Adriano comenta taxa sobre soja e milho: ‘Maranhense não tolera mais’

O deputado estadual Adriano Sarney (PV) comentou, em vídeo divulgado em suas redes sociais, a decisão do governador Flávio Dino (PCdoB) de taxar em mais 3% a tonelada da soja, do milho, do milheto e do sogo “produzidos e transportados no Estado do Maranhão”.

O novo tributo foi incluído no mesmo projeto de lei que reduziu o Imposto Sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) do gás de cozinha, e que autorizou o Estado a privatizar a Companhia Maranhense de Gás (Gasmar).

Aprovada no início de dezembro deste ano, a nova taxa passará a vigorar em março de 2020 (saiba mais).

“O Governo do Estado, no apagar das luzes de 2019, decidiu tributar produtos agrícolas, aqueles que vêm do campo, que geram riqueza, que trazem investimentos de fora do estado para o Maranhão, que geram mais emprego, mais renda. E você sabe que, no final das contas, quem vai pagar é você”, destacou.

Segundo ele, “o maranhense não tolera, não aguenta mais o aumento de impostos, de tributos”.


6 pensou em “Adriano comenta taxa sobre soja e milho: ‘Maranhense não tolera mais’

  1. É verdade Deputado. Isso é mais uma demonstração que o Flávio Dino pouco se importa com aqueles que geram riquezas e desenvolve a nossa economia. Logo este setor que foi responsável pela melhora do nosso PIB. Agora a mais nova vítima do governador.

  2. Esse governador ta indo de mal a pior!!! Meu Deus, espero que em breve haja realmente mudança em São Luís, comece logo pela prefeitura, que Adriano seja o novo prefeito!!!

  3. Tolera,ainda tá pouco, se era isso que os maranhenses escolheram,agora não adianta chorar, é fazer cara ruim e engolir seco.

  4. PEDE PARA ELE COMENTAR O MOTIVO PELO QUAL A EMAP NO GOVERNO DA TI ADELE APRESENTAVA PREJUÍZO TODO O ANO E AGORA NO GOVERNO DE DINO É LUCRO TODO OS ANOS.

  5. Pingback: Agora taxados em mais 3%, produtores de soja bancam recuperação da MA-140 - Gilberto Léda

  6. Adriano está certo! Aumento de impostos NÃO!!! Aumento de imposto é menos comida na mesa e menos oportunidades de trabalho! Mais livre mercado, menos impostos e menos Estado!!!

Os comentários estão fechados.