“É difícil tirar as pessoas de casa, num feriado, para votar no Castelo”, diz Roberto Rocha sobre falta de quórum em convenção do PSB

22h23 – O presidente municipal do PSB, Roberto Rocha, reagiu, hoje (29), às críticas daqueles que o acusavam – aliados de José Antônio Almeida, principalmente – de ter manobrado para evitar a presença de militantes em número suficiente que garantisse a realização da convenção do partido.

Para Roberto Rocha – que defende aliança com Edivaldo Holanda Junior (PTC) – os próprios aliados de Almeida não quiseram marcar presença no evento. “Fizemos um grande esforço para trazer pessoas para a convenção, mas a verdade é que foi difícil tirar as pessoas de dentro das suas casas, num feriado, para votar no Castelo”, disparou.

Para garantir o início da convenção, seria necessário o credenciamento de, no mínimo, 680 filiados, mas apenas 265 assinaram o livro de presença. “Esse resultado decorre da teimosia da de se realizar o congresso dentro da convenção de outro partido”, rebateu Almeida, referindo-se à tentativa de realização de convenção conjunta com o PTC.

O certo é que o PSB segue sem uma definição sobre que coligação integrará este ano. Neste momento, a Comissão Provisória Municipal está reunida para decidir justamente isso.

Fontes do blog garantem que, desse encontro, sai a aliança com o PTC.


2 pensou em ““É difícil tirar as pessoas de casa, num feriado, para votar no Castelo”, diz Roberto Rocha sobre falta de quórum em convenção do PSB

  1. Como conhecedor da história do PSB vejo entristecido que o Roberto Rocha quis transformar o partido numa legendinha de aluguel. Ora, o PSB é muito maior politicamente que o PTC, como poderiam seus militantes concordar em virar um apêndice político de qualquer partido que seja???!!!!!!
    A própria entrada de Roberto no partido feriu a história do partido, pois não foi democrática e sim imposta pelo presidente nacional que comprou o que ouviu e agora está vendo o que comprou….

Os comentários estão fechados.