Lago da Pedra: funcionários acusam prefeito de perseguição política

Mesmo amparados por lei, que proíbe demissão, transferência ou qualquer outra ação entendida como prejudicial ao servidor, sem justificativa, são inúmeras as denúncias de supostos casos de perseguição política do prefeito Laércio Arruda para com funcionários públicos contratados que declaram apoio à candidata da oposição, Maura Jorge.

Alguns já recorreram ao Ministério Público e conseguiram mandado de segurança após ameaças de demissões. Outra decisão também garantiu que um funcionário público retornasse às suas atividades após ter sido demitido pelo prefeito em período vedado. Em todas as situações, as vítimas alegaram perseguição política.

Mesmo diante de forte enfrentamento da justiça, ainda há inúmeros relatos de que a prática ilegal continua acontecendo no município, como é o caso da servidora Antônia Aguiar, que relata ter sido afastada do seu emprego, de maneira informal e de forma vexatória, após ter declarado apoio a Maura Jorge, candidata opositora ao prefeito do município. O vídeo acima mostra o relato da servidora e o argumento da diretora do posto de saúde onde ela trabalha.

É mais um caso que vai parar na justiça que, até aqui, se mostrou favorável a todas as impetrações dos servidores contra a prefeitura.


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *