Sarney: Trump quer destruir a democracia

Da Coluna do Sarney

Costumo dizer que não estamos vivendo em um mundo em transformação, mas num mundo transformado. Com o Covid-19 especula-se que vamos viver um novo normal. Ninguém pode dizer o que isto será. Mas antes que ele venha estou estupefato diante de algo que jamais pensei que pudesse ver.

A minha admiração pelos Estados Unidos vem do orgulho de que tenha saído do Continente Americano o país que transformou o mundo, tornando-se a maior nação da terra, líder e exemplo para todos os povos. Deles surgiu o sistema político que Fukuyama afirmou ter levado ao fim da História, com o domínio da democracia liberal e da economia de mercado.

Formou-se um sistema de governo capaz de garantir a ideia de que todos são iguais perante a lei e ninguém pode ser discriminado em razão de cor, raça ou religião. Cristalizaram-se as ideias de liberdade, direitos humanos, dignidade humana, governo do povo e para o povo. E esses direitos foram consagrados de tal maneira que passaram a ser um ideal universal.

Alexis de Tocqueville escreveu em 1835 um livro clássico, no qual ele profetizou que os Estados Unidos iriam “por algum desígnio secreto um dia controlar em suas mãos os destinos de metade do mundo”. E sempre afirmei que foi a grande sorte do mundo. Calcule se saísse da velha Europa ou de qualquer parte outro país que tivesse como bandeira ideal usar a força, a supremacia de raça — como aconteceu na Alemanha de Hitler — ou pregasse a religião como base das nações. Estamos presenciando um conflito de civilização no Oriente Médio. Mas foram os Estados Unidos que pregaram a liberdade, como forma de vida que venceu.

Pois não é que agora, com grande espanto, em pleno século XXI, ouvimos sair da boca de um Presidente dos Estados Unidos que ele pode não aceitar o resultado de uma eleição e não entregar o poder, como se seu país fosse qualquer republiqueta dos séculos passados, quando a alternância do poder pudesse ainda ir contra a decisão soberana do povo.

Isso eu considero a maior e mais impensável coisa a que pudéssemos assistir. A solidez do maior e mais forte país democrático do mundo comportar uma afirmação dessa natureza. Jefferson, Madison, Washington devem ter tremido em seus túmulos e abominar pela eternidade um Trump, negar-lhe a companhia dos homens que fizeram a Constituição de Filadélfia, o maior documento produzido pelo homem para regular suas relações e o viver pacífico em sociedade.

Trump, com seu comportamento e sua frase, acaba por fazer uma síntese do que buscou ao longo de seu governo. Foi caminhando para o isolamento americano, para a divisão da sociedade, para uma nova guerra fria — e até quente. Seu objetivo é inaceitável: destruir a democracia!


5 pensou em “Sarney: Trump quer destruir a democracia

  1. Que deprimente José Sarney! O senhor precisa e muito estudar a história da origem americana ou viver no América como vivi por muito tempo (15 anos). Trump é o oposto que cita o artigo de Sarney, que digamos é um artigo medíocre e muito superficial. Não há nos EUA nenhuma afronta a democracia, mas o inverso. A nação americana chama-se terra da liberdade! A razão obvia: protestante ingleses fugindo da perseguição opressora católica espanhola na época, e assim onde na américa criaram o símbolo da liberdade.

    Será se saberá porque a países como o Canadá, EUA, Inglaterra, Alemanha, países baixos (Noruega, Finlândia Islândia etc) e outros, são locais de alta liberdade de expressão, democráticos e com uma economia gigantescas? Porque tem em seus alicerces na base da reforma protestante de Lutero.

    Agora países onde predominaram o catolicismo caíram em decadência, citarei alguns exemplos: Portugal que é o quintal da Europa, Espanha, Itália etc, vamos para o nosso lado: Brasil, México, aliás toda América Latina, todos esses são países onde seus alicerces foram de base católica romana. A diferença está tudo inclusive no conhecimento.

    No Brasil por exemplo tudo é palácio, O Palácio da Alvorada, Palácio do Leões, Palácios, palácio e mais palácios, em contra ponto não vimos esse tipo residências com essas nomenclaturas na américa ou nos pais que citei, o que temos Casa Branca. Isso significa que o catolicismo antigo a informação (diga-se a leitura) era exclusiva para reis, rainhas, ao contrário da reforma que providenciou a leitura da bíblia para a plebe pela a tradução de Lutero da bíblia em latim para o alemão, e assim o conhecimento (não só religiosos) foi disseminado a aquilo que o catolicismo privou e liberou somente ao clero, reis rainhas etc.

    Trump tem apoio dessa base que fundou a américa com os princípios que estão sendo abalados por uma ditadura contraria os ideias do cristianismo, principalmente disseminados pela reforma protestante Lutero a liberdade de igrejas para salvação, como disse Lutero “Sola fide” .

    Tudo está na história, só não ver, que não quer ver. Me admiro que José Sarney sendo um “Imortal a Academia” desconheça essas verdades, uma pena!

    • Perfeito o comentário. O catolicismo, junto com a miscigenação (principalmente a qualidade dessa misgigenação) fazem parte dos principais fatores que tornaram a américa latina católica (incomepente américa católica como caetano veloso canta em podres poderes) no caos que está. principalmente pelo seu discurso de ser contra a riqueza. isso foi gasolina no fogo nas incipientes pretensões de crescimento capenga latino americano. E, pelo visto, não tem jeito.

    • Uma Democracia, só com dois partidos, sem voto direto para presidente, isto é democracia?
      O capitalismo surgiu nas cidade italianas durante a Renascença. A contribuição Católica para o mundo é um universo tão grande que nossa vista não alcança. Sem a Igreja Católica Romana, o mundo seria destruído pelas tribos bárbaras. A Igreja Católica conservou toda a tradição de conhecimento Grego-Romano e judaico. O alfabeto que nos escrevemos é o alfabeto latino, portanto romano, as tradições de leis, costumes vem dessa herança grego-romana.
      E de onde tu tirou essa alucinação de que “protestante ingleses fugindo da perseguição opressora católica espanhola”? Protestantes ingleses estavam fugindo da Inglaterra. Nação de Piratas que saqueavam e roubavam os navios carregados de Ouro da Espanha.
      Dispenso esse desenvolvimento protestante, racista nos EUA. Igreja de Branco, Igreja de Preto. Ku Klux Klã, genocídio indígena.
      Pais hipócrita esse EUA. Maior industria pornográfica do mundo, maiores consumidores de drogas do mundo.
      Os países europeus Católicos foram os que mais produziram artistas, escritores, cientistas. O que seria da Europa sem a França, Itália, Espanha… Simplesmente acaba o que agente imagina de Europa. A Europa é um continente altamente secularizado. Só os EUA que ainda tem e exporta para o mundo esse lixo pentecostal e outra merdas, TJ, mórmons, etc.
      Mas o Dragão asiático esta para comer as carnes do Tio Sam.

  2. Sarney, Sarney vc cada vez mais se afogando na lama do progressismo e também do ridículo.
    Continue se autopromovendo e contando suas histórias de “grandeza”, e bem melhor que falar merda aos 90 anos de idade.

Os comentários estão fechados.