The Intercept: vazamentos dividem deputados na Assembleia

De O Estado

O vazamento de diálogos entre o ministro da Justiça e Segurança Pública, ex-juiz federal Sergio Moro, e o procurador da República Deltan Dallagnol, da força-tarefa da Lava Jato em Curitiba, dividiu deputados ouvidos por O Estado na Assembleia Legislativa na tarde de ontem (10).

Em discurso durante o expediente final da sessão de ontem, o petista Zé Inácio Lula – o nome do ex-presidente foi incluído na identificação oficial a pedido do parlamentar – defendeu que as revelações do site The Intercept confirmam a tese de que Luiz Inácio Lula da Silva (PT) foi perseguido pelo Judiciário para não ser candidato em 2018.

“O diálogo que veio a público entre Sérgio Moro e o procurador Dallagnol demonstra que muita coisa do que eu dizia aqui era verdadeiro, era correto, e que, de fato, o presidente Lula foi perseguido politicamente via Poder Judiciário, para condená-lo, depois condená-lo novamente em segunda instância e impedi-lo de participar do processo eleitoral. E aí não ser candidato nas últimas eleições de 2018”, declarou.

Já Arnaldo Melo (MDB), ex-presidente da Assembleia, deu destaque ao que considerou “ilegalidade” do ataque hacker que atingiu procuradores da Lava Jato e o ministro da Justiça. Segundo ele, há que avaliar o que foi divulgado na íntegra e o que pode ter sido descontextualizado.

“As coisas, quando entram por esse caminho da ilegalidade, das gravações clandestinas, tudo isso, a gente não sabe o que foi realmente contextualizado numa conversa e o que foi extraído do contexto daquela conversa”, pontou.

Ele ponderou que procuradores e juízes não devem ter contato sobre processos que não ocorram nos autos, mas acrescentou que, do material já vazado, não viu nada de errado no contato entre Moro e Dallagnol.

“A gente compreende que não pode o Ministério Público fazer esse tipo de referência com os julgadores. Isso é algo que a gente não aceita. Porém, nesse caso específico, pelo que eu li dos textos, não vejo nada que possa comprometer a decisão do à época juiz Sergio Moro nesse julgamento”, completou.


3 pensou em “The Intercept: vazamentos dividem deputados na Assembleia

  1. Quem falou que eles foram haqueados? O Telegram AFIRMA QUE não houve invasão nas contas citadas. Já há um concenso de que INTEGRANTES desses grupos entregaram as informações. Agora de uma coisa tenhamos certeza, se, com menos de 1% das “conversas” divulgadas já deu esse furdunço, imagina quando TODOS OS arquivos vierem a tona? A grande verdade é que “nossos” ídolos tem prazo de validade muito pequeno.

  2. Esse Zé Inacio ta completamente fora do contexto. O BRASIL mudou . Nao cola mais esse papo de quadrilheiro politico. Fora Zé, fora 9 dedos, fora Dino sauro.

  3. Essa corja do Pt tudo que é a favor da corrupção eles tão apoiando e protegendo.
    Esse petralha então falta o que pra ser preso no caso do Incra?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *