Ilson Mateus diz que é vítima de desinformação no “Caso Maciel”

O presidente do Grupo Mateus, empresário Ilson Mateus, negou hoje, em entrevista coletiva, que receba qualquer benefício exclusivo do Governo do Maranhão em suas operações, disse que é vítima de “desinformação” e pediu apoio da imprensa para divulgar dados corretos sobre o caso.

“Estou pagando muito caro por uma desinformação. Eu não mereço isso. Nós trabalhamos de sol a sol aqui, eu queria o apoio de vocês. Nós precisamos nos juntar. Não façam isso comigo. Eu quero o mesmo que vocês querem: um estado melhor, com mais emprego”, disse.

O empresário decidiu conceder a entrevista depois de viralizar um vídeo sobre a quase falência dos Supermercados Maciel. Segundo a versão que ganhou corpo, a crise dos concorrentes se daria em virtude de incentivos exclusivos concedidos pela gestão estadual ao Mateus.

O presidente do Grupo Mateus garante que não. De acordo com Ilson Mateus, ele ainda não se credenciou como Centro de Distribuição – o que já é permitido desde a aprovação da Lei 10.576/2017 – e segue credenciado como atacadista, assim como outros 104 empresas do Maranhão, todos com a possibilidade de pagar 2% de ICMS ao vender produtos para pessoas jurídicas – a alíquota é mantida para até 30% das vendas a pessoas físicas.

Mateus destacou, ainda, que o próprio Maciel também era credenciado com atacadista e tinha o mesmo benefício fiscal, até maio de 2018, quando deixou a lista por não atender as regras do Decreto 31.287/2015.

“Eu não quero nenhuma vantagem a mais do que ninguém”, completou. E lamentou a repercussão do caso. Segundo o empresário, concorrentes nacionais dele estão tirando proveito da situação.

“Isso abala a credibilidade. Fornecedores meus estão ligando, querendo saber o que houve. Investidores também dicam preocupados. Quem vai perder é o Maranhão”, ressaltou.

Concorrentes são outros

Durante a coletiva, Ilson Mateus acrescentou que não vê monopólio na sua atividade e disse que se prepara para a entrada de concorrentes maiores no Maranhão nos próximos anos. O empresário cita nominalmente as redes Carrefour, Pão de Açúcar/Assaí e até a chilena Ceconsud.

Sem citar o Maciel, ele apontou que a falência de alguns grupos varejistas, não apenas no Maranhão, mas em todo o país, tem sido comum nos últimos anos por conta da entrada de concorrentes como esses.

“Nós trabalhamos dia e noite aqui. Estamos focados no nosso negócio para manter ele de pé, porque esses caras vão vir e eles não dão moleza”, destacou.

Carone

Mateus também explicou a relação da sua empresa com os antigos supermercados Carone – agora com a bandeira El Camino.

O empresário diz que a nova marca é uma franquia e que, nesse caso, ele atua em parceria com outros varejistas de menor porte.

“Eu não comprei o Carone, eu sou um parceiro do Carone”, diz ele, apontando que, após anos no vermelho, a rede chegou a lucrar mais de R$ 400 mil em dezembro do ano passado após aderir ao seu modelo de negócios.

Negócios

Ao citar um faturamento de R$ 7 bilhões em 2017 – crescimento de 150% em cinco anos, desde 2012 -, Ilson Mateus anunciou que prepara a abertura de capital da empresa, o que deve ocorrer até 2022.


17 thoughts on “Ilson Mateus diz que é vítima de desinformação no “Caso Maciel”

  1. Continuam as incertezas. Agora aparece uma lei para atacadista diferente da dos Centros de Distribuição e sem ter sequer número! Só que tem o mesmo benefício de 2% de ICMS da lei dos Centros de distribuição! Eles juram de pés juntos que são para os atacadistas que preencham requisitos da mesma. O Ilson Mateus diz que são 104 empresas beneficiadas, sem mostrar as exigências de tal lei para credenciamento e nem mostra com clareza a indicação das 104 beneficiadas. Aliás, não se sabe nem como ele pode afirmar isso com segurança que são 104 beneficiadas, pois o Sr. Ilson Mateus não é funcionário do Estado e nem tem procuração pra representar alguém..

    Isso tudo continua ainda soando com um forte odor ocre de favorecimentos ao Mateus, o que por si só se constitui uma grave ilegalidade.

    • vcs não se decidem… uma hora dizem que ele tá apanhando da oligarquia, outra hora que o pessoal da oligarquia tem rabo preso com ele… complicado

  2. Vale lembrar que o modelo de negócio dele com o El camino é assim:
    Eu assumo a operação do teu supermercado, ponho minha marca e tu é obrigado a comprar todos os produtos na distribuidora Mateus.

  3. Um tapa na cara de todos vcs que, no desespero de atingir um governo, prestam um deserviço ao Maranhão.
    Quem conhece a história do Mateus sabe o quanto esse cara ralou p conseguir chegar onde chegou.
    Agora vcs colocam a cabeça embaixo da asa pq viram a merda que estavam fazendo ao tentar, de maneira rasteira, atingir o Governo.

  4. Pingback: Mateus fez numa tarde o que o governo não conseguiu em dois anos - Gilberto Léda

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *