Empresas investigadas por fraude em SLZ atuavam em mais sete municípios

PF em batida na Semus, em São Luís

As empresas investigadas no âmbito da Operação “Cobiça Fatal”, deflagrada nesta terça-feira (9), atuavam em pelo menos mais seis municípios maranhenses.

Segundo a Polícia Federal, contratos dos mesmos fornecedores são investigados nas prefeituras de Timbiras e de Matinha. Além disso, uma das firmas já teria formalizado contratos, após dispensa de licitação, para fornecer insumos para o combate à Covid-19 com os municípios de Icatu, Cajapió, Lago do Junco, e Porto Rico do Maranhão.

O Blog do Gilberto Léda apurou, ainda, um sétimo contrato de uma das investigadas com a prefeitura de Turilândia, no valor de R$ 14 mil. A resenha do contrato, do dia 19 de maio, só fi publicada no Diário Oficial do Estado na sexta-feira passada (5).

Superfaturamento

Em São Luís, de acordo com as investigações, foram verificados indícios de superfaturamento na compra de 320 mil máscaras pela Secretaria Municipal de Saúde (Semus). A PF afirma que a pasta pagou R$ 9,90 por cada unidade, quando o preço médio praticado no mercado nacional é de R$ 3,17, apontando para um superfaturamento aproximado de R$ 2,3 milhões.

“Não bastasse isso, documentos que robustecem a investigação, demostram que, poucos dias antes do processo de dispensa de licitação, a Prefeitura de São Luís, por meio da própria Semus, havia contratado o fornecimento de máscaras do mesmo modelo junto a outra empresa pelo preço de R$ 2,90 a unidade, totalizando a quantia de R$ 980 mil”, diz comunicado da PF.


3 pensou em “Empresas investigadas por fraude em SLZ atuavam em mais sete municípios

  1. Pingback: Alvo da PF, Semus diz que comprou máscaras pelo 'menor preço proposto' - Gilberto Léda

  2. Pingback: Cobiça Fatal: MP de olho em licitação em Porto Rico do Maranhão - Gilberto Léda

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *