Juiz proíbe paralisação de médicos do Maranhão

O juiz Douglas de Melo Martins, titular da Vara de Interesses Difusos e Coletivos deferiu ontem (30) um pedido de tutela de urgência do Estado do Maranhão e proibiu os médicos que prestam serviços no âmbito do Estado de paralisar suas atividades.

A categoria prepara-se para um movimento que deve começar no dia 4 de dezembro, com a paralisação de consultas (saiba mais).

“As consultas que já foram marcadas só serão atendidas até a segunda-feira, 3. Os serviços médicos de emergência e urgência ficam à disposição até o dia 7. Se até esta data o Governo do Estado não tomar um posicionamento, fizer uma nova negociação e cumprir o acordo, todos os atendimentos médicos serão paralisados”, anunciou durante a semana o presidente do Conselho Regional de Medicina do Maranhão (CRM-MA), Abdon Murad.

Agora, com a decisão judicial, os profissionais devem continuar fornecendo os serviços médicos de forma regular e integral.

Para buscar uma mediação para o problema entre os médicos e o Governo do Estado, o juiz titular da Vara de Interesses Difusos e Coletivos, Douglas de Melo Martins, também designou audiência de conciliação para a próxima segunda-feira (3), às 8:50h.


9 pensou em “Juiz proíbe paralisação de médicos do Maranhão

  1. Acaso a greve fosse dos médicos empregados de uma clínica particular qualquer por falta de pagamento, era o maior misancene dos comunistas, das entidades trabalhistas, dos órgãos trabalhistas e da Justiça do Trabalho, mesmo que o Empregador fosse credor do próprio Estado do Maranhão! E os donos da pobre clínica já estariam multados hoje até o talo! Oxalá até presos por tamanha crueldade, mesmo com a crise nacional!!!

    E o MPE, será que se fez de rogado perante os apelos da classe médica!??

  2. Só não entendo pq nunca o judiciário obriga o patrão (governo) a pagar ou pelo menos negocia o que deve … Toda grave é assim o judiciário bem e proíbe as categoria de exercer o direito de greve porem nunca toma uma medida conta os patrões, vide os caso do transporte publico tbm… Por isso que hj acho que o grande problema do Brasil não é a corrupção e sim o judiciário inoperante e parcial ….

  3. Coitados dos médicos!
    Precisam de um juiz que faça justiça! Será justo os médicos trabalharem nas condições que enfrentam nos Socorrões , no Hospital da criança, na Maternidade Marly Sarney? Será justo terem os valores que recebem, “congelados” há 5 anos e ainda conviverem com atraso, de 3 meses, no pagamento? Tenha paciência!

  4. Coitados dos médicos!
    Então, é justo os médicos trabalharem nas condições que enfrentam, nos Socorrões, no Hospital da Criança, na Maternidade Marly Sarney? É justo terem os valores “congelados” há 5 anos e ainda conviverem com atraso de 3 meses? Então, os médicos não são cidadãos, não podem contar com o amparo da lei? Se reivindicarem serão punidos com multa ou perda dos seus postos de trabalho. Situação difícil!

  5. Acho que sempre devemos nos colocar no lugar do outro!
    Quem aqui gostaria de não receber aumento nos últimos 9 anos, não ter condições mínimas de trabalho nos hospitais do Estado, ter seus salários atrasados por três meses e assistir seu patrão emitir uma portaria baixando seu salário em 10%.
    Quem aqui aceitaria isso???
    Quem está de acordo???
    Como a justiça é capaz de impedir o direito de greve mas não é capaz de obrigar o governo a honrar seus compromissos?
    Porque a justiça não obriga o governo a não baixar o salário dos médicos e sim reajustar como o do próprio judiciário que receberá aumento após o aumento dos ministros do STF???
    A justiça brasileira é um lixo!!!!

  6. esse puxadinho do executivo é triste! afinal de contas, o reajuste de 33 mil para quase 40mil pro judiciário vai fazer parte agora mesmo, e, uma decisão contraria ao governo, nao iria pegar bem. Isso pq no judiciário ,os salários nunca atrasam… daí, foda-se quem nao puder. Farinha pouca meu pirão primeiro.
    A Raquel Dodge, procuradora da republica, ainda entrou na justiça para nao perder o auxilio moradia , que é de 4.500 mensais…, quanta imoralidade desses poderes poderosos!

  7. Pingback: ESTADO DE GREVE: audiência na Justiça pode definir futuro de médicos no MA - Gilberto Léda

Os comentários estão fechados.