo e maravilhoso” conselho de classe, começa a destruição do aluno, passar para série seguinte o aluno que não sabe às vezes nem escrever o nome dele direito. E os professores cansados de falar, de explicar para estes alunos que parecem viver em outro planeta. Eu não sei se o amigo sabe, mas quem fala muito acaba ficando doente. E o que acontece com quem fala muito: estresse, dor de garganta, dor de cabeça, depressão, e daí por diante. Médico, onde está o médico para o professor doente? Meu amigo gilberto toleda, te garanto que só existe à vezes médico para pele, ou para crianças, para as diversas doenças que os professores adquirem com o passar dos anos, não existem nenhum médico. O professor tem que pagar consulta particular, se ele quiser ir vivendo uns dias a mais de vida.
    Amigo Gilberto, só lhe peço uma coisa, não fique contra os professores, deixe eles em paz e deixe eles lutarem pelo que é certo, e o certo é uma educação de boa qualidade.
    É por uma educação de boa qualidade que eles estão lutando. Não é só por dinheiro não. Isso eu garanto.
    Muito obrigado pela sua compreensão.

  24. Quero fazer uma correção ao seu nome: Gilberto Léda e não Gilberto Toleda. Peço desculpas pelo erro.
    Conto com sua compreensão.

  25. Cara, você é triste… Não consegues responder duas perguntinhas? Não fiz um texto preocupado com edição… mas se quiseres corrigir, sinta-se a vontade. Lamento muito pela falta humildade nas tuas declarações. Quando és questionado não consegue dar uma resposta a respeito do assunto. Ages com deboche e ironia, características de pessoas despreparadas como você. Realmente, não me preocupei em editar as minhas palavras em um blog tão medíocre… Na internet a gente não se preocupa em escrever tão correto, e não será no teu blog que irei me preocupar com isso. Você até hoje não aprendeu a escrever direito. Mas o pior de tudo mesmo é ser uma pessoa tão ignorante, tão prepotente e analfabeto politico como você. Só lamento.

  26. Sou a favor desta greve claro sou aluno da rede Estadual mas queremos o que é certo reivindicar nosso direito. Será um atraso mas mesmo assim será inutil estudar numa escola sem nossos direitos e instrumentos que possa ser guiados dentro de uma escola , sendo que , vem milhões e milhões de dinheiro para a educação do ”ESTADO” e este dinheiro esta sendo desviado o que se dá o nome de roubo. A ”Governadora ” na pessoa da Rosegana não está administrando nada várias secretárias está também de greve por incompetencia e má distribuição, somo um povo sofredor um povo que só tem como indici pior , de tanto roubo , violencia , governantes não estão nem ai para o bem estar do maranhence etc.. Podemos a te sofrer mais do mesmo geito que colocamos a ” governadora ” no poder podemos muito bem tirá-la .. fica uma pergunta se um filho dela estiversse ne uma escola do estado será como que esla agiria? Pergunta que muitas pessoas gostaria de ouvir;;;
    Mas que pena maranhences a cada tempo que passa estamos cada vez mais decaindo……..

  27. Em linguagem informal, eu acredito que as greves no estado já estão passando do limite o professor realmente não pensa em qualidade , se pensa-se ele tentaria uma negociação completa antes de iniciar uma greve em que o principal prejudicado é o tão sonhado “povo” que eles mesmo defende… O fato: é que a classe docente aprendeu que a cada greve eles ganham um aumento e já estão ganhando mais que professores do sul do país, e mesmo assim a qualidade não cresce… uma pesquisa feita, se não me engano nos EUA, indica que o ensino melhora sua qualidade de forma mais significativa quando o governo gasta o dinheiro criando políticas de incentivo ao aluno, a redução de alunos na sala de aula criando mais sala… do que aumentar o salário dos professores que: REIVINDICAM, GANHAM E NÃO MUDAM. eu sou alienado? (perguntas e afirmações que alguns de vocês irão fazer) Não sou deputado, senador, não ganho um bom salário estudei 9 anos da minha vida em uma escola pública até ganhar uma bolsa em colégio particular e perceber que a diferença no ensino… posso dizer que já vi os dois lados da moeda para afirmar: NÃO PODEMOS CEDER A TODOS OS PEDIDOS FEITOS, PRINCIPALMENTE QUANDO QUEM PEDE…. SÓ SABE PEDIR… professores de escola pública em sua maioria não sabe dar aula … FATO, não tem didática e prazer em ensinar entram na sala abrem livros e começam a dar aula.. eu não aprendi nada de historia e inglês na escola pública que estudada porque os professores entravam na sala e dormiam ou mandavam responder questões de livro… volto a afirmar: A GREVE NÃO VAI MELHORAR A QUALIDADE, VEJA O ANO PASSADO O ENSINO NÃO MUDOU NADA E OS MESMO PROBLEMAS, NA CLASSE DOCENTE, AINDA EXISTE. a greve no estado já é vista por professores como FERIAS

    • Ola Gilberto Léda . Peça pro Igor comparar os alunos dos Estados Unidos da América com os do Maranhão, assim com as condições físicas das escolas destes dois lugares e depois peça pra ele tirar uma conclusão (se ele for capaz).
      Caso ele conseguir tirar alguam conclusão peça-o em seguida para ler as reinvidicações dos professores em greve.
      Aproveito o ensejo para lhe pedir a correção ortográfica deste humilde texto.

      Cordial abraço

  28. Caro Gilberto e demais Companheiros da classe trabalhista,

    Li e analisei por completo o texto editado pelo nosso colega “jornalista” e me sentir motivado a continuar em uma greve que é necessária: pois é pra evitar que nossos educandos venham a se tornarem jornalistas pobres como o tal.
    Já que se trata dos bastidores da greve, então que seja explicado tantos desencontros por parte do governo ao informar dados sobre as situações de greves: já que a sec. de segurança também enfrenta a mesma crise que a seduc?
    De fato o Estado tornou-se irresponsável, ao ponto de não conseguir suprir com as necessidades básicas, principalmente no que rege o Art. 5º da CF/1988.
    O verdadeiro jornalista tem que ser investigador e pesquisador de informações, para não correr o risco de colocar dados improváveis ou de modo irresponsável ao público.
    Ao companheiro, repito, “jornalista”, parabéns por mostrar que a educação do Maranhão, de fato, é pobre (pois sua opinião critica demonstra isso, já que você estudou tanto em escolas públicas, como privadas). Talvez a irresponsabilidade de “teus” professores (você sabe muito bem que nunca deve-se generalizar uma determinada classe), ou talvez, pela tua grande incompetência como discente seja o mero produto de tais “reivindicações” – e não somente salário – para que sejamos vitoriosos e que um dia seu filho, a qual você tanto diz amar, venha a fazer parte de uma escola pública com estrutura e ensino de qualidade.
    Caso venha retrucar meu pobre argumento, faça o favor de corrigir meus erros ortográficos com um bom dicionário e tenha argumentos fortes para derrubá-lo. Caso contrário, aconselho a mudar de profissão ou ir viver as custas da venda de camarão na Litorânea…

    Abraços cordiais,

    Daqueles que, enfim buscarão dignidade à classe trabalhista do MA.
    Os Professores.

    • Tenho pena de um aluno seu. Um professor que não sabe a diferença entre infinitivo e 1ª pessoa do singular. Sinceramente, eu me senti horrorizado ao sentir que vc desconhece o básico da nossa língua.

  29. Nós professores da rede estadual de São Luís CONTINUAMOS ACAMPADOS EM FRENTE AO PALÁCIO APESAR DA TROPA DE CHOQUE . HOJE TENTARAM RETIRAR O ACAMPAMENTO MAS CONSEGUIMOS RETOMÁ-LO. HAVIA MAIS DE 13 VIATURAS NO LOCAL. NINGUÉM DO SINDICATO ESTEVE LÁ ATE ‘AS 20H PARA NOS DAR APOIO HOJE ( 15.05).AMANHÃ AUDIENCIA NO MINISTERIO PÚBLICO E CGU. TERÇA ENCONTRO NA OAB.

  30. Nós professores da rede estadual de São Luís CONTINUAMOS ACAMPADOS EM FRENTE AO PALÁCIO APESAR DA TROPA DE CHOQUE . HOJE TENTARAM RETIRAR O ACAMPAMENTO MAS CONSEGUIMOS RETOMÁ-LO. HAVIA MAIS DE 13 VIATURAS NO LOCAL. NINGUÉM DO SINDICATO ESTEVE LÁ ATE ‘AS 20H PARA NOS DAR APOIO HOJE ( 15.05).
    AMANHÃ AUDIENCIA NO MINISTERIO PÚBLICO E CGU. TERÇA ENCONTRO NA OAB.

    • Tinha algum jornalista ou meio de comunicação presente para divulgar este acontecimento? Será que a mordaça do Governo na imprensa local está funcionando? Será que o que aconteçe na porta da Secretaria de Educação não é de interesse da sociadade Maranhense?

      • Realmente, Mostrar professores grevistas reinvidicando por melhores condições não é um assunto que seja merecedor de cobertura jornalística. Qual é a contribuição que os professores dão para a sociedade? Melhor, qual é a relevância dos professores na sociedade já que recebem muito e trabalham tão pouco como acham alguns jornalistas? Nestas horas a mordaça (ou seria Morda$$a?)do governo funciona bem…

Os comentários estão fechados.