Davinópolis: TJ nega habeas corpus a vice acusado de mandar matar prefeito

O desembargador José Luiz Oliveira de Almeida, do Tribunal de Justiça do Maranhão (TJMA), negou hoje (23) um habeas corpus impetrado pela defesa do vice-prefeito de Davinópolis, José Rubem Firmo (PCdoB), o Rubem Lava Jato.

Ele está preso desde o fim do ano passado, acusado de ser um dos mandantes da morte do prefeito da cidade, Ivanildo Paiva (reveja).

Lava Jato foi inicialmente preso temporariamente, quando, então, seus defensores protocolaram o HC.

Ocorre que, no dia 9 de janeiro, a temporária foi convertida em prisão preventiva, e o pedido do vice-prefeito acabou perdendo objeto, segundo o magistrado que analisou o caso.

“Observo que os motivos que ensejaram a impetração deste mandamus não mais subsistem, sendo forçoso reconhecer sua prejudicialidade, ante a superveniência do decreto de prisão preventiva, a qual constitui novo título prisional. Com essas considerações, julgo monocraticamente prejudicado o presente habeas corpus, por perda superveniente de objeto”, despachou.

Baixe aqui a íntegra da decisão.


2 pensou em “Davinópolis: TJ nega habeas corpus a vice acusado de mandar matar prefeito

  1. Nem mesmo um cabaré,deveria levar o nome de um pistoleiro,que dirá uma cidade.
    Só no Brasil,presta-se esse tipo de indulgência politica,o que esperar de um lugar que homenageia um matador de aluguel…

  2. Pingback: Davinópolis: Câmara rejeita cassar vice acusado da morte de prefeito - Gilberto Léda

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *