Bolsonaro manda mais R$ 8,4 milhões para a Saúde do Maranhão

(Foto: Rafaela Felicciano/Metrópoles)

O Ministério da Saúde reservou neste mês R$ 8,425 milhões para a ampliação do acesso de pacientes às cirurgias eletivas realizadas no SUS no Maranhão.

No total, em todo o país, foram R$ 250 milhões.

O objetivo é diminuir as filas para 53 tipos de procedimentos que incluem catarata, varizes, hérnia, vasectomia e laqueadura, além de cirurgia de astroplastia de quadril e joelho, entre outras com grande demanda.

Em 2018, segundo o Ministério da Saúde, foram realizadas pelo SUS cerca de 2,4 milhões de cirurgias eletivas em todo o país. Esses procedimentos cirúrgicos são os que não precisam ser realizados em caráter de urgência, podendo assim serem agendados. Em 2019, até outubro, foram registrados no sistema de informação do SUS 2 milhões de cirurgias em todos os estados brasileiros.

Os procedimentos de cirurgias eletivas fazem parte da rotina dos atendimentos oferecidos à população nos hospitais de todo o país, de forma integral e gratuita, por meio do SUS. As três cirurgias mais demandadas são oftalmológicas (para tratamento de catarata e de suas consequências e para tratamento de doenças da retina). Além dessas, também estão na lista cirurgias tais como aquelas para correção de hérnias e retirada da vesícula biliar.

Com o valor extra de R$ 250 milhões mais cirurgias eletivas poderão ser realizadas em 2020. Os gestores estaduais, municipais e do Distrito Federal, responsáveis pela organização e a definição dos critérios regulatórios que garantam o acesso do paciente aos procedimentos cirúrgicos eletivos, podem contar e se programar para utilização dos recursos de acordo com a população per capita de cada estado.

O valor total será disponibilizado no orçamento por meio do componente Fundo de Ações Estratégicas e Compensação (FAEC). O incentivo somente será liberado para os gestores após a apresentação de produção executada no sistema de informação do SUS e para aqueles que ultrapassarem o teto MAC (Média e Alta Complexidade) do município.

Do período de janeiro de 2017 a outubro de 2019, foram disponibilizados por meio de recursos do FAEC, o valor aproximado de R$ 1,1 bilhão para cirurgias eletivas. Além disso, as unidades federativas contam também com o valor do teto MAC (Média e Alta Complexidade) para realização das cirurgias nos municípios.


12 pensou em “Bolsonaro manda mais R$ 8,4 milhões para a Saúde do Maranhão

  1. Enquanto isso esse governador comunista não tem a educação de colocar no palácio dos leões a foto do nosso presidente Jair Bolsonaro. Esse governador é insensível e desprezível. Muda meu Maranhão, nossa bandeira jamais será vermelha.

  2. Porque não anuncuar: BOLSONARO manda R$ 1,10 ( isso mesmo, UM REAL E DEZ CENTAVOS ( para cada maranhense cuidar da saúde? ?? Aliás, o BOZOPATA não manda nada, até porque a UNIÃO NÃO PRODUZ NADA, já que TUDO É PRODUZIDO nos estados. O DRSGOVETNO FEDERAK apenas GASTA O DINHEIRO produzido nos diferentes estados da União.
    Os salários NADA ESCOS são pagos ais funcionários Federais ( das três esferas) enquanto os estados e municípios pagam salários de FOME aos seus servidores. O Salário pago aos PARASITAS federais e cerca de CINCO vezes maior que os pagos aos demais funcionários públicos. Claro, para os néscios isso é nirmal; principalmente quando o estulto tem a vida conduzida pelo toque de um berrante tocado por um BOZOPATA.

    • Esse dinheiro da Saúde era pra construir mais “POSTOS DO SAMU” nas Cidades do Maranhão, ajuda salvar Milhares de vidas de pessoas humildes.

  3. Bolsonaro está fazendo a parte dele (apesar de 8 milhões para um estado não ser nada). Quem deve explicações sobre o que está recebendo e como está aplicando é esse desgovernador que vocês colocaram no palácio dos leões.

  4. Pingback: Dino lança 'Mais Cirurgias' sem citar ajuda de R$ 8 mi de Bolsonaro - Gilberto Léda

  5. Pingback: Flávio Dino lança ‘Mais Cirurgias’ como ação exclusiva do Estado, sem citar ajuda de R$ 8 milhões de Bolsonaro – Blog do Samuel Bastos

Os comentários estão fechados.