TSE cassa mandato de Abnadab Léda, prefeito de Urbano Santos

Abnadab: cinco contas rejeitadas pelo TCE

O Tribunal Superior Eleitoral (TSE) cassou, na noite desta terça-feira (28), o mandato do prefeito de Urbano Santos, Abnadab Léda (PTB) por irregularidades em prestações de contas.

De acordo com denúncia formulada pelo seu adversário na cidade, Aldenir Santana (PDT) – segundo colocado nas últimas eleições e quem deve assumir o cargo -, Abnadab tem cinco contas rejeitadas pelo Tribunal de Contas do Estado (TCE), de 1999, 2000, 2001, 2003 e 2004.

Foi com base nesses dados que o relator da matéria no TSE, ministro Hamilton Carvalhido, decidiu pelo indeferimento do registro de candidatura do petebista.

“O Tribunal, por unanimidade, proveu o recurso para indeferir o registro do recorrido, nos termos do voto do Relator. Votaram com o Relator os Ministros Marcelo Ribeiro, Arnaldo Versiani, Cármen Lúcia, Marco Aurélio, Nancy Andrighi e Ricardo Lewandowski (presidente)”, diz nota no site do TSE.

Após a publicação do acórdão, ainda cabe recurso ao próprio TSE ou mesmo ao Supremo Tribunal Federal (STF) – neste último caso, apenas se houver questões constitucionais ainda a serem debatidas.

A disputa, agora vai ser para saber se o prefeito cassado recorre no cargo ou cede a cadeira ao pedetista e aguarda o julgamento dos recursos fora do poder.


12 pensou em “TSE cassa mandato de Abnadab Léda, prefeito de Urbano Santos

  1. VAMOS LÁ MINISTERIO PUBLICO, AINDA TEM MAIS PREFEITOS A SEREM CASSADOS, DÊ UMA OLHADINHA NO DE ICATU, ESTA LA DANDO CAPACITAÇAO AQUELE EX SECRETARIO DE EDUCAÇAO QUE DESVIOU VERBAS .

  2. VAMOS LÁ MINISTERIO PUBLICO, AINDA TEM MAIS PREFEITOS A SEREM CASSADOS, DÊ UMA OLHADINHA NO DE ICATU, ESTA LA DANDO CAPACITAÇAO AQUELE EX SECRETARIO DE EDUCAÇAO QUE DESVIOU VERBAS .

  3. bom dia Gilberto.Eu acho que o prefeito cassado vai recorrer fora do cargo, pois após a publicação do acordão no diário oficial, o segundo colocado assume imediatamente.O ministro Marcelo Ribeiro já queria que o prefeito cassado fosse destituido imediatamente do cargo, mas o ministro Marco Aurélio deu uma freada, dizendo que fosse publicado primeiro o acordão, para proceder os tramites legais.No mais um cordial abraço e estimas de felicidades.

Os comentários estão fechados.