Decisão judicial só aumentou número de coronéis na PM

Do blog do Marco D’Eça

Só causou ainda mais confusão na Polícia Militar a decisão da juiza Ana Maria Almeida Vieira sobre o quadro de coronéis da corporação.

A decisão da magistrada obriga o Governo do Estado a abrir quatro novas vagas de coronéis, para serem distribuídas entre os nove tenentes-coronéis que entraram na Justiça.

Tradução: no final das contas, a PM terá que aumentar o quadro de coronéis, de 18 para 22.

A decisão de Ana Maria Almeida nada diz sobre os quatro coronéis cujo tempo de caserna expirou e, mesmo assim, querem continuar na ativa para preservar gratificações e vantagens salariais.

Continue lendo aqui.


2 pensou em “Decisão judicial só aumentou número de coronéis na PM

  1. “Mais Rapaz”, é só que esses oficiais querem, promoções, promoções e mais promoções, trabalhar nada!, tem que acabar com isso!, dá um basta nisso, com menos de 50 anos, os cara encerra a carreira com uma boa aposentadoria e para manter o “status quo”, querem permanecer na ativa para manter os previlégios, cargo comissionados, em gabinetes deTribunais, Assembléia e tudo onde há um cargo comissionado, assim é demais. O “cara” vai ser oficial, depois de umas besteirinha, vai só esperar promoção, e ela vem com certeza, enquanto isso, o cabo, soldado e sargento, pena meu amigo morre e a promoção não vem; olha vou te dizer, tem que dar um para pra acertar nesta policia ou então uma outra greve, para resolver!?.

  2. Como Oficial trabalhador e cumpridor de deveres, é triste observar a inobservância dos desdobramentos que uma decisão como essa pode acarretar. Um juiz que concede liminares sem dela pesar consequências, por puro clientelismo ou amizade de loja, não deveria ser detentor de tal faculdade. sabe ele quantificar o número de famílias que estão frustradas em suas expectativas de direito, após terem contribuído e empenhado esforços de décadas, sempre aspirando as devidas e merecidas promoções, as quais deveriam vir a seu tempo. E um magistrado sem qualquer visão de mecânica do sistema, engessa inconsequentemente as carreiras, as perspectivas, o entusiasmo e a crença em toda uma instituição.
    E agora meus amigos? O que farão os que foram alijados dos postos que jamais serão desocupados? Os quase tenentes coronéis que serão para sempre majores? Os quase capitães que jamais deixarão de ser tenentes? Devem eles continuar em trajetória altruísta e sem perspectiva alguma de ascensão funcional dentro da Polícia Militar do Maranhão? Serão eles bons gestores, comandantes ou executores da vital tarefa de balancear a convivência social? Devem esses excluídos, continuarem a arriscar de fato, suas vidas, em troca de uma incerteza perene? Em troca do reconhecimento nulo doseu Comandante Geral, do seu estado e de seus agentes constituídos(onde a justiça é parte fundamental)? Ou deveriam todos entrarem na mesma justiça irresponsável, para terem os direitos assegurados como os textos JURÍDICOS determinam e alguns senhores das leis e interpretações ridicularizam e estupram a bel prazer??
    Eu estou enojado do que a PMMA está fazendo com seus Praças e Oficiais. Estamos nos tornando um cabide de dinossauros e um curral de desestimulados!
    O MONITOR

Os comentários estão fechados.