Pulverização e o consórcio dos Leões

Da coluna Estado Maior

Desde a primeira entrevista da série de O Estado com os pré-candidatos à Prefeitura de São Luís, um tema vem sendo abordado: consórcio de candidatos do Palácio dos Leões. Os aliados do governador Flávio Dino (PCdoB) já entrevistados garantem que não fazem parte de qualquer “conglomerados de nomes”.

Os que são considerados adversários dizem exatamente o contrário.

Mas o que confirma a tese de que há o tal consórcio é a movimentação de membros do governo estadual. Os secretários já estão se posicionando e mostrando por quem vão trabalhar durante a campanha que agora vai se iniciar em setembro.

E esta movimentação demonstra uma descentralização dos apoios que virão do Palácio dos Leões. Jefferson Portela (Segurança), apesar de ser do PCdoB, vai caminhar com o ex-juiz Carlos Madeira.

Madeira também recebeu apoio de Anderson Lindoso (Cultura), que é do DEM, partido cujo pré-candidato é Neto Evangelista.

Rubens Júnior (PCdoB) deverá ter apoio dos nomes do PT no primeiro escalão do governo Dino. Estes apoios serão tornados públicos ainda esta semana.

Assim, na pulverização dos apoios, fica cada vez mais claro que o objetivo do Palácio dos Leões é deixar todos os seus candidatos com apoios necessários para conseguir bom desempenho de levar para o segundo turno o pleito.


2 pensou em “Pulverização e o consórcio dos Leões

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *