TRF-1 revoga prisões de empresários alvo da Operação Cobiça Fatal

O juiz federal Francisco Codevila, convidado a atuar no Tribunal Regional Federal da 1ª Região, deferiu na noite de hoje (10) pedidos das defesas dos empresários João de Deus Souza Lima Júnior e Alexandre Chuairy Cunha e revogou as prisões de ambos, determinadas pelo juiz federal Luiz Régis Bomfim Filho, da 1ª Vara Federal de São Luís.

O empreiteiros são, respectivamente, sócio responsável pela C. J. Comércio Saneantes e sócio oculto da Precision Soluções em Diagnósticos, alvos da Polícia Federal na Operação Cobiça Fatal, deflagrada na segunda-feira (saiba mais).

No caso de João de Deus, ele sequer havia sido localizado pelos federais, e não estava preso. Já Chuairy, que foi efetivamente preso, alegou, via advogados, que, “logo que soube da decisão, apresentou-se à Delegacia de Polícia Federal, onde prestou depoimento e esclareceu todos os pontos contraditórios”. e que “já foi efetuada a busca e apreensão na empresa e na residência do paciente, momento em que foram apreendidos documentos, cheques, contratos, caixas de testes de Covid-19 e aventais médico-cirúrgicos, o que afasta a alegação de que a sua empresa é fantasma”

No despacho, Codevila deu razão aos argumentos da defesa de que as prisões haviam sido decretadas “com fundamentação genérica e sem a demonstração dos requisitos exigidos pela lei” e sem “descrição de conduta que esteja abarcada no rol dos crimes previstos no art. 1º, da Lei 7.960/1989”.

“Não se evidencia, na decisão atacada, fundamentação acerca da necessidade da medida restritiva. A mera referência à “imprescindibilidade à atividade investigativa”, extraída, possivelmente, da gravidade dos fatos relatados pela autoridade policial, não se revela suficiente para a decretação da prisão temporária. Tanto mais quando se informa na impetração que a medida cautelar de busca e apreensão em face do paciente já teria sido cumprida”, despachou.


8 pensou em “TRF-1 revoga prisões de empresários alvo da Operação Cobiça Fatal

    • Esse aí devem ser mesmo apenas uns operadores ambiciosos por dinheiro como tem muitos pilantras hoje em dia nesta cidade? Tem que seguir o caminho do dinheiro que talvez cheguem nos jacarés!!!

      Provavelmente como práxis a maior parte da grana não ficou mesmo com eles, daí passar um superfaturamento violento desse de mais de 200% a preço de mercado no varejo na internet! A se computar a preço de fábrica, de segunda ou terceira categoria, o superfaturamento chega a mais de 800%? Tudo sem se falar que na entrega provavelmente não se entrega essas milhares de máscaras compradas pela PMSL, o que tende a turbinar de forma exponencial o superfaturamento?

  1. Deviam deixar esses caras mais tempo na cadeia, o esquema é enorme. Onde está o ministério público? Flávio Dino tem tudo nas mãos.

  2. Pingback: Justiça bloqueou R$ 7,7 milhões de alvos da 'Operação Cobiça Fatal' - Gilberto Léda

  3. Kkkkkkkkk
    Esse judiciário.
    Se fossem ladrão de galinha iriam passar meses em Pedrinhas, agora como possuem muito dinheiro não ficaram sequer 48 horas detidos.

  4. Todos HO.ENS DE BEM( ou seria de BENS ). Eles SEMPRE sai vistos, vestidos de Vetde e Amarelo em “protestos” co tra ofechamento das atividades comerciais . DOIS dos MAIS ATUANTES defensores do BOZOPATA. HOMENS de bem………apenas no.ens de bem……..apenas no.ens de bem……

Os comentários estão fechados.