“Quero liberdade”, diz Holandão ao justificar saída da base governista

O deputado estadual Edivaldo Holanda (PDT) comentou hoje (6), pela primeira vez publicamente, a sua decisão de deixar a base de apoio ao governador Flávio Dino (PCdoB) na Assembleia Legislativa (saiba mais).

Em entrevista ao Blog do Gilberto Léda ele explicou o motivo da sua decisão.

“Eu quero liberdade, uma liberdade maior no plenário para analisar determinadas matérias e ter meu posicionamento bem mais próximo da comunidade do estado que me elegeu”, disse.

Segundo ele, não procede a informação de que, em algum momento, ele tenha pensado em deixar o PTC para filiar-se ao PEN, ou mesmo juntar-se ao partido para votar em bloc.

“Eu deixei o bloco, não foi com a intenção de deixar o meu partido. Também não deixei meu bloco para votar com determinado partido, a minha votação é pessoal, é minha, é individual, a análise é minha, a liberdade é minha de votar. Eu não vou votar com a orientação de A, B ou C”, acrescentou.

O petecista também ressaltou que ainda não conversou com o filho, o prefeito de São Luís, Edivaldo Holanda Júnior (PDT), após a tomada de decisão. O pedetista é um dos principais aliados do governador.

“Eu não conversei com ele depois disso. Está com dois dias que eu não o encontro. A decisão é minha, não tinha como compartilhar com ele, nem com ninguém. Foi uma decisão pessoal”, completou.

Holandão afirmou, ainda, não esperar nenhum tipo de retaliação por parte do Palácio dos Leões. “Não acredito, o governador é um estadista”, concluiu.

Pressão

Após a sessão plenária desta quinta-feira, o deputado Levi Pontes (SD) foi o escalado pelo governo para tentar demover Edivaldo Holanda da ideia.

Valendo-se de uma “amizade antiga”, o governista passou alguns minutos numa conversa de “pé de ouvido” com Holandão (veja ao lado).

A “cantada”, contudo, parece não ter surtido muito efeito…


5 pensou em ““Quero liberdade”, diz Holandão ao justificar saída da base governista

  1. Ele precisa é mandar o filho dele aprender a governar. A cidade está um caos. Ninguém aguenta mais tanto descaso.

  2. Pingback: Edivaldo Holanda justifica saída da base governista | Blog do Ronaldo Rocha

  3. “Quero liberdade”, diz Holandão ao justificar saída da base governista

    E EU ! NO DIA DA “POSSE”, DISSE AO MÁRCIO JERRY : – NÃO POSSO FICAR DE FORA ! – ELE RESPONDEU: – TU ÉS QUEM VAI DIZER O QUE TU VAIS QUERER. PENSANDO MÁRCIO QUE IA ME ENQUADRAR.

    DEDICO O TRECHO ABAIXO , ESCRITO E DISSEMINADO NA BLOGOSFERA NO DIA 05 DE JANEIRO DE 2016, AO ANTIPÁTICO SECRETÁRIO, QUE E FÃ DAS MINHAS PERCEPÇÕES, QUE, POR SUA VEZ – PREFERE CHAMÁ-LAS DE PREVISÕES:

    (…) Agora não sei se Flávio sabe, mas o seu suposto segundo governo será DE PURO DESCONTROLE POLÍTICO, protagonizado – principalmente – pela ofensiva do PDT no estado, e pelo inevitável o afastamento do PSDB devido à disputa nacional. A COISA É COMPLICADÍSSIMA para o atual governador do Maranhão a partir de 2018, independentemente do que venha a acontecer eleitoralmente.

    (…) Bem; se é que podemos comparar, Sarney construiu o seu grupo político. Já Flávio Dino, juntou cobras; raposas; traíras e outros bichos – e os pôs NA COVA DOS LEÕES. Ou seja, Flávio detém o Poder; mas não exerce o controle sobre o “seu” suposto (ou imposto) grupo.

    RESUMINDO: FLÁVIO NÃO VEIO PRA FICAR; É que Dino não é tão forte assim – APENAS JUN-TOU “FORÇAS CONTRÁRIAS QUE NÃO SE ATRAEM”. Hein !!! (…)
    ———————————————————————————————————–

    – É FÁCIL PREVER ISSO: COMO PODE, ” os caras”, veteranos, se conformarem em serem co-mandados por DOIS BUCHUDOS ?

    – Flávio e Márcio pesam que estejam no DCE DA UFMA, ou nos embates Petistas e Cutistas dos Anos 1980/1990. É que os dois pertenciam a corrente majoritária PETISTA/CUTISTA ( ARTICULAÇÃO) -, QUE ABRIGAVA “OS DONOS DA VERDADE”.

    Marco Antonio Carvalho Diniz

Os comentários estão fechados.