Saga dos 21,7%

decisaoE a novela dos 21,7% devidos a servidores públicos do Maranhão continua. Num dos capítulos mais recentes, a Justiça tornou a dar ganho de causa a uma parcela importante da máquina estadual: os servidores do Fisco.

O Sindicato do Fisco Estadual (Sintaf/MA) conseguiu derrubar o pedido de liminar do governo do Maranhão que pleiteava na Justiça a retirada dos 21,7% dos servidores do grupo TAF (Tributação, Arrecadação e Fiscalização).

A decisão da Justiça de derrubar o pedido de liminar do governo mantém, portanto, o percentual nos vencimentos dos servidores, bem como garante a continuidade do andamento dos processos de formação dos precatórios.

Para o presidente do Sintaf, José Oliveira Ataídes, o indeferimento da medida liminar em benefício do Sintaf­MA é uma grande vitória para os servidores. Ao argumentar sua negativa ao pedido de liminar, o desembargador Marcelino Chaves Everton afirmou “não parecer razoável, diante de tantos julgados, em sua esmagadora maioria unânimes, deferir liminar, em ação rescisória, para sustar a execução do acórdão, que teve seu trânsito em julgado devidamente certificado nos autos”.

A categoria do fisco estadual foi a primeira a obter o direito aos 21,7% repostos aos vencimentos. Enquanto os fiscais da Receita comemoram, o imbróglio continua para servidores do Judiciário.

Da coluna Estado Maior, de O Estado do Maranhão, com edição do blog


2 pensou em “Saga dos 21,7%

  1. A greve do judiciário não é pelos 21,7%, essa já é uma questão judicializada,da qual aguardamos julgamento de recurso. Estamos em greve pela nossa reposição inflacionária de 6,3% referente ao ano de 2014. Uma vez que, os servidores magistrados já tiveram suas reposições de pouco mais de14% implantadas desde Janeiro. Portanto, nós demais servidores também temos direito de acordo com a CF

Os comentários estão fechados.