Antaq multa Emap por transferência de verba do Itaqui para o Estado

A Agência Nacional de Transportes Aquaviários (Antaq) aplicou no início deste ano uma multa de mas de R$ 125 mil à Empresa Maranhense de Administração Portuária (Emap) acusada de haver transferido irregularmente recursos financeiros da exploração de áreas e instalações portuárias sob sua administração para o Tesouro do Estado do Maranhão, a título de Juros Sob Capital Próprio.

No total, jã se sabe que foram transferidos aproximadamente R$ 140 milhões, mas há informações de que o valor pode ser maior.

A verba era oriunda de taxas pagas pela utilização do Porto do Itaqui. Em ação que tramita na Justiça, o governo Flávio Dino (PCdoB) garante que não se apossou de recursos federais, apenas aplicou parte das taxas, transferiu o apurado com juros para as contas do Estado, e devolveu o principal ao porto.

Além da multa, a Antaq confirmou a O Estado que há ainda outros procedimentos instaurados para apurar irregularidades na gestão da Emap.

“Há uma série de Processos Administrativos instaurados para apuração da questão que encontram-se sob sigilo processual”, disse, citando o Processo de Consulta Nº 50300.006065/2018-90, para averiguar a legalidade das transferências de recursos, e o Processos Administrativo Sancionador 50300.019376/2018-19.

__________________Leia mais
‘Contrato tem que ser cumprido’, diz ministro sobre briga pelo Itaqui

“Observa-se que o Processo nº 50300.011803/2018-11 encontra-se transitado em julgado. A ANTAQ aplicou multa pecuniária no valor de R$ 125.180,56 (cento e vinte e cinco mil cento e oitenta reais e cinquenta e seis centavos) à Empresa Maranhense de Administração Portuária – EMAP, CNPJ nº 03.650.060/0001-48, por transferir recursos financeiros da exploração de áreas e instalações portuárias sob sua administração para o Tesouro do Estado do Maranhão, a título de Juros Sob Capital Próprio, referente aos exercícios contábeis dos anos de 2015 a 2017, descumprindo a Cláusula Terceira, Parágrafo Segundo, do Convênio de Delegação nº 16/2000, pela prática da infração prevista no art. 33, inciso XX, da Resolução Nº 3.274/2014-ANTAQ”, diz a nota do órgão

Delegação

O descumprimento de cláusulas de um contrato de delegação que garante o controle do Porto do Itaqui pela Emap está no centro de uma contenda judicial entre o Governo do Maranhão e o governo Jair Bolsonaro (PSL).

Denunciada à Justiça após transferências de mais de R$ 140 milhões de recursos do porto para as contas do Estado, a gestão comunista foi inicialmente proibida pela Agência Nacional de Transportes Aquaviários (Antaq) de realizar novas retiradas, justamente com base no contrato. Depois disso, a própria agência abriu os processos de fiscalização.

Diante disso – e das notícias de que o Governo Federal pretende reassumir o controle do Itaqui – o Governo do Estado decidiu entrar na Justiça, onde conseguiu uma liminar que impede a retomada do porto e paralisa os procedimentos de fiscalização da Antaq.

A ação já está pronta para ser julgada pelo juiz federal Clodomir Reis, da 3ª Vara Federal Cível da Justiça Federal no Maranhão, autor da decisão liminar favorável ao Estado (reveja).


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *