Poção de Pedras: prefeito cede prédio para funcionamento de fórum

O prefeito de Poção de Pedras, Gildásio Silva, cedeu ao Tribunal de Justiça um prédio da Prefeitura onde funcionará, provisoriamente, a sede co fórum da comarca local.

O fórum da cidade foi atingido por um incêndio na madrugada da última quinta-feira (22), no qual todos os cerca de 1.800 processos lá abrigados foram queimados (reveja aqui). A polícia trabalha com duas linhas de investigação: crime ou curto-circuito.

Em nota encaminhada à imprensa, a assessoria de comunicação do TJ informa que, em Poção de Pedras, o presidente e o prefeito Gildásio visitaram, nas imediações do centro da cidade, um terreno público para avaliar a possibilidade de construir no local um novo fórum.

Gedeon informou, na ocasião, que a Corregedoria Geral da Justiça vai editar um provimento transferindo, provisoriamente, os serviços judiciários de Poção de Pedras para a comarca vizinha de Esperantinópolis.

“Todas as providências foram tomadas pelo tribunal para garantir a continuidade dos trabalhos da Justiça na comarca; como um local provisório para a operacionalização das atividades, recursos, além do efetivo acompanhamento do inquérito que apura as causas do incêndio”, afirmou o presidente.


1 pensou em “Poção de Pedras: prefeito cede prédio para funcionamento de fórum

  1. Crime ou curto circuito?
    Essa foi bõa, quer dizer que se alguem jogar gasolina e tocar fogo é crime, caso contrário o pobre do “curto circuito” leva a culpa.
    A Esmagadora maioria dos incendios debitados na conta dos ” curtos circuitos” possuem outra origem . Hoje os cabos são anti chamas e as proteção elétrica eficazes(disjuntores e fuzíveis), mas quem elabora os laudos culpando o pobre do “curto circuito”, são os “competentíssimos peritos” do Corpo de Bombeiros que NUNCA passaram na frente de uma escola de Engenharia Elétrica.
    La em Poção de Pedras o “curto circuito” acabou com muitos processos de grilagem e de mortes, será que existia algum processo de alguem acometido de eletroplessão?

Os comentários estão fechados.