Greve dos militares: jornalistas condenam boataria

A boataria que tomou conta de São Luís por ocasião da greve dos policiais militares e bombeiros do Maranhão indignou parte da população da capital.

Nos relatos de muitos “entendidos” da greve, houve vários arrastões e assaltos pela ilha. Pura imaginação, normalmente patrocinada por quem quer disseminar o pânico, ao melhor estilo “eu quero é ver o mar pegar fogo pra comer peixe frito”.

Nas redes sociais, são vários os relatos de quem tem condenado essas atitudes. Jornalistas, que têm cobrido o dia-a-dia do movimento, relatam o clima de tranquilidade mesmo diante da paralisação e condenam a tentativa criar clima de “apocalipse”.

A jornalista Jaqueline Heluy, denunciou uma brincadeira de mau-gosto no Rio Anil Shopping. Jovens saíram correndo anunciando um arrastão. O pânico se generalizou.

“Uma brincadeira de um grupo de jovens causou pânico no final da tarde no Shopping Rio Anil… Gente vamos ter cautela com estes boatos sobre ‘arrastão’, o momento é de instabilidade e uma brincadeira desta pode acabar mal”, criticou.

Mais tarde a própria administração do shopping esclareceu que tudo não passou de uma brincadeira que “causou mal estar entre os clientes”.

Outro jornalista, Wanderson Lima, da EBC, também fez críticas à postura dos “apocalípticos”. Trabalhando diretamente na cobertura da greve, ele relatou ter presenciado um clima tranquilo nas ruas durante os dois últimos dias, diferentemente do “caos” noticiado por gente como o deputado estadual Rubens Junior (PC do B) e o vereador Chico Viana (PSDB).

“Brincadeira de péssimo gosto essas histórias de arrastão. Pior é ver profissionais de comunicação alimentando essas inverdades… fiz a cobertura ontem e hoje da greve e o clima nas ruas é exatamente o contrário. Tudo tranquilo. O grande problema é a falta de tato do governo estadual com os policiais. Sem aumento desde 2009. Uma vergonha!!! Respeito meu povo. Respeito pelos pais de família que lutam por seus direitos. Arrastão não existe até agora. Que povo de mente pequena”, ressaltou Wanderson Lima.

Mais boatos

Outros dois boatos ganharam corpo na última sexta-feira (25): o primeiro foi o de que o Exército invadiria a Assembléia Legislativa para garantir a reintegração de posse.

Nada de verídico na história.

“O exército está nas ruas para garantir a segurança do cidadão”, disse em nota encaminhada ao blog a SSP.

A reintegração de posse da AL é responsabilidade do presidente da Casa, deputado Arnaldo Melo (PMDB), que foi quem permitiu, desde o início – com toda a complacência do mundo -, a manutenção do movimento na área do Legislativo.

O segundo boato dava conta de que o Batalhão de Choque teria aderido ao movimento.

Outra informação “sem pé, nem cabeça”.

“O Choque é Governo. E não é porque é a governadora Roseana Sarney, não. É Governo porque é Estado e jamais vai entrar em greve”, declarou um oficial ao blog.


2 pensou em “Greve dos militares: jornalistas condenam boataria

  1. Eu fui assaltado sim! E você vai querer dizer que é boato. Me coloco a disposição para dar uma entrevista ao seu blog contando detalhes. Isso se os seus patrões do governo do estado deixarem. Quanta subserviência. Imcompetentes é o q são!

Os comentários estão fechados.