Alto número de demissões na Saúde do Maranhão preocupa

Do site do Sindicato dos Enfermeiros do Maranhão

Até bem poucos dias atrás os profissionais de saúde que trabalham nas Upas e Hospitais do Estado trabalhavam em relativa paz, pois embora não sejam concursados tinham a consciência que se cumprissem seus horários e fizessem seu trabalho conforme a lei e o contrato continuariam em seus postos de trabalho.

Muitos trabalhadores já estão atuando nessas Unidades de Saúde há mais de 20 anos, fizeram vários treinamentos, conhecem bem as rotinas, são altamente qualificados, isso reflete diretamente na assistência prestada aos pacientes.

Entretanto já tem alguns dias, cerca de 60 dias que a Secretaria Estadual de Saúde iniciou um processo de demissões em alto número, injustificado, de forma abrupta, o que surpreendeu a todos e está preocupando a sociedade maranhense, pois em muitos Estabelecimentos o número de profissionais já é insuficiente e com as demissões a situação pode ser mais agravada.

Em reunião realizada dia 9 de setembro com todos os Sindicatos representantes de trabalhadores da Saúde, SINFARMA, SEEMA Sindsaúde e SINTAEMA o secretário de saúde explicou sobre a necessidade de reorganização de perfil em algumas unidades que terão os serviços ajustados até para otimizar o atendimento em alguns municípios, durante a reunião o secretário fez uma explanação da situação de algumas Unidades de Saúde e explicou essa necessidade.

Todavia, não é dessa readequação que estamos falando, e as demissões que assustam não estão acontecendo nessas Unidades também, ao contrário, as demissões de que falamos estão ocorrendo em Unidades com alta demanda e que não tem ninguém para substituir os profissionais que saem, o que está afetando diretamente a população, como aconteceu na UPA Itaqui Bacanga.

Existem muitas especulações sobre a finalidade dessas demissões, entre as teorias uma seria para barganhar votos para as eleições municipais, outra que uma nova empresa entraria no lugar da empresa que está gerindo esses hospitais e que essa empresa atual iria dar um calote trabalhista nos funcionários, como aconteceu com a ICN, CORPORE e Biosaúde, esta desviou 40 milhões dos cofres públicos da saúde. Mas, seja qual for a razão, é preciso a SES analisar e rever essas demissões em massa, é preciso também estabelecer um diálogo que seja fundamentado na racionalidade, pois isso está gerando instabilidade nos ambientes de trabalho, uma vez que os funcionários estão de plantão e muitos simplesmente são surpreendidos, convidados para uma “conversa” e dali já estão demitidos sem razão pra isso.

Os profissionais mobilizam-se e organizam-se junto à suas Entidades Sindicais para que haja esse entendimento com a SES o mais breve sobre esse assunto e se encontre uma solução para essa triste situação que não é boa nem para pacientes nem para trabalhadores.


8 pensou em “Alto número de demissões na Saúde do Maranhão preocupa

    • E o MPT, e a SRT/MA e a JT/MA? Na não atuação do MPE e da ALEMA estes órgãos deveriam atuar, o que não pode é esses trabalhadores terem a sua dignidade vergastada.

  1. A ausência de autocrítica da esquerda brasileira é patogênica, lá se vão seis anos de Governo Flávio Dino e a culpa pelo caos é do governo anterior, diz o Secretário de Saúde em seu artigo semanal no JP.

  2. Porque ele não demite quem ele levou para lá quando se tornou secretário de saúde … Levou o povo da […] todinho. Estão na informática, financeiro, contratos e convenios, na administração … Isso sem contar as pessoas que estavam no seu escritório de advocacia, e estão lá como a mulher de um dos advogados que trabalha no seu escritório e tem ligação direta com pessoas da prefeitura.

  3. Eu quero saber é pq ele não demite um monte de contratado ganhando salarios acima de R$ 3.000,00 (tres mil reais) do Sistema de Administração Penitenciaria -SEAP, lá é uma verdadeira festa desses mineiros safados que esse governador incompetente trouxe pra roubar o dinheiro publico do Maranhão.

  4. Nelson e não se esqueça das farras de uns [..]safados ae que estão instalados na saúde do Ma, não duvido que essa crise tenha sido provocada, supervisores sem qualificação nenhuma dirigindo unidades e ganhando super salários e tudo isso sendo observado pelas autoridades que pasmem fazem nada, gerentes dando murros em cima de mesa daqui não saio, daqui ninguém me tira, verdadeiros urubus em cima da carne podre do povo miserável do Ma, a qualquer hora uma bomba vai estourar so aguardar.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *