Pré-candidatos de São Luís aprovam adiamento das eleições

De O Estado

Pré-candidatos a prefeito de São Luís ouvidos nesta semana por O Estado aprovaram a decisão do Congresso Nacional de adiar as eleições municipais deste ano. O pleito, que estava previsto para ocorrer nos dias 4 e 25 de outubro, foi remarcado para o mês de novembro, dias 15 e 29, após aprovação da PEC 18/2020, que deu origem à Emenda Constitucional 107, já prmulgada.

A PEC foi aprovada na Câmara dos Deputados na noite de quarta-feira, 1º. Iniciada no Senado, a proposta determina que os dois turnos eleitorais serão realizados em novembro. Por meio de uma emenda de redação, os deputados definiram que caberá ao Congresso decidir sobre o adiamento das eleições por um período ainda maior nas cidades com muitos casos da doença.

Para o deputado estadual Adriano Sarney, pré-candidato do PV, “a decisão foi correta, pois considerou a opinião dos especialistas em saúde”.

Primeiro a defender a tese de que não haveria condições de se realizar eleições no mês de outubro, em virtude da pandemia do novo coronavírus, o ex-juiz federal Carlos Madeira, pré-candidato do Solidariedade, acredita que o adiamento  atende aos interesses de saúde pública.

Além disso, o ex-magistrado acredita avalia que a decisão dá mais equilíbrio ao pleito, já que as atividades de pré-campanha ficaram paralisadas por meses, prejudicando, em tese, candidato menos conhecidos do eleitorado e que aproveitariam esse períodos para apresentar-se.

“Candidatos pouco conhecidos do grande eleitorado, como é o meu caso, que possui uma feição de outsider, ficaram prejudicados pela pandemia, impedidos de travarem contato no corpo a corpo com as comunidades. Nessa perspectiva, a legitimidade do processo eleitoral ficou duramente comprometida; o adiamento das eleições, ainda que por poucos dias, serve para mitigar esse desequilíbrio de forças entre os candidatos já conhecidos e os que estão colocando os seus nomes no processo eleitoral pela primeira vez”, afirmou.

Ciência – Na opinião do pré-candidato do Podemos, deputado federal Eduardo Bradie, a ciência já apontava que o caminho era o adiamento. Para ele foi acertado tomar uma decisão baseada no conhecimento científico, não em política.

“Sempre defendi que essa não deveria ser uma decisão política, mas guiada pela ciência. Como todos os especialistas ouvidos nesse debate afirmaram que o melhor para segurança dos eleitores brasileiros seria o adiamento, caminhamos no mesmo sentido. Acima da política está a vida e a saúde das pessoas”, disse.

O pré-candidato do PSOL, professor Franklin Douglas destacou que, além do prejuízo aos candidatos, haveria enormes problemas para os próprios eleitores. Para ele, a pandemia da Covid-19 abalou milhares de famílias que perderam entes queridos, e seria injusto cobrar destes, no atual momento, atenção ao debate político.

“Sempre que pude, registrei minha preocupação com a pandemia. Famílias abaladas não têm a mínima condição de discutir política ou qualquer outra coisa, frente a parentes enfermos ou à óbito. Sou favorável à mudança da data. Com o novo calendário, mesmo com as dificuldades trazidas pelo Covid-19, será possível fazer um bom debate e apresentar nossas propostas para uma cidade sustentável, inclusiva e moderna. Sempre discordei foi da prorrogação dos mandatos. São Luís não aguentaria mais dois anos de Edivaldo Holanda na Prefeitura”, apontou.


2 pensou em “Pré-candidatos de São Luís aprovam adiamento das eleições

  1. Esses debates já ficou provado que não dá em nada. O povo já tem seu candidato Eduardo Braide. Estamos cheio de promessas mirabolantes, mentiras e propagandas enganosas pagas com o nosso dinheiro.

  2. Essa cachopa de comunistas, esse consórcio q o governador tá fazendo usando o dinheiro público, será esmagado nas urnas no primeiro turno…já decidimos por BRAIDE prefeito de São Luís….aqui é 100% BRAIDE !!!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *