Vídeo do CNJ a Joaquim Barbosa estava há 795 dias na Internet

videoAs imagens de um homem rolando no chão com a perna direita completamente dilacerada deram o tom ao relatório entregue ao presidente do Conselho Nacional de Justiça (CNJ), ministro Joaquim Barbosa, pelo juiz maranhense Douglas Martins.

Por quatro dias, o vídeo circulou em redes sociais como sendo de um interno do Complexo Penitenciário de Pedrinhas, em São Luís. A TV Folha chegou a publicar as imagens em seu site (veja aqui), também como se fosse de um detento. “Preso é dissecado vivo em presídio do MA”, diz a manchete.

O secretário de Estado de Justiça e Administração Penitenciária, Sebastião Uchôa, revelou no sábado (28) que já tinha indícios de sua falsidade (reveja). No domingo (29), o próprio Douglas Martins admitiu que não tinha certeza da veracidade das imagens (aqui).

Na segunda-feira (30), no entanto, descobriu-se toda a verdade: o vídeo  é o registro de um acidente automobilístico ocorrido longe do Brasil, há pelo menos 795 dias (veja na imagem acima, que marca a data em que o vídeo foi postado. A captura da tela foi feita ontem).

A Polícia Civil, agora, investiga quem disseminou as imagens como sendo de um interno de Pedrinhas. Segundo o que já foi apurado, o agente penitenciário Raimundo Francisco Sales, aliado do presidente do Sindicado da categoria, César Bombeiro, foi quem copiou o vídeo da Internet e o passou adiante com o propósito de armar o escândalo contra o sistema prisional.

O blog apurou que Sales já depôs sobre o caso perante testemunhas, mas negou-se a assinar as suas declarações.

Além do vídeo, Uchoa salienta, ainda, outras “impropriedades” no relatório que ganhou as páginas dos jornais no fim de semana.

“Quando o juiz diz que foi impedido por líderes de facções de entrar em determinadas áreas da penitenciária, ele também faltou com a verdade. Na realidade, ele foi aconselhado pelos diretores da penitenciária a não fazer aquilo naquele momento, que também era o de visita de familiares. Os detentos não gostam de intromissão quando estão recebendo os parentes. Foi só um conselho que ele acatou. Não teve nada de proibição imposta por detentos”, assegurou.

Esse caso ainda vai render…

Em tempo: heavy-r.com é o site norte-americano que hospeda o vídeo há 759 dias. Já o issoebizarro.com é o site brasileiro que hospeda o mesmo filme desde o dia 1º de março de 2013.


5 pensou em “Vídeo do CNJ a Joaquim Barbosa estava há 795 dias na Internet

  1. Esse bostaa devia era ta dando impotancia era pra imagens veridicas. As barbaridades que ocorre em pedrinhas a casa do terror. As degolacoes, a duas faccoes que se nao tiver um punho da secretaria de seguranca ja era a cidade. Tem q baixa o pau nesses bandidos

Os comentários estão fechados.