BR-135: Ministério dos Trasportes quer dar “golpe” no MA

(Foto: Biaman Prado/O Estado)

Representantes do Ministério dos Transportes e do Departamento Nacional de Infraestrutura e Transportes (DNIT) fizeram, nesta terça-feira (24), uma verdadeira proposta indecente a membros do governo e das bancadas estadual e federal em reunião nas sede maranhense do (DNIT).

Querem adiar a duplicação da BR-135, trecho entre o Estreito dos Mosqutos e a cidade de Bacabeira, em, pelo menos, mais um ano. A ideia deles é duplicar a estrada pelo lado da adutora do Italuís – atualmente, o projeto prevê duplicação sobre a linha férrea da Vale.

Para isso, alegou o diretor executivo do órgão, Tarcísio Freitas, que o orçamento atual está muito alto e que as modificações, embora atrasem a execução dos serviços, trará economia de aproximadamente R$ 140 milhões – a serem utilizados para a duplicação do trecho seguinte, entre Bacabeira e Miranda.

Os representantes do Governo do Estado “pularam lá fora” e o clima ficou tenso na sede do DNIT. O secretário de Estado de Infraestrutura, Max Barros, disse que o estado não aceita negociar nenhuma alternativa que não seja a abertura imediata dos envelopes com a proposta vencedora do certame, para que a obra, comece, pelo menos, até o fim do ano – a promessa do Ministério dos Trasportes era de início em junho deste ano, um mês atrás (reveja).

“Nós nos negamos a discutir alternativas a esse projeto, feito pelo próprio DNIT, assim como o orçamento. essa proposta é um desrespeito ao Maranhão. O Governo do Estado é parceiro do Governo Federa, mas não aceita qualquer coisa que não seja a abertura imediata dos envelopes e o início imediato da obra, conforme foi prometido pelo Governo Federal”, disparou.

O secretário de Estado da Saúde, Ricardo Murad, também reagiu. Segundo ele, o Ministério dos Transportes tem trabalhado com prazos irreais quando estima o tempo necessário para a remoção da adutora.

Já o secretário de Meio Ambiente, Victor Mendes, alertou que, só para a elaboração de um novo Estudo de Impacto Ambiental, que atenda às modificações no projeto, seriam necessários mais seis meses. “Isso atrasaria, e muito, o início da obra”, destacou.

Os representantes do Ministério dos Trasportes e do DNIT não deram nenhuma posição final sobre o caso, mas a impressão que ficou após a reunião é a de que o Governo Federal está decidido a mudar o projeto. E, assim, a duplicação da BR-135 vai ficando para depois.


21 pensou em “BR-135: Ministério dos Trasportes quer dar “golpe” no MA

  1. Abram as porteiras, PAI FRANCISCO chegou!!!
    Caboclo, isso é molecagem! Não vamos aceitar mais um adiamento. Acho que tá na hora de Roseana Sarney dá um chega pra lá em Dilma!
    Dilma tá se perdendo, ela tá metendo os pés pela a cabeça…
    O Maranhão não vai aceitar isso!

  2. Por que a governadora Roseana e o sec. Max não propõe a estadualização da Br 135.
    Deveria estadualizar e em seguida privatizar a Br c

  3. Por que a governadora Roseana e o sec. Max não propõe a estadualização da Br 135.
    Deveria estadualizar ou mesmo privatizar e permtir pedagios.

  4. Essa construtora Serveng ai já foi envolvida em escândalos nacionais de superfaturamento em obras e licitações fraudulentas ou estou enganado, se não me falha a memória é essa mesmo, inclusive na história recente, ai tem!
    Não por nada o governo está louco para começar algo que já deveria ter sido feito à décadas! AI TEM MUITA COISA PODRE, POSSO SENTIR O FEDOR A DISTANCIA!

  5. A duplicação atenderia as necessidades da refinaria, como esta foi adiada, a duplicação também será. O Governo Federal nem liga pra São Luis

  6. “Cada povo tem o governo que merece!”
    Chora, Maranhão!!!
    Está aí o Sarney e os seus aliados que vocês tão endeusam…
    hehehehehehehehehehehe

  7. Gilberto,
    A BR 135 está se acabando. Está cheia de buracos, sem acostamento adequado, tem trechos que a diferença do asfalto para o acostamento mede mais de 30 centímetros, e o pior, não tem sinalização. Quem viaja à noite naquela rodovia está correndo sérios problemas. Não existe fiscalização por parte do DNIT nas rodovias federais que cortam o estado. As nossas autoridades estão desacreditadas e sem respaldo perante o governo federal para cobrar a solução desses problemas.

  8. O Maranhão é um Estado pobre e abadonado, ninguém dá valor, seus representantes sãos uns desprestigados e sem nenhum valor. Cadê a sua governadora, o presidente do senado, só para citar estes, os outros são tudo “rola bosta”, não se dão valor, enquantos esses trastes estão por ai, comendo e dormindo, a miséria nunca vai se acabar. As autoridades ficam com a cara de bundões, não tem aonde se esconder, enquanto os outros brigam para trazer melhoria para seus Estados o nosso, cada vez mais, indo para o fundo do poço. Ôh raça de inútil…

  9. Caro Gilberto,

    A duplicação ( entre as duas Ferrovias e o Italuis ) é inviável sobre todos os aspectos conforme detalhado abaixo:
    1 – Retirar o Italuis do local é muito caro e ainda que esse projeto fosse aprovado continuaríamos com o risco de um acidente gravíssimo com um possível descarrilamento do trem da Transnordestina;
    2 – Retirar os trilhos da Transnordestina (RFFSA) nem se fala, pois, não se pode interditar uma ferrovia por tanto tempo;
    3- E o mais importante (SEGURANÇA) imaginem a gravidade de um descarrilamento após duplicação da BR entre as duas linhas férreas Vale/Transnordestina.

    O mais viável é construir uma nova RODOVIA aproveitando a estrada da ELETRONORTE.

  10. O Fernando Sarney e cia querem empurrar a EIT goela abaixo, é por isso que a Dilma não manda muito mais dinheiro p o Ma porque só o Fernandinho quer botar as empresa deles: EIT, DUCOL,….

Os comentários estão fechados.