Dino dá nome a ponte não concluída e que já consumiu R$ 28 mi

Dino vistoria obra da ponte que nunca saiu do chão

O governador do Maranhão, Flávio Dino (PCdoB), editou um decreto para dar nome à ponte que o Governo do Estado segue tentando construir sobre o rio Pericumã, entre as cidades de Central e Bequimão, na Baixada Maranhense.

Assinado no dia 22 de janeiro deste ano, e publicado no Diário Oficial do Estado do mesmo dia, o ato denomina de “Governador Antônio Jorge Dino” a obra, ainda em execução.

Já devidamente nominada pelo comunista, a ponte Central-Bequimão nunca saiu do chão. Anunciada pelo governador como o “fim de uma lenda” durante a assinatura da ordem de serviço, a construção foi autorizada pelo em setembro de 2016.

Segundo o contrato firmado entre a Secretaria de Estado da Infraestrutura (Sinfra) e o Consórcio Epeng-FN Sondagens, a execução dos trabalhos deveria durar dois anos, a partir da assinatura da OS. Esse prazo venceu no dia 28 de setembro de 2018, há quase um ano e meio, portanto (saiba mais).

Apesar da lentidão, o consórcio responsável pela obra já recebeu valores milionários do Governo do Estado. Dados do Portal da Transparência apontam que até o fim de 2019 a Sinfra já havia realizado pagamentos da ordem de R$ 28,5 milhões. O valor total do contrato é de R$ 68,3 milhões.

Operação

A Epeng – uma das integrantes do consórcio vencedor da licitação para a obra – pertence ao empresário Francisco Antelius, maranhense preso em 2016 no Tocantins, no bojo da Operação Ápia, da Polícia Federal, que disse ter identificado fraudes em contratos de terraplanagem e pavimentação em 29 rodovias do estado vizinho.

De acordo com os federais, o esquema foi realizado entre os anos de 2013 e 2014, período durante o qual foram desviados cerca de 25% dos valores de um empréstimo internacional de R$ 1,2 bilhão ao Estado do Tocantins – com recursos do BNDES envolvidos.

A polícia acredita que os desvios chegam a R$ 200 milhões, dinheiro que teria sido repassado às empresas contratadas – a Epeng, inclusive – mesmo sem a conclusão das obras contratadas pelo Executivo. Há suspeitas de que parte dos recursos tenham sido desviados para campanhas eleitorais. Em depoimento, o empreiteiro chegou a confessar o pagamento de propina no Tocantins (reveja).


16 pensou em “Dino dá nome a ponte não concluída e que já consumiu R$ 28 mi

    • Onde está o erro? Está em um Bloguero que não quer morrer de fome e escreve coisas q não tem competência para falar. Tem ponte q custa até mais de 1 bilhão. Dinheiro público é gasto em cima de projetos e previsão de gastos. Está tudo normal em relação a obra bem como a matéria q fazem em troca de uns trocados.

  1. Sou da baixada esta caminhando sim amigo claro como no brasil as obras sao realizadas a passo de tartaruga mais estai concluindo sim passa as informacoes correta

  2. Deixa de ser mentiroso, fale a verdade “nunca saiu do chão.”, onde você vive, vai lá e bate a foto e coloca aqui no seu blog. Desafio você a fazer isso! se é que tem coragem.

  3. Essa ponte que teve ordem de serviço assinadas em abril de 2015, ser a concluída do Deus Sabe quando!! Sem querer fazer nenhuma comparação, mas Sarney quando governador fez s Ponte do são Francisco em menos de 2 anos, João Castelo fez a ponte bandeira tribuzzi também em pouco mais de 1 ano, cafeteira fez a 2 ponte do caratatiiua também em curto período de tempo, isso em época de vacas magras e não foi preciso aumentar impostos todos os anos , Roseana fez via expressa em 02 anos, mesmo sendo atrapalhada diariamente pelas intervenções do Dep Dutra e s pequena comunidade do vinhais velho, nesta via tem 4 Pontes de de três faixas nos dois sentidos que se somadas se tornaria uma ponte com mais de 1.5km..
    Flávio Dino está a cinco anos fazendo uma ponte de menos de 700mts com os bilhões que tem disponível adquiridos através dos aumentos consecutivos de impostos e ainda não foi capaz de concluir essa obra tão importante para aquela região!!

  4. Queremos e que a ponte seja concluída. Se o empreiteiro responde processo no estado do Tocantins e problema dele e da justiça daquele estado.

    • Concordo. Mas, segundo o contrato, vc já deveria estar atravessando o rio pela ponte desde setembro de 2018.

  5. Pingback: Clayton Noleto promete ponte Central-Bequimão para 2021 - Gilberto Léda

Os comentários estão fechados.