Aliados de Dino não se entendem, e sobra para pré-candidatos em SLZ

Pelo visto, anda longe de ser um consenso entre aliados do governador Flávio Dino (PCdoB) a tese de criação de um “consórcio” de candidatos a prefeito de São Luís para a disputa de São Luís.

Alguns analistas entendem que a garantia de várias candidaturas ligadas ao comunismo seria o meio ideal de forçar um segundo turno contra o deputado federal Eduardo Braide (PMN).

Mas, sob a sombra do Palácio dos Leões, ninguém se entende.

Nas últimas semanas ja houve um embate sério entre os deputados estaduais/pré-candidatos Neto Evangelista (DEM) e Duarte Júnior (PCdoB) – enquanto a turma ligada a Rubens Júnior (PCdoB) assistia a tudo de camarote – reveja.

Nos últimos dias, Duarte Júnior resolveu partir pra cima dos jornalistas Leandro Miranda e Marcelo Minardi – ataca os dois mirando também em Weverton Rocha (PDT). E atinge, por tabela, todo o seu grupo.

Não bastasse isso, surgem informações de que há governistas vasculhando a gestão de Rubens Júnior na Secid.

Em suma: ninguém se entende por lá.

E o resultado dessa guerra surda, como já opinamos aqui, é que o grupo de Flávio Dino pode conseguir a proeza de forçar um segundo turno nas eleições de 2020 em São Luís, e sequer estar lá.

Para isso, basta continuar errando como agora…


3 pensou em “Aliados de Dino não se entendem, e sobra para pré-candidatos em SLZ

  1. A verdade é que essa turma do pretenso consórcio de candidatos é toda amadora, não se entendem, metem o pé pela cabeça e têm um líder que quebrou o estado! Perdendo vergonhosamente a eleição de prefeito ano que vem, o comunismo no Maranhão poderá desandar e cair a máscara de vez.

  2. Gilberto Léda, até blogueiro reconhecidamente do Palácio dos Leões e de seus aliados, está dando destaque nesse flagra! Denota que a desorganização e a briga dos membros do consócio de candidatos dinista é grande, veja:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *