Para Fiema, reforma da Previdência favorece investimentos

A Federação das Indústrias do Estado do Maranhão (FIEMA) corrobora o posicionamento da Confederação Nacional da Indústria (CNI) de que a reforma da Previdência aprovada em segundo turno pela Câmara dos Deputados é importante para o Brasil e atende às expectativas do setor industrial e do país. De acordo com o vice-presidente da entidade e do Conselho Temático de Assuntos Legislativos, Cláudio Azevedo, os 14 deputados federais da bancada maranhense que votaram a favor da reforma estão em sintonia com o setor produtivo, pois acreditam que as mudanças garantem o pagamento das aposentadorias aos brasileiros e que também favorece investimentos no país e o crescimento da economia.

“Existe um déficit muito grande da previdência que só pode ser solucionado no futuro a partir das mudanças que estão sendo feitas agora. Assim como a CNI, acreditamos que essa reforma abre espaço político para o debate de outros temas fundamentais para o país, como as mudanças no sistema tributário, as privatizações, a desburocratização, o licenciamento ambiental e medidas microeconômicas capazes de facilitar a vida dos empreendedores, aumentar a segurança jurídica e modernizar o país”, enfatizou Azevedo. 

Do Maranhão, votaram a favor da reforma os deputados André Fufuca (PP), Aluísio Mendes (PODEMOS), Cleber Verde (PRB), Edilázio Júnior (PSD), Gil Cutrim (PDT), Hildo Rocha (PMDB), Gastão Vieira (PROS), João Marcelo Souza (PMDB), Josimar de Maranhãozinho (PL), Júnior Lourenço (PL), Juscelino Filho (DEM), Marreca Filho (PATRIOTA), Pastor Gyldenemyr (PL) e Pedro Lucas Fernandes (PTB). Apenas quatro votaram contra.

Segundo posicionamento da CNI, a reforma promove maior equidade social. Também adapta as regras de acesso à aposentadoria às mudanças demográficas dos últimos 50 anos, quando o número de brasileiros com idade superior a 65 anos triplicou e a expectativa de vida aumentou substancialmente, com a melhoria das condições de vida da população.

A expectativa da indústria é que o Senado também aprove com celeridade a reforma da Previdência. “O equacionamento da questão fiscal e os avanços na agenda da competitividade, da produtividade e da melhoria do ambiente de negócios são fundamentais para a retomada do crescimento econômico, liderado pelo investimento privado”, afirmou recentemente Robson Andrade, presidente da CNI. “O crescimento da economia estimulará a criação de empregos, que são a base da arrecadação e da sustentação do sistema previdenciário”, conclui o presidente da CNI.


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *