Nem 62, nem 72. O número é 82

Ricardo e Roseana em visita a obras de uma das UPAs

Uma discussão inócua, é verdade, mas que mostra bem o nível de desinformação de alguns.

O deputado Marcelo Tavares (PSB) tocou novamente na ferida dos hospitais do Programa Saúde é Vida na Assembléia Legislativa e teve gente que, no afã de mostrar a desinformação do parlamentar, acabou provando que anda mesmo fora da realidade.

Marcelo acusava a governadora Roseana Sarney (PMDB) de ter mentido sobre os 72 hospitais. Tudo porque, em entrevista a O Estado do Maranhão, ela diz que serão entregues 62 hospitais, mais 10 UPAS.

“Ela [a governadora Roseana] diz que são 62 hospitais; tirou 10 e aí eu não sei se falta com a verdade deliberada para diminuir o passivo eleitoral, porque ela prometeu 72 hospitais, ou, o que é mais grave, ela não sabe o governo que ela administra, ela não sabe o que o governo dela faz”, disse o socialista.

Alguns pensam que é assim mesmo, e que é da soma dos hospitais com as UPAS que se chega a 72 unidades hospitalares.

Mas não.

Não é mentira da governadora. Ela deve ter-se confundido apenas. E acabou confundindo muita gente.

O correto é o Programa Saúde é Vida entregará mesmo 72 hospitais (64 com enfermarias de 20 leitos e 8 com enfermarias de 50 leitos).

Isso é fato!

As 10 UPAS também serão entregues, mas estas são fruto de um convênio com o Governo Federal, não fazem parte do programa estadual.

Assim, tem-se que, no total, são 82 unidades hospitalares a serem entregues no Maranhão. 10 (UPAS) + 72 (Hospitais) = 82.

Se, depois dessa rápida explanação, ainda restarem dúvidas, veja então o que disse o próprio secretário Ricardo Murad sobre o assunto, em comentário na sua página no Facebook no início do mês de abril.

“Você critica um governo que em menos de dois anos está construindo – não é promessa, é realidade, 10 UPAS, 72 hospitais, e uma dezena de obras importantes para estruturar uma rede de saúde pública de qualidade”.

Essa é a verdade dos fatos. O resto é blá, blá, blá de Marcelo Tavares e de alguns incautos.


0 pensou em “Nem 62, nem 72. O número é 82

  1. A “verdade dos fatos” também é a de que os Hospitais foram prometidos para serem entregues no ano da eleição, e no entanto ainda continuam só as promessas.
    Temos o direito de duvidar e o dever de questionar, se há o precedente da mentira e da enganação no ano eleitoral. E se eles não sabiam que o tempo era exíguo para o cumprimento da promessa, então são despreparados para o cargo que ocupam.

      • Desculpa meu caro gilberto, mas quantidade não é qualidade em 1 lugar, Sua chefe Diz que vai entrer esse horror de hospital que era pra ser entregue final do ano passado sim, foi repassado uma boa parte do dinheiro pois nem licitação teve e dificilmente ela entregarar ao menos 10 esqueletos para a poupulação.
        Ela tinha que ser cobrada era pra falar onde foi gasto o dinheiro das enchentes.

  2. Nunca achei que esses hospitais ficariam prontos no final de 2010, mesmo assim acredito que a governadora deixara todos prontos em pouco tempo. Minha crítica quanto aos hospitais é só uma.. Quem vai trabalhar neles? Não deveria ter sido feito um concurso, e até os hospitais ficarem prontos os concursados estariam em treinamento em algum hospital? Se nessas cidades do interior já não tem nem para os hospitais existentes, como vai ficar depois de inaugurados? Os hospitais existentes administrados pelas prefeituras vão fechar? Se entregar os hospitais para os prefeitos administrarem vai ficar pior ainda……….