Após caos e recuo do governo, SMTT volta a fiscalizar avenidas de SLZ

agentesApós o caos em que se transformaram algumas das principais vias de São Luís por conta da retirada dos agentes de trânsito da SMTT de pontos de fiscalização (reveja), o Governo do Estado resolveu recuar e entrar em acordo com a Prefeitura de São Luís para revogar pontos do Plano Rodoviário do Maranhão que estabelecem como rodovias trechos das avenidas Jerônimo de Albuquerque, Guajajaras e Holandeses.

No pacote, entraram, ainda, a Via Expressa e o trecho da MA-201 que vai da Forquilha até a rotatória do Anil.

Como eram consideradas MAs, essas vias não estavam contando mais com a presença dos “marronzinhos” no auxílio ao trânsito.

“Já existia um convênio assinado com o Estado [para fiscalização por parte da SMTT], que perdeu algum objeto quando o Estado resolveu avocar para si a responsabilidade sobre MAs, mas isso já foi esclarecido. Tivemos reuniões com o Estado e vamos fazer as mudanças todas. O governador vai assinar e a gente já volta a fiscalizar hoje”, informou mais cedo o secretário municipal de Governo, Lula Fylho.

Segundo ele, a lei que estabelecia vias dentro da capital como MAs é de 1973 e terá trechos revogados para a municipalização dos trechos.

“Essa é uma lei de 1973, está bem caduca e, então, essas MAs vão ser municipalizadas”, completou.

Agentes da SMTT andam de farol apagado em rodovia de São Luís


11 pensou em “Após caos e recuo do governo, SMTT volta a fiscalizar avenidas de SLZ

  1. o problema não é a lei ser de 1973, mas sim a ignorância geral dos do governo. Ora, basta ler a lei para saber que até mesmo rodovias que cortam cidades são consideradas avenidas no trecho urbano, bastando para isso ter… iluminação pública!
    Mas o governo do ex juiz desconhece a Lei!

  2. Duas categorias de funcionários públicos municipais que não se ver: os agentes de trânsito e os guardas municipais, estes só são vistos em cerimônias da prefeitura e de resto ficam sabe Deus onde, mas recebem seus salários integralmente todos os meses, enquanto os porteiros contratados da Jm serviços que trabalham nas escolas até hoje não há sequer uma promessa de receber seus salários que Deus tenha misericórdia do atual prefeito porque eu não tenho.

  3. Sem os agentes realmente tava um caos.
    Quinta o trânsito estava horrível.
    Eu pensava que era acidente.Mas depois que li o Estado do Maranhão de hoje que vim saber a realidade.

  4. É sabido que na ausência de órgão municipal de fiscalização, controle e organizaçao de trânsito, a polivalente Polícia Militar assumiria aquelas funções no transito local.
    Sabe-se perfeitamente que em nossa Sao Luís, existe uma Secretaria Municipal própria, ou seja, a Secretaria Municipal de Transito e Transporte -SMTT, criada e organizada para atuar no trânsito de São Luís, cuja organização, criaçao dos cargos de agentes da autoridade de transito, cursos de formação e capacitação contínua, muito deu outros ares de postura organizacional ao conturbado transito da cidade por causalidades diversas.
    Sabe-se ainda que o efetivo da Polícia Militar somente para atuação preventiva à criminalidade na região metropolitana da grande Sao Luís, anda aquém da necessidade real, isto é, diante dos desafios macros, quase não tem conseguido cumprir com sua missao em toda sua plenitude, embora os esforços heróicos do efetivo existente, nao se pode negar.
    A lógica de criar uma unidade policial militar para atuar no trânsito de Sao Luís sob argumento que so atuará nas MA, parece-me além de ilógico, desrespeitoso com a força pública municipal de transito e até com a Secretaria Municipal de Segurança com Cidadania, uma vez que a esta, encontra-se subordinada a Guarda Municipal de Sao Luís que recentemente obteve a autorização legal para atuar na prevenção à criminalidade em ação complementar à Polícia Militar na capital.
    Os governos estadual e municipal, parecem que são unidos em bandeiras políticas-partidárias, daí nada melhor que chamarem seus auxiliares para, TECNICAMENTE, resolverem o desnecessário impasse criado, pois, no meio da invasao de competências administrativas territoriais, encontram-se os pedestres, transeuntes e a população no geral que, não bastasse as vias públicas continuarem a desejar, ainda que muitas terem sido asfaltadas, mais essa dor de cabeça terá que suportar.

  5. […] tinha que assumir duas postura largar de frequentar boates de madrugadas com o ( a ) chefe de gabinete dele e trabalhar pois de vagabunda a cidade ta cheia

  6. Na verdade o governo viu a oportunidade de gerar receita com multas. E o tiro saiu pela culatra.

  7. Foi bom passar esses dias sem agente alí para o povo perceber a importância da SMTT para o fluxo de nosso trânsito, que desempenha um bom trabalho na medida do possível!

Os comentários estão fechados.