Aumento do PIB do MA é prova do fracasso de Dino como governador

Longe de ser motivo para comemoração, como fez o governador Flávio Dino (PCdoB) nas redes sociais, a divulgação, pelo IBGE, do resultado do Produto Interno Bruto (PIB) do Maranhão é mais uma prova do fracasso do comunista como gestor.

Segundo os dados oficiais, a alta do PIB maranhense foi de 5,3% em 2017.

“Mas como isso pode ser um fracasso, Gilberto Léda?”, pergunta o mais ansioso leitor.

Eu respondo.

A alta do PIB, segundo o próprio Governo do Maranhão, foi puxada pelo setor de grãos – os comunistas defendem que foram incentivos do Executivo que favoreceram a área (saiba mais).

O PIB, como se sabe, é a soma de riquezas de um país, estado ou cidade.

Se o PIB do Maranhão aumentou, houve aumento da riqueza do estado. Isso parece óbvio. E é nesse ponto que se mostra o fracasso do governo Flávio Dino.

Se a riqueza aumentou em 2017, por que razão entre 2016 e 2018 a pobreza aumentou no Maranhão? Não só a pobreza, como a extrema pobreza.

Dados do mesmo IBGE divulgados na semana passada – sobre os quais, é claro, Dino não deu uma linha no Twitter – mostram que em 2016 o percentual de maranhenses na extrema pobreza era de 16,9% da população, o que corresponde a quase 1,1 milhão de pessoas.

Em 2018, esse número subiu para 19,9% (1,3 milhão), um acréscimo de aproximadamente 223 mil pessoas nessa situação (relembre).

Ou seja: o estado ficou mais rico; a população, mais pobre.

Por quê?

Porque a riqueza ficou concentrada. O crescimento econômico não se refletiu em distribuição.

E, assim, Dino vem fracassando naquele que foi um dos pilares da narrativa que o levou ao poder: tirar o Maranhão do atraso.

_________________Leia mais
‘Mais IDH’ fracassa, e MA estagna em ranking de desenvolvimento


9 pensou em “Aumento do PIB do MA é prova do fracasso de Dino como governador

    • Pago uma rapadura mais um cofo de pequis das Aldeias Altas se a escriba Franceles me mostrar que relação que existe entre o crescimento do agronegócio e o “governo” comunista.

    • O blogueiro está certo, cretino. O PNADc de 2018 (antes do PIB de 2017) demonstra que nada adiantou o aumento do PIB em 2017, e que cairá em 2018. O aumento da pobreza e extrema pobreza foi em todo país, ESPECIALMENTE e PRINCIPALMENTE no MA, onde passou de 50% da população os miseráveis. No CE, por exemplo, a miséria caiu. Para quem diz que tem vários projetos contra a pobreza, (mais IHDM; sim, eu posso; etc.) e extorque a população com impostos medievais além de não ter conseguido levar nenhum grande empreendimento para o estado, é um retumbante fracasso. E FD não fez nada para este aumento. Os produtores reclamaram horrores do descaso do governo com a escoação da produção.

    • O raciocinio esta certo. O pib aumentou no setor agropecuario onde tem pouco impacto na geracao de emprego. A industria teve retracao de 4%. Quem gera riqueza e empregos (diretos e indiretos) e a industria. flavio dino e um idiota que tambem e manipulado e nao tem vontade propria. Se lula manda-lo beijar os pes de bolsonaro, o fara correndo, assim como fez com sarney.

    • Dino? [rsrsrsrs].
      A bandidagem está solta!
      E o Sr. Moro, hein? Moro é ser de coragem. Moro é valentia. Ser de façanha. Sergio Moro é bravura, proeza e valor. Moro é ser de mestria, intrepidez e heroísmo. Moro tem coragem. E o PT é covarde.

  1. Significa dizer cientificamente, que nos infelizes anos do comunismo no Maranhão houve sim foi uma brutal concentração de renda na mão dos mais ricos!!!

    Mas o comunista-mor diz e manda os seus asseclas, os seus áulicos, os seus cupinchas e principalmente os seus pobres esbirros propagandearem exatamente o que não aconteceu no Maranhão no período pesquisado pelo IBGE, isto é: que no “Governo de Todos Nós” não “se está distribuindo riqueza aos que necessitam.” Quiçá por causa dessas mentiras facilmente descobertas, que o condenado em três instâncias está lhe dando pouca importância, talvez?

  2. Gilberto está correto ao cruzar os dados e chegar a uma nova nformação. É importante ter a informação porem é tão importante quanto saber o que fazer com ela.

  3. Essa Concentração de renda é do país inteiro, que só tende a aumentar no Governo Bolsonaro. Só não ver quem não quer. Quanto a essa comemoração, tem que comemorar mesmo. Em qualquer setor, o importante é crescer, e aos poucos esse crescimento vai se estendendo como benefícios para a população como um todo, de várias formas.
    Em situação mais adversa, estão os estados que cresceram menos e que estão com os mesmos problemas. REPITO, o problema da concentração de renda é do pais inteiro, e no atual governo federal, só tende a aumentar. é só ver os resultados do próprio IBGE, e as ações do atual governo federal.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *