São Luís e Teresina entre as 27 melhores cidades do Brasil para viver

As cidades de São Luís (MA) e Teresina (PI) apareceram em recente ranking da Revista Bula, com base em método da Federação das Indústrias do Estado do Rio de Janeiro (Firjan) entre as 27 melhores cidades do Brasil para se viver.

A capital do Piauí está em 11°, a maranhense, 22º.

Veja o que o levantamento diz de cada uma delas (acesse aqui a íntegra do ranking).

São Luís, Maranhão
Com 1, 1 milhão de habitantes, São Luís é o município mais populoso do Maranhão e está entre as melhores capitais do Nordeste para se viver. A cidade é litorânea e atrai turistas o ano todo, mas também possui um forte setor industrial, com grandes empresas e corporações, e atua em operações portuárias. No ranking elaborado pela Firjan, São Luiz ocupa a 932ª posição.

Teresina, Piauí
Apesar de ser a única capital não litorânea do Nordeste, Teresina tem muitos outros atrativos para a população. No ranking da Firjan, a cidade obteve bons índices em educação, renda e saúde, ficando na 186ª posição, a quarta melhor colocação entre as capitais brasileiras. Teresina também é considerada um local de inovação e figura entre as 50 cidades mais inteligentes do Brasil, de acordo com a revista “Exame”. A capital possui aproximadamente 812 mil habitantes.


8 pensou em “São Luís e Teresina entre as 27 melhores cidades do Brasil para viver

  1. Com todo respeito, o destaque é negativo, considerando a posição nacional de São Luís. Ela é apenas a melhor do Estado do Maranhao. Esse mérito é possível porque as nossas demais cidades são muito ruins.
    Pelo menos é o que entendi. Peço desculpa se me equivoquei.

  2. Esse ranking e louco. Não tem quase nenhuma capital e desde quando SLZ e tudo isso que falam? Qual a concepção de viver bem? Ruas esburacadas, sem infraestrutura nenhuma, miséria assolando, cidade suja, mal cuidada pelo poder públicos estadual e municipal, asfalto nojento, sem calçadas, só uma rede de supermercados, sem mobilidade, poucas avenidas, feia, fedorenta e abandonada. E o turismo em SLZ nem é isso tudo. A sorte é o IPHAM, pois inexiste prefeitura. Coitada da minha cidade.

  3. Vejam o estudo da Federação das Indústrias do Rio de Janeiro que consta na matéria publicada
    “Com 1, 1 milhão de habitantes, São Luís é o município mais populoso do Maranhão e está entre as melhores capitais do Nordeste para se viver. A cidade é litorânea e atrai turistas o ano todo, mas também possui um forte setor industrial, com grandes empresas e corporações, e atua em operações portuárias. No ranking elaborado pela Firjan, São Luiz ocupa a 932ª posição.”
    O nome dessa revista deve ser Burla

  4. Para mim, com 5 570 municípios, e estar no ranking elaborado pela Firjan, São Luís ocupar a 932ª posição… Isso é fajuto. Isso é mixuruca. Para mim é nota seis.
    Muito ainda precisa ser feito por aqui. Já melhoramos muito. Mas ainda é muito pouco. Transporte público insuficiente, inconstante, sujo e ultrapassado. Ruas esburacadas na maioria dos bairros. Só não na semi-Miami Ludovicense. Avenidas largas, iluminadas, sinalizadas, arborizadas, asfaltadas. Se hoje aparece um buraco, em três dias estão lá arrumando e penteando tudo. Desigualdades a mil por hora. Particularmente, uma Cidade destas aqui era para estar vomitando turistas. O tempo todo e sem depender de períodos sazonais. Cartagena de las Índias na Colômbia também é Patrimônio como São Luís. Também esteve sob o risco de perder o título. Hoje recebe cerca três milhões de turistas ao ano. Um detalhe é que fica a 1061 quilômetros da capital Bogotá

  5. Pobreza existe em todos os estados, porém realmente no maranhão e desigualdade é bem maior no Maranhão, no entanto não podemos generalizar. Você acha que os moradores do bairros nobres de São Luis passam por este problemas? Aliás quando a pessoa tem condições financeiras boas pode morar no deserto que consegui um bom lugar pra morar e com todo conforto, a pessoa não trabalha e nem estuda e só tem condições de morar em bairro ruim da cidade mesmo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *