TUDO ACERTADO? Empresa começa a montar Passarela do Samba antes da licitação

Presidente da Fundação Municipal de Cultura (Func), Marlon Botão, se enrola todo ao dar três versões diferentes para o caso

Adriano Martins/Evandro Jr., de O Estado

(Foto: Biaman Prado/O Estado)

(Foto: Biaman Prado/O Estado)

As enormes carretas com as estruturas para a construção da Passarela do Samba, por onde desfilarão as escolas e blocos do Carnaval de São Luís em 2015 chegaram ontem, pela manhã, ao local indicado, no Aterro do Bacanga. E, enquanto os funcionários da empresa contratada, a Construmaq Eireli-EPP, desembarcavam os ferros e demais materiais, do outro lado da cidade, na Central Permanente de Licitação da Prefeitura de São Luís, situada à Avenida Jerônimo de Albuquerque, Quadra 16, nº 06, no bairro Vinhais, ocorria o pregão para a escolha da empresa que iria, justamente, montar a passarela.

Pelo menos isso era o que constava do aviso de licitação, datado de 13 de janeiro e publicado dia 14 no Diário Oficial do Município, e também do edital do Pregão Presencial nº 004/2015, disponível na Central de Licitação. Por volta das 10h da manhã, em entrevista exclusiva para O ESTADO, o presidente da Fundação Municipal de Cultura (Func), Marlon Botão, anunciou o nome da empresa vencedora do processo: a empresa C.F. Eireli. De acordo com Marlon, os trabalhos de montagem começariam em 48 horas.

Mas, parece que a vencedora se adiantou aos planos do presidente e até mesmo ao resultado da licitação. A empresa que está no Aterro do Bacanga, descarregando os materiais possui sede em Belém, capital do Pará, e, de acordo com os funcionários, as carretas partiram da aludida capital, em uma viagem que dura, no mínimo, com a estrada boa, sem paradas e em velocidade média de 100km por hora, 8 horas. Ou seja, os caminhões partiram ontem do Pará, já com destino à São Luís.

Contradições

Marlon Botão anunciou que a empresa vencedora do processo licitatório 004/2015 foi a CF Eireli. Contudo a empresa que está lá é a Construmaq Eireli. Uma nota enviada ontem pela Secretaria de Comunicação da Prefeitura de São Luís, afirma que a empresa responsável é mesmo a Construmaq. Essa mesma nota ressalta que a passarela começou a ser montada ontem, às 14h e será finalizada em 11 de fevereiro. O orçamento destinado para montagem da estrutura da passarela é de R$ 680 mil. O edital previa gastos da ordem de até R$ 808.778,40.

O arquiteto da Func, Aguinaldo Rêgo, confirmou que a estrutura para montagem da passarela começou a ser descarregada em São Luís na manhã de ontem, mas que a montagem efetiva só começaria na manhã de hoje. Marlon Botão, presidente da fundação, ressaltou, contudo que ele, como gestor da Func, não autorizou que empresa nenhuma descarregasse material. “Se houve alguma conduta irregular é de única e exclusiva responsabilidade do empresário. A empresa que fez isso é que tem que se responsabilizar. Nós não autorizamos”, afirmou.

Ainda segundo Marlon, três empresas participaram do pregão, contudo, a ata da sessão, assinada por Thiago Vanderlei Braga, pregoeiro, Janaína Moraes Saldanha e Elisângela Pinheiro Diniz de Jesus, da equipe de apoio, e pelo representante da Construmaq, José Felipe Ayres Pereira, afirma que uma única empresa participou do pregão, justo a paraense.

E mais, o pregoeiro declarou a empresa inabilitada para o processo por ter apresentado certidão de pessoa jurídica no CREA da empresa com o capital social antigo, sendo que consta na referida certidão que em caso de qualquer alteração dos dados cadastrais da empresa, a mesma perderá a validade. O pregoeiro, então, deu o prazo de oito dias para regularização da situação.

Mesmo assim, com a empresa inabilitada, Botão afirmou que emitiu a ordem de serviço para execução da montagem e na tarde de ontem assinou o contrato com a empresa. “Estamos fazendo isso para garantir a celeridade, mas sem ferir nenhum dos princípios legais que a licitação exige”, ressaltou.

Prática

A assessoria da Func afirmou que, por se tratar de uma obra que demora muito tempo para ser levantada e demanda pessoal especializado, as empresas que participam deste tipo de pregão acabam por transportar o material utilizado na montagem para o local, mesmo que não tenham a certeza se vão ganhar a licitação. Em caso de derrota, o que eles fazem, segundo a Func é simplesmente voltar para a sua sede de origem, arcando com o prejuízo do transporte e do pessoal contratado para fazê-lo.


19 pensou em “TUDO ACERTADO? Empresa começa a montar Passarela do Samba antes da licitação

  1. Gilberto so sabe criticar , quando o prefeito nao faz fala e quando prefeito faz fala , qual e a sua ? Tu nunca falaste das dispensas de licitação que o bandido do Ricardo murad fazia na Sec. Saúde até de contrucao de hospital . Que a lei 8666 diz que e concorrência . Ta assim por que perdeu a boquinha das tetas do estado . Ta entendido

    • Deixa eu ver se entendi bem o seu raciocínio: então o Marlon Botão pode fazer isso pq vc diz que o Ricardo Murad tb fazia? Hummmm Tá bom então.

      • Esse é o grande erro de muitos, justificam os mal feitos deles comparando com os mal feito dos outros.
        E a mesma desculpa das nomeações de parentes e fichas sujas, se a governo anterior fazia , este também pode.

      • Isso é o chamado carta marcada! No fim vai ver q essas empresas participantes do pregão estão todas faturando! Q em licitações há esquemas todos sabemos, agora vms montar o “circo” de forma correta, pois essa de dizer q começam a obra e trazem o material antes mesmo de vencer não cola!

  2. Gilberto, NINGUÉM faz uma uma mobilização dessas sem ter a CERTEZA de que vai fazer a obra. Para se ter uma ideia, esse tipo de montagem ( envolve a segurança de milhares de pessoas) é precedida de estudos localizados do solo onde serão erguidas as estruturas e, exige uma mobilização DEMORADA ( e cara) pois, TUDO está vindo de Belém ( materiais, EPCs, EPIs, Pessoal habilitado, Ferramentais, , enfim uma gama enorme de ítens).
    Se somarmos todos os ítens de uma mobilização ( e a natural desmobilização) dessas, a mesma não é feita em menos de OITO DIAS e o custo médio da operação não é inferior a 7% do valor final da obra.
    Não sei se o pessoal da FUNC pensa que está lidando com idiotas, ou se eles da FUNC são os idiotas ( e desonestos é claro).
    O Que esta havendo na realidade é uma grande MARACUTAIA.,

  3. Otimo que vao montar! Isso também cala a boca de muito desinformado que ousou dizer que nao teriamos carnaval. Teremos! Vão ter que nos engolir!

  4. Chamam de maracutaia por que não tem empresa da familia Sarney sendo favorecida nisso. Se tivesse, estavam todos caladinhos.

  5. ah tá… as empresas de sao luis estao tristinhas porque não pegaram essa grana.. Nao tem competencia?nao ganha!Aprende e entra na fila!

  6. Não sou daqui mas me divirto com a política local. Pelo q eu entendi existem sempre dois pesos e duas medidas. Se a falcatrua é do lado do Sarney é uma pouca vergonha, se é do outro lado, sempre tem uma justificativa. É bem interessante…

  7. Caro Jornalista, Aguinaldo Rego é arquiteto da FUNC há muitos anos e coincidentemente ou não a empresa que monta a estrutura de passarela é a mesma, também há muitos anos. Felipe Ayres e Aguinaldo Rego S/A são amigos há anos, portanto os atropelos e declarações na imprensa são meras consequências da desorganização e desespero ante a proximidade do carnaval.

  8. Gilberto,ao que me parece, a esmagadora maioria dos maranhenses entende que LADRÃO BOM é o ladrão que é do nosso lado, já o LADRÃO que está atrelado ao nosso adversário, esse sim, é o PIOR LADRÃO.
    No mais, fica cada vez clara a minha certeza de que o Maranhão é um vira latas entre os estados, e que o Maranhense é um viralatas entre os brasileiros.

  9. Pingback: Marlon Botão: dois pesos e duas medidas na Func | Gilberto Léda

Os comentários estão fechados.