Deputado Fábio Macedo é preso em Teresina

O deputado estadual Fábio Macedo (PDT) foi preso na madrugada de hoje (9) em Teresina (PI) após uma confusão em um show.

Segundo as primeiras informações, o pedetista agrediu o cantor Léo Cachorrão – a quem teria pedido o microfone para cantar -, e um policial militar.

Apos a chegada da PM, Macedo ainda ameaçou os policiais de morte.

“Vocês são polícia, né? A gente mata gente”, disse o parlamentar, perguntando aos PMs se eles conheciam Dedé Macedo, seu pai.

Há ainda uma discussão mais ríspida com o policial supostamente agredido, que disse a Fábio Macedo que ele não era autoridade.

“Eu sou, eu sou mais que tu. Eu sou deputado, e sou rico. Vou mandar te matar, vagabundo. Vou te pegar, eu te mato. Sou filho do Dedé Macedo. Pergunta quem é Dedé Macedo. Eu vou te matar. Vou mandar de matar”, vociferou Macedo.

Dirigindo-se, em seguida, a um segundo militar. “Tá morto ele. Pergunta quem é Dedé Macedo. Esse cara tá morto”, completou.


13 pensou em “Deputado Fábio Macedo é preso em Teresina

  1. Pingback: Fábio Macedo ao ameaçar PM: 'Sou deputado, e sou rico'; ouça áudio - Gilberto Léda

  2. Filhinho de papai rico q n teve profissão foi ser politico. Ainda fala q o pai é matador […] e ainda se orgulha disso. Uma lastima ….
    Policiais frouxos esses heim.

  3. Isso tem que acabar todos são iguais perante a lei , se errar pode ser quem for tem que ser punido e se alguém se Glorias por ser filho de assassino mandante de crimes tem que perder o mandato e ser julgado conforme decorro parlamentar e depois pela justiça comum e a imprensa tem por obrigação de difundir todo processo para que seja medida coercitiva aos plebeus menos avisados em todo país.

  4. Ta ai os exemplos q as autoridades parlamentares , tanto como as outras do governo estadual e federal imprime pra sociedade.. Quem era pra serem exemplos para a sociedade. Ta ai o vexame.

  5. Vagabundo disfarçado de deputado.
    Se afastou do cargo pra se tratar e voltou se fazendo de coitado.
    Agora duvido se vai responder algum processo

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *