Flávio Dino articula encontro de governadores contra impeachment em BSB

dinoO governador do Maranhão, Flávio Dino (PCdoB), tenta articular para amanhã (8), em Brasília, um encontro de governadores contra o impeachment da presidente Dilma Rousseff (PT).

Segundo a coluna Paine, da Folha, os governadores do Nordeste – os primeiros a se unir em torno da causa – já estão confirmados.

Dino agora busca o apoio de governadores do Rio de Janeiro, de Minas e do Acre.

O comunista também pensa em um encontro com juristas, para discutir as teses de desconstrução do pedido de impedimento da petista.


5 pensou em “Flávio Dino articula encontro de governadores contra impeachment em BSB

  1. Confesso que não sei dizer se feliz ou infelizmente o impeachment vai passar na Câmara. Como depende de 2/3 dos votos dos deputados, ou seja, 342, pode-se afirmar que a oposição não vai conseguir esse número de votos e, assim, não vai emplacar mesmo o pedido. Alegria para uns e tristeza para um montão de gente.

    Agora, a situação do país continuar do jeito que está, é que não dá mesmo, com o povo comendo o pão-que-o-diabo-amassou e pagando um preço alto demais pela redução de salários, pela queda brutal no nível de emprego e pela inflação cada dia maior. Some-se a tudo isso os aumentos constantes de energia elétrica e dos combustíveis. Ou seja, não há salário que aguente! Tudo, como se diz, pela hora da morte!

    Se com esse movimento do governador maranhense, o pedido não passar na Câmara, certamente ele será muito bem visto pelo Palácio do Planalto. Espera-se que isso renda bons frutos para o Maranhão. Se o pedido é golpe, é outra história, pois coloca em dúvida todo o saber jurídico de 2 grandes homens: Hélio Bicudo, um dos fundadores do PT, que deixou o partido quando viu há muito tempo que o discurso de Lula para ganhar as eleições era um e a prática era outra, e o Miguel Reale Júnior, de renome internacional, e a advogada Janaína Paschoal, muito respeitada no meio acadêmico.

    Por outro lado, segundo vi em debate na Globo News, há uma pesquisa revelando que 63% do povo quer mesmo ver a Dilma fora do governo. Assim, o governo trabalha para que não haja o recesso. É uma forma de evitar novas manifestações de rua pedindo pelo impeachment.

    O populismo, abraçado por Dilma e Lula, já começou a perder espaço e crédito no cone sul, com a derrota de Kristina Kirchner, na Argentina, e do ditador Nicolás Maduro, na Venezuela. No mais, é esperar pela votação para ver no que vai dar.

    O que todos nós brasileiros queremos é que o país saia, dentro da maior brevidade possível, dessa merreca de vida que o governo petista nos impôs com sua péssima administração.
    Jesus dos Santos

  2. ” Deveriam ir embora ela, ele e uma lista interminável de maganos arrolados na Lava Jato.” (por Elio Gaspari)

    “Esse trecho” sintetizou o que ACHO (penso). Agora é muita cretinice do direitinho ex-juiz Flávio Dino DIZER QUE É UM GOLPE TIRAR A DILMA. Que na realidade aproveita esse momento para projetar-se a uma eventual candidatura à presidência da República – daqui a uns onze anos, e realizar – de vez – o seu sonho DE SER UM NOVO SARNEY.

    Marco Antonio Carvalho Diniz

Os comentários estão fechados.