Protocolado documento desautorizando Comitê de Imprensa da AL

Documento já foi protocolado na AL

Jornalistas e profissionais de mídias dos mais variados segmentos do Maranhão protocolaram, na manhã da última quinta-feira (9), documento desautorizando a atual “gestão” do Comitê de Imprensa da Assembléia Legislativa a representá-los no trato das questões administrativas para a garantias das prerrogativas profissionais da classe na Casa.

A medida foi uma reação ao que os profissionais consideram “atrelamento” da atual direção – eleita sem ata que ampare a sua instalação – à Diretoria de Comunicação do Legislativo.

“Não reconhecemos o Comitê de Imprensa desta Casa como órgão legalmente constituído, posto que não está amparado pela homologação de uma ata de eleição – esta inexistente”, diz o documento, que foi encaminhado à presidência da Assembléia e à Diretoria de Comunicação da Casa.

Além de exigir a garantia ao direito de trabalhar normalmente na cobertura da casa, os jornalistas e profissionais de mídias que assinam o documento conseguiram agendar com o próprio Comitê uma reunião para a próxima segunda-feira (13), às 15h, onde será discutidos a realização de nova eleição e o estabelecimento e meios que garantem a independência total do órgão representativo da classe na AL.


2 pensou em “Protocolado documento desautorizando Comitê de Imprensa da AL

  1. Gilberto afinal qual o motivo divergente nessa história? Vejo que Cunha está fazendo um trabalho como determina o direito democratico algo não muito peculiar de quem detêm o poder da comunicação no Maranhão.

    Quero lembrar que vc e tantos outros defenderam todo esse pocesso se houve falhas ou suposta irregularidades, devem ser revistos em assembléia geral ou ser contestado na justiça.

    Entendo e defendo que todo aquele que de fato cobre o dia – a – dia da casa deve ter acesso, porém precisamos de regras do jeito que estava não poderia continuar.

    Não vejo com bons olhos dois comitês como ouvir nos corredores da casa, temos que ter consenso e respeitar aquilo que a maioria decidir em assembléia, e ai tudo bem. Só espero que não seja motivação politica e má fé dos colegas, pois hj quem defende outrora defendia essa estrutra.que ai está.

    • O que não se aceita é o constrangimento ilegal… mas isso será resolvido com diálogo na segunda-feira, com certeza

Os comentários estão fechados.